Já ca cantam


Desde ontem! Parabéns para mim!!
Balanço: cada vez mais crescida, já não tenho muitas desculpas para errar...

Aqui vai...


...fora! :)

Há coisas que não mudam

Como é possível que uma mulher com 30 anos ainda core quando fala com desconhecidos ou pessoas com quem tem situações mais 'caricatas'?
Valha-me Deus que sinto um calor na face e não consigo disfarçar!!

O diário da nossa paixão


No passado Sábado repetiu uma vez mais o filme 'O diário da nossa paixão' inspirado num romance de Nicholas Sparks. Não sou nada fã deste escritor mas este filme consegue, por mais vezes que o reveja, levar-me completamente às lágrimas. 
A história não poderia ser mais perfeita, o que a torna demasiado surreal, mas confesso que fico roída de inveja por não ter nada semelhante na vida. É simplesmente linda a forma como o amor é retratado por este autor. A visão dele é simplesmente perfeita e não é possível ficar indiferente a uma história assim.
Vejo neste filme uma forma de inspiração. Os meus olhos absorvem a informação e reproduz-se na minha mente uma cópia na qual a protagonista sou eu. E ele...bem, isso já é outra história.
Na verdade, tudo na vida seria muito mais bonito se a paixão, a entrega e a dedicação fossem como no filme, se as pessoas soubessem o valor umas das outras e não tivessem qualquer problema em demonstra-lo, problema algum em ir à luta mesmo sentindo a rejeição nas primeiras investidas. E contra mim falo, sou incapaz de fazê-lo. O impulso perdeu-se pelo caminho e tornei-me demasiado racional, medricas mesmo. 
Vejo o filme e sinto por dentro uma vontade incrível de deixar de lado os medos, partir em busca do que quero. Mas essa vontade perde-se no 'the end' assim como toda a minha coragem e não consigo deixar de torturar-me por isso. 
Quem tiver histórias assim tem mais é que aproveita-las que com a idade tudo parece ficar cada vez mais difícil.

Momento cartoon #56

Mais ou menos isto...


A solidão diária dita esta realidade...é triste mas verdade. Eles existem mas só em caso de estar com um pé no precipício e nesses casos muito raramente telefono a alguém. Nos outros momentos é que nem vê-los. 

Momento musical

Sempre


Sonhos

Hoje tive um sonho bom demais!!
Só lembrei-me dele umas horas depois de acordar e mal aconteceu esbocei imediatamente um sorriso.
Eh pah...tirei uns beijos com o Rodrigo Santoro. É ou não um sonho deveras delicioso?

Desabafos

Eu quero
Tu não queres

E assim se conjuga o verbo querer na minha vida.

O amor no corpo


Algumas sensações são menos boas mas sempre são preferíveis do que nada sentir.
Acho que tenho-as todas neste momento... :)

Nova Vida

Nova vida chama por ti agora. Nova vida, novas pessoas, novos acontecimentos. O passado morreu. Tem de morrer. Tudo o que valia até aqui deixou de valer – ou se calhar nunca valeu. Todas as hipóteses que se afiguravam viáveis deixaram de o ser. Vieste aqui para morrer. Para definhar, quebrar e limitar a tua resistência. Nada tem de ser perfeito. Mas tem de ser novo. 

Nova vida, novas oportunidades. As coisas que dantes tinham valor deixaram de o ter. Qualquer coisa que queiras usar que seja do passado, qualquer pessoa, ocasião, circunstância ou forma de agir, qualquer medo de sentir, tudo isso será agora extremamente penalizado.

Acabou o ciclo. Acabou o fluxo. Agora, quero tudo novo. Deixa a vida apresentar-se e vais ver o maravilhoso e certeiro que é.

Jesus por Alexandra Solnado


karm kiye ja

Ditado indiano 
('Faz a tua parte que Deus fará o resto')

Carta

Não falei contigo 
com medo que os montes e vales que me achas
caíssem a teus pés...
Acredito e entendo
que a estabilidade lógica
de quem não quer explodir
faça bem ao escudo que és... 

Saudade é o ar
que vou sugando e aceitando
como fruto de Verão
nos jardins do teu beijo...
Mas sinto que sabes que sentes também
que num dia maior serás trapézio sem rede
a pairar sobre o mundo e tudo o que vejo... 

É que hoje acordei e lembrei-me
que sou mago feiticeiro
Que a minha bola de cristal é feita de papel
Nela te pinto nua
numa chama minha e tua.

Desconfio que ainda não reparaste
que o teu destino foi inventado
por gira-discos estragados
aos quais te vais moldando...
E todo o teu planeamento estratégico
de sincronização do coração
são leis como paredes e tectos
cujos vidros vais pisando...

Anseio o dia em que acordares
por cima de todos os teus números
raízes quadradas de somas subtraídas
sempre com a mesma solução...
Podias deixar de fazer da vida
um ciclo vicioso
harmonioso do teu gesto mimado
e à palma da tua mão...

É que hoje acordei e lembrei-me
que sou mago feiticeiro
e a minha bola de cristal é feita de papel
Nela te pinto nua
Numa chama minha e tua. 

Desculpa se te fiz fogo e noite
sem pedir autorização por escrito
ao sindicato dos Deuses...
mas não fui eu que te escolhi.
Desculpa se te usei
como refúgio dos meus sentidos
pedaço de silêncios perdidos
que voltei a encontrar em ti...

É que hoje acordei e lembrei-me
Que sou mago feiticeiro...

...nela te pinto nua
Numa chama minha e tua.

Ainda magoas alguém
O tiro passou-me ao lado
Ainda magoas alguém
Se não te deste a ninguém
magoaste alguém
A mim... passou-me ao lado. 

Toranja

Seca forma de vida

Tenho a noção de que se fosse escrever a história da minha vida seria uma valente seca para os leitores e hipotéticos interessados.
E foi com esta clareza de pensamento que tive a noção de que necessito 'apimentar' mais a minha vida e torna-la mais 'apetecível' não aos olhos dos outros mas aos meus próprios olhos. O fundamental é, primeiramente, vende-la a mim, convencer-me de que trata-se de algo de ser lido e revivido.
Consigo auto-analisar e 'do alto' observar a minha vida. Exteriorizar-me por assim dizer. Nessa observação deparo-me com a mais comum e vulgar existência regada por uma boa dose de 'nada de especial' e uma pitada de 'tudo igual todos os dias'. Não que sinta-me descontente porque sei que tenho mais é que agradecer variadíssimas coisas que acompanham a minha existência mas há uma pequena necessidade de dar uma cor nova a esta forma de estar.
E enquanto escrevo penso em algo que tem-me interessado nos últimos tempos. Hoje fiquei a saber do seu nome...! Quem sabe não tenho um capítulo novo a escrever?

Manifesto de descontentamento pelo patronato

Há coisas que simplesmente ultrapassam o meu entendimento.
As constantes reclamações vindas de quem aufere mensalmente quase mais o quadruplo do que eu e vive na agonia constante de não conseguir cumprir com os seus compromissos. Andam sempre nervosos, enervam os outros, chateiam os outros e até ofendem os outros porque não conseguem aguentar a pressão da frustração que constroem na sua realidade, uma realidade completamente paralela, a meu ver.
São os primeiros a não fazer nada, trabalham menos, e na mesma assim, conseguem ser os primeiros a apontar defeitos ao trabalho dos outros, ao esforço que os outros colocam no que fazem falando do alto da burra como se tudo fosse fácil para eles e o resto não passa de uma cambada de incompetentes. Claro está que, quando vão eles fazer o trabalho, deparam-se com dificuldades, acrescidas com a sua própria ignorância, mas também não conseguem ceder e admitir que estavam errados.
São pessoínhas que não sabem estar, que cresceram num ambiente que mostrou-lhes que calcar os outros fazia parte e não sabem como é viver sem o fazer. Alimentam o seu ego com comentários, se calhar a seu ver e na sua mentalidade mesquinha, motivadores porque poderão impulsionar quem os ouve, mas que, na verdade, deixam o outro agoniado, desmotivado, ferido pela falta de reconhecimento e constante 'pancada' que leva no quotidiano.
O patronato está sem dúvida em crise. 

Os meus pais

Verdade seja dita, o que seria de mim sem a família?
Mesmo já não partilhando o tecto com os meus pais não deixo, de modo algum, que nenhum laço se quebre e vivo como se duas casas tivesse. 
A vida ensina-nos que, durante muitos anos e principalmente na passagem pela adolescência, damos valor às pessoas erradas e acabamos por colocar de lado quem incondicionalmente ama-nos e quer-nos bem, o melhor da vida. Hoje sinto-me de novo uma menina que precisa do carinho e do colo dos pais, não porque sou mimada porque até o sou, mas porque não existe mais ninguém que consiga fazer-me sentir tão especial e bem-vinda, tão acarinhada e amada, tão eu na minha maior naturalidade.
São eles que estão presentes em todos os momentos, são eles que aturam o meu mau-feitio, e refilando, sabem que passa e nada muda, o amor continua lá sem questões.
A vida vai passando e as pessoas vão desaparecendo, vão diminuindo a sua presença, a sua importância e há aquele momento em que apercebemos-nos que, por entre as pessoas que vão e vêm estão os sempre presentes e são eles, os meus pais, o meu pilar, o meu porto seguro. E se há momento na vida que olho para cima e agradeço estarem por perto é hoje, no presente senão não me garantia. Mas é que não me garantia mesmo!
Por tudo o que de bom existe na vida, ainda bem que tenho-os comigo.
Mesmo não conseguindo agradecer de forma altruísta o facto de terem-me dado a vida, agradeço caminharem comigo até onde conseguirmos e sempre que possível, de sorriso no rosto.

Acabou

Fim das férias e retorno ao inferno...ninguém merece!

Não sei mais quem sou

"Falta-te força de vontade" disse-mo a minha mãe. Não teria arranjado melhor definição.
Quando perdi-a, como, onde, não faço ideia mas que já não a tenho comigo é certo e faz tempo.
Andava perdida sem saber como expressar o que sinto, o que vivo, e a minha ausência de praticamente tudo o que era normal na minha vida retrata esse estado de espírito.
Pensei que fosse fácil recuperar-me mas não o é. Falta-me a força de vontade de fazê-lo, o propósito, a capacidade de erguer-me, de levantar o rosto e olhar em frente sem questionar-me no segundo a seguir porquê fazê-lo se pouco ou nada importa.
Perdi-me dentro de mim. Sinto-me rejeitada pelo mundo, culpada pelas minhas escolhas, inútil, sem piada, sem importância.
Gostava que as minhas palavras ecoassem e trouxessem de volta a minha força. Ninguém sabe como custa-me sorrir, ninguém sabe como tem sido difícil aceitar-me, aceitar que tudo à minha volta mudou e estive distraída tempo demais para agora acompanhar o ritmo.
Procuro em tudo o que posso uma 'mão' que se estenda até mim e me agarre enquanto há tempo. Não o escondo nas minhas palavras que sofro, que vivo triste, que estou sensível até demais.
Por onde passo quase nada vejo. A vida para os outros tem significado, tem um plano, uma estrutura. A minha passou a ser apenas o nada e não tenho ideia como mudar isso.
Cansei-me de tentar ouvir-me, de tentar escutar a 'voz interior' que dizem conter as respostas que necessitamos para viver a vida mas o ruído que me cerca passou a ser demasiado e já não escuto nada a não ser o chorar da minha alma.
Se há um motivo que Deus mo diga qual é antes que lhe vá perguntar directamente...

Not a bedtime story

Não gosto da hora de ir dormir. Sei que ali inicia-se um turbilhão de imagens, emoções e sonhos e na manhã que chegará não terei vontade de despertar, uma vez mais.
Gostava de ter a capacidade de fechar os olhos apenas por uns segundos e descansar, ser suficiente apenas esse pequeno lapso de tempo, esse pequeno momento e até a vida seria melhor aproveitada.
Gosto de dormir quando já lá estou mas não gosto de ter de fazê-lo, a obrigação do corpo ceder ao cansaço. É a perda de controlo que detesto sentir e sentirei quando a manha chegar e questionar-me uma vez mais porquê acordar, qual o propósito, porquê dar continuidade a algo que não me apraz, não me satisfaz.
Não gosto da minha mente quando acordo, é triste, melancólica, aborrecida e consegue fazer-se perder em pensamentos, na própria essência da vida sem que me dê conta.
Acordo cansada e preferia não ter dormido.
Gostava de treinar o meu corpo para dormir cada vez menos. Se ele um dia tem de padecer que seja porque estive desperta tempo demais e não com medo de acordar.

.

Movimento

Quando tudo está mal, concentra-te em ti. Quando tudo à tua volta está a ruir, pensa que o movimento do Universo quando quer que tu entres dentro de ti próprio, faz ruir tudo à sua volta. É um movimento perpétuo. Tu sais da tua energia para ir buscar segurança nos outros. Tudo o que é fora de nós é mais fácil. Tudo o que é fora de nós é mais confortável. É seguro.

Entrar dentro de ti próprio é que é difícil. Aí dentro estão tristezas, mágoas, ressentimentos e admoestações. Aí dentro está escuro. Aí dentro está frio. Por isso, é compreensível que fujas de aí de dentro a sete pés. E te agarres aos outros. E ao te apegares aos outros, estás a provocar o Universo para agir. O Universo não pode permitir que te mantenhas fora de ti. Portanto, vai ter de te retirar a segurança que encontravas no teu relacionamento com os outros. E como é que o Universo te retira essa segurança? Simples. Quebra a tua ilusão de que esses relacionamentos fossem altamente satisfatórios. E como é que o Universo quebra a tua ilusão? Desiludindo-te.

De repente, sem porquê, as pessoas nas quais tu depositavas tanta confiança, zangam-se contigo, fazem asneiras, não te dão a atenção devida, ficam doentes, morrem. Todo este movimento de perder os outros – ou melhor, a ilusão de relação idílica que tens com os outros – tem um único e singelo propósito. Fazer-te olhar para ti. Sentir a tua própria energia.

Faz-te ver-te. Faz- te criar alguém que gostarias de ser. Que te orgulhas de ser. Todo este movimento coloca-te indubitavelmente na tua própria dimensão emocional. Faz-te sentir.

Alexandra Solnado

Para vocês

Obrigada por todo o carinho

espero estar a retribuir como merecem

Do pó para o pó

Foi pena tudo ter ficado assim desta forma.
Quando disseram-me que algumas pessoas iriam afastar-se nunca pensei que fosses uma delas mas acabaste por ser. 
Fiquei surpreendida. Não estava à espera, não queria que assim fosse mas no fundo até entendo.
Tem alturas que a vida permanece igual durante tempos sem fim, outras muda em segundos, minutos ou dias. O que deveria mudar está igual mas tu foste. 
Dizem que devemos estar gratos por tudo...não consigo!

Eh pah

Eu e a minha mania de gostar deles assim 'diferentes'

Nate Ruess

I'll carry you home tonight... ;)

Cozinhar

Aos poucos, e porque as circunstâncias assim o ditaram, fui aprendendo a gostar de cozinhar.
Encontrei nesta actividade uma forma de meditação, de terapia. Não fosse o facto de ter sempre o gato a rondar-me as pernas e a miar de guloso e o momento estava perfeito.
Misturar sabores, seguir receitas à risca ou inventar outras a partir do que sobra ou do que há em casa, passou a ser uma experiência deveras engraçada. 
Tem dias em que dá a preguiça sim, mas na sua maioria tenho uma vontade que desconhecia quando morava com os meus pais. Raramente consigo chegar a casa e relaxar um pouco sem antes ir preparando algo e até já dei por mim deitada na praia a pensar o que iria fazer de jantar.
São prazeres que à primeira vista parecem nunca vir a se-lo mas acabam por conquistar quando começamos a ter, naquele momento, a sensação de que podemos ser pequenos artistas.

Desabafos

Que jogada simplesmente fantástica!!!
Nem sei dizer-te quantos pontos ganhaste mesmo que não sirvam rigorosamente para nada.

You 're a professional, my friend!

Momento cartoon #55


O que a alma anseia

Minha alma pede-me para ir, libertar-me das amarras e ir, com ou sem destino mas ir. Sem tempo, sem pressa, sem nada para procurar a não ser a mim.
Tantas vezes vivo este desejo sem saber como fazê-lo, imaginando-me vezes sem fim simplesmente a ir, sem medos, sem mil reflexões de prós e contras.
Não há sítio específico que gostasse de ir, apenas ir por sentir-me a sufocar, por olhar à volta e ver o mesmo há 30 anos, e a cada dia que passa ver a paisagem pintar-se de cinzento, sem graça, sem cor, sem brilho, apenas um cenário que para uma alma tristonha torna-se a zona de conforto feita de areias movediças que prendem-me e matam-me aos poucos, apagam a minha essência.
O sorriso mantém-se assim como um vislumbre de esperança que algo em mim brote, desperte, volte a limpar o meu olhar e a ver tudo com as cores da vida. Talvez por isso minha alma julgue puder encontra-lo longe de onde estou, de onde sempre estive.
Olho o mundo de uma ponta à outra, imagens, reportagens, relatos de experiências vividas por outros na espera de que algo faça sentido, um ponto chame por mim e sinta que deva ir. Que ridículo mas tão verdade. 
No entanto sei que voar não é a solução. O que minha alma procura não é um sítio especifico para ir mas um sítio onde sinta-se bem-vinda e desejada, onde encontre paz interior, amor infinito e a certeza de não correr o risco de afundar-se nas areias.
Continua a ser ridículo mas também continua a ser verdade.

.

'É como se mil pessoas se importassem com você, menos uma. E, de alguma forma, era a única que você necessitava que se importasse...'

Caio Fernando de Abreu


Inverno, outra vez, não!

Esta caminhada a passo acelerado para o Outono deixa-me melancólica. Não o tempo todo, é claro, mas sempre que desperto para o assunto.
O Outono e o Inverno, apesar dos seus muitos encantos, não são as estações que mais gosto. O frio, a chuva, o vento, o excesso de roupa, a humidade e principalmente o Natal (que pelo que li no outro dia faltam 16 semanas) são coisas que dispensava com imensa vontade. 
Mas tento transformar este mau-estar de alguma forma até porque ainda irei gozar as minhas férias de Verão agora em Setembro e são três semanas a aproveitar para muita coisa. No outro dia abracei esta caminhada com a compra de um cachecol. Verdade, um cachecol. Há coisas que, por causa do calor, nem sequer conseguimos pegar mas nem mesmo o sol que brilhava fora da loja travou-me e tentei ficar contente com o facto de que, quando chegar o meu 'inferno' já tenho uma pequena peça nova para estrear. 
Mas não queria, sério que não queria viver o Inverno de novo. Traz-me sensações tão desconfortáveis que preferia fazer como os ursos e hibernar. Faria-o sem qualquer remorso. É tão triste e solitário. 
Porque não nasci num país tropical?

A falta de amor irrita-me

Quando? Quando tornou-se tão difícil amar? Quando tornou-se quase que impossível sonhar ou ter esperança de voltar a sentir uns dedos entrelaçados nos nossos e deixar escapar suspiros de amor, palavras de carinho, abraços de eternidade?

O que vejo diariamente é apenas uma luta cada vez mais acentuada entre homens e mulheres. Eles chamam-lhes de vacas e mulheres fáceis, elas de cabrões e mulherengos e mostram-se todos insatisfeitos afirmando convictamente que já não há pessoas que queiram amar e assumir compromissos e quando vamos a ver são os primeiros a recusarem por não 'estarem preparados'.

O tempo passa e vão ficando cada vez mais mesquinhos, picuinhas, ou, nas suas palavras, 'exigentes', 'sem idade para aturar determinadas merdas'. Mas relacionamentos é mesmo aturar determinadas merdas! Faz parte.

Irrita-me esta situação que, a meu ver, tende a piorar à medida que o tempo passa. Irrita-me que hajam pessoas que achem que o facto de alguém estar disposto a namorar é sinal de que não aprendeu com os erros, que queira casar seja sinal de estupidez e fora de moda. Irrita-me que as pessoas deixem o tempo passar e sintam-se cada vez mais deslocadas, sozinhas, meros espectadores de histórias de amor da vida alheia. Irrita-me perceber o número crescente de pessoas que dispõem-se a viver do flirt e das relações de apenas uma noite (ou manhã, ou tarde conforme a conveniência) e acham que estão mais correctos que os demais porque essa é 'a nova forma de amar'. Dá mais jeito, é mais fácil, não implica nenhum esforço, protege de futuras mágoas. Irrita-me que repitam por entre posts no facebook ou em outras redes sociais que 'quem muito brinca um dia vira brinquedo', como se estivessem a alertar alguém para o erro de gozar com os sentimentos dos outros quando a sua vida é fazer das pessoas o mais descartáveis possível sem qualquer preocupação. Mas são estes os que julgam-se mais moralistas, os que acham-se no direito de apontar o dedo e caluniar o outro porque facilmente meteu-se na sua cama e amanha está noutra quando também o fazem e até já o fazem por hábito. São eles que desacreditam o amor. 

Esta futilidade, esta falta de amor-próprio confundida com excesso de ego tira-me do sério.

Estou muitíssimo cansada desta hipocrisia.

Limpezas 'amigáveis'

Decidi cortar com todos os que gozaram com a minha cara de alguma forma e acham que eu não percebi. Não é por uma questão de orgulho pois não afectam-me dessa forma, apenas por questionarem a minha inteligência. Apenas por isso, e já é mais do que suficiente, não merecem fazer parte da minha vida, seja de que modo for.
Foi um breve prazer conhecer-vos mas agora retirem-se. Obrigada.

.


Pensamentos

Já me esqueci qual é a sensação de 'fall in love'...completamente!

Caminho duro

O mais triste do cenário da crise é sermos obrigados a despedirmos-nos.
Quando colocam-nos a executar funções para as quais não estamos minimamente qualificados sabendo que isso servirá não para despedimento por inadaptação ao posto de trabalho - que até nem era mau pois assim vinha embora com carta de despedimento - mas manipular até ao ponto de não haver mais nenhuma alternativa senão ir mesmo embora é de sentir um nó de raiva a apertar na garganta.
Já não me resta muito mais a fazer senão as contas de como serão os tempos em que nenhum rendimento entrará na conta bancária...
Não vai ser uma caminhada fácil mas não vejo outra saída. Minha esperança é que depois de fechada esta porta uma outra se abra para mim até porque já mereço.

Bom fim-de-semana

Quero ir às compras...

Ontem fui comprar a prenda para a T. e devo dizer que senti fortemente um impulso consumista a apoderar-se da minha pessoa que foi terrivelmente difícil combater. É que vi tantas coisas bonitas, mas tantas...Para sossegar apenas comprei dois cintos. 
Fiquei completamente vidrada em algumas peças, sapatos e carteiras que ficavam tão bem no meu closet...
Eu não era assim...devo estar a tentar compensar alguma falha! :)
Dedos cruzados para o euromilhões de hoje. Ai se eu pudesse...


.


Obrigada peste

Já disse-to mas repito mesmo sabendo que não o vejas aqui (graças a Deus que ainda há privacidade neste boteco).
Obrigada pelo abraço e pelo mimo. Estava mesmo a precisar do teu colinho e tu sabes mesmo como fazer-me sentir bem.

Sair da 'box'

Fazia-se prever uma semana um pouco mais solitária do que o habitual. A E. de férias, a P. nos workshops de dança e o resto da malta que só aparece quando lhes dá na real gana. Mas até que nem me saí muito mal em termos sociais. As idas ao cinema com o B. (meu grande companheiro dos movies) foram preciosas não só para colocar em dia minha cultura cinematográfica como também desfrutar da companhia deste meu grande amigo que adoro de coração. 

Hoje é noite de jantar de aniversário da T. 
Estarei sem as minhas 'muletas' do costume, portanto será um pouco como que entregue à bicharada. Mas a malta o que quer mesmo é comer e beber (bem, de preferência) e estou a precisar de uns desafiozitos na vida pelo que até vai ser engraçado. Também se não estiver a ser agradável é só levantar o rabiote e sair...depois de pagar, é claro!

Amanha outro jantar também de aniversário mas este acho que fiz mesmo mal em ter aceite o convite. É que só conheço mesmo o aniversariante e a porra da festa tem dress code. Não gosto nada de imposições. 

Esta coisa de obrigar-me a sair da zona de conforto e conhecer novas pessoas, alargar os meus horizontes e coisas e tal mexe comigo. Sinto mesmo um nervoso miudinho inadmissível aos 30 anos (pelo menos é o que diz no B.I.).

Momento cartoon #54


Momento cartoon #53


Google hoje

Quem quiser divertir-se um bocadito é visitar a página do google.
Sinto-me um atleta nos dedos! :)

Clique aqui

No mínimo original. Ainda perdi uns bons minutos a jogar e já fizemos competições!!!!


.

"Você é assim,
um sonho p'ra mim,
e quando eu não te vejo..."

Sua peste

Há algo em ti que cria em mim um sentimento de amor-ódio. Não que te odeio de rancor e mágoa. Adoro-te mesmo por tudo o que foste construindo comigo e pela amizade que nos une. Mas saber-te ser da forma como és sem hipótese de mudar, de deixar de cometar as falhas que cometes sabendo-te a pessoa querida que és, de sorriso aberto e olhos brilhantes, um ser sempre pronto a ajudar o amigo e com um carinho para oferecer...raios...odeio-te adorando-te!
Precisava de um abraço teu...

Momento musical

Fez-se luz! Um brilhozinho, vá...

Ontem finalmente levei a pancada (salvo seja) na cabeça que precisava para conseguir perceber o que, nas minhas relações inter-pessoais, chateia-me e deixa-me frustrada. A grande question (em francês) é que, tirando os meus pais, não tenho aquele alguém que realmente se preocupe e lute por mim, que organize a sua vida de vez enquando (como eu também de vez enquando faço) ou se dê ao trabalho de planear algo comigo, situação que cria em mim um sentimento de isolamento e solidão um tanto ao quanto tristonho e introspectivo.
Para entender a gravidade da questão para mim, tive as lágrimas nos olhos ao ver o filme Ted e quis mesmo um Ted só para mim.
Não me armo em coitadinha pois é um posto que pretendo nunca ocupar. Não preciso de convite para pôr os pezitos fora de portas e sou auto-suficiente para por-me a caminho sozinha (acompanhada sabe sempre melhor, dependendo para onde se vai), e assim, sem mais rodeios, faz-me realmente falta alguém que tivesse mais disponibilidade de caminhar ao meu lado e comigo fizesse uma espécie de equipe. Depois de admitir isto para mim tornou-se muito mais fácil entender os meus swings de humor que até arrepiam e já levavam-me a colocar a hipótese de tratamento.
Posto isto, uma primeira mudança já foi feita e daqui a poucos dias irei conhecer mais e nova gente o que dar-me-à a oportunidade de também alargar os meus horizontes e sentir-me um pouco mais parte de algo, parte do mundo. É que viver naquela caixa já estava a ser demasiado para mim.

Citações

'Seja alguém simples. 
Seja algo que você ama e entende. 
Esqueça o resto, tudo que você precisa está na sua alma e em seu coração.' 

Caio Fernando de Abreu

Momento musical

Pensamentos

Se as pessoas não fazem intenção ou não gostam de cumprimentar porque fazem-no deixando escapar propositadamente um leve suspiro de frete?

Porca miséria!

Perdi meu anel de estimação...10 anos de companheirismo levados por um pontapé do meu gato para parte incerta...

(nada de criticas, era de prata! :p)

Hoje é o dia

'Hoje não é dia para fazeres nada do que estás habituado. Não é dia de perdurar, nem de acalmar as hostes. Nem de orar. Nem de sair. Nem de desabafar. Hoje, não é para te recostares ao sol, nem para apreciares a lei. Não é dia para rasgares a voz, nem para bradares aos céus. Hoje não é para correr, hoje é para parar. 

Quieto. Assim. Triste. Pois é. É dia de ficar, ficar simplesmente na imensidão do mundo e pairar, na ponta da minha mão. Hoje é dia de venerar o mestre, de adorar a energia. É dia de ofertares favores em forma de gratidão. É dia de olhares o tempo, adorando o infinito. E de deixares o coração bater, somente. 

Hoje é dia de tudo o que haja de subjectivo na terra. O que não tem nome. O que não tem idade. O que não tem forma. Hoje é dia de algo que só quem já foi, só quem já sentiu, só quem acede pode saber o que é.' 

Jesus 

Recebi este texto por mail. Há textos que chegam até mim num tempo perfeito, como se realmente soubessem quando devem, quando fazem sentido. E hoje estou assim.

:(


Fui cobarde

Lamento, serio que sim. Tinha intenção de fazer-te sentir que magoaste-me mas não queria chegar ao ponto que cheguei e o remorso come-me por dentro.
Lamento mesmo por ter achado que por não entenderes terias de fazê-lo da pior maneira e descarreguei em ti o monstrinho que vive dentro de mim.
Há palavras e actos que, como o povo diz, são como a flecha que depois de lançada não regressa e não posso voltar atrás no tempo para respirar fundo e esperar que a calma resolva.
A tristeza hoje é um estado de espírito mais acentuado.
Lamento.

Alguém quer adoptar a Teresinha?


A Teresinha é irmã do meu Ruca, portanto fez 3 mesinhos ontem. Está à procura de um lar 5* para morar. Provisoriamente está numa casa na Trofa, onde nasceu. Se alguém estiver interessado em adoptar por favor entre em contacto pelo meu mail (smbmachado@gmail.com)
Obrigadas da Teresinha com lambidelas e beijocas.


Planos para logo à noite?


Aurea no Mar Shopping. 
Cool!

.

Há crimes tão hediondos que fazem-me sentir um misto de medo e tristeza do e pelo ser humano

Momento musical

Mensagens virtuais

Gosto imenso de ler as frases que algumas páginas que sigo no facebook colocam diariamente. Muitas delas são a verbalização de pensamentos e identifico-me bastante, não fosse isso não as seguiria. Mas também há as frases directas e indirectas sobre o amor e a amizade que muitas pessoas usam como forma de atingir determinado alvo, mais provavelmente sem o alvo sequer perceber que é para ele.
Nem sei se consigo achar piada a estes recadinhos de estados de espírito cuja única intenção é demonstrar que sabem mas não fazem nada mais do que clicar num 'like' ou repostar.
A vida é mais do que a internet e isto escrito por alguém que sente-se maravilhosamente bem em ter vários espaços onde debitar a imensa informação que este cérebro processa (mas que também desconecta-se por completo quando desliga este computador).
Já percebemos que são pessoas inteligentes e que vão mais à frente, captaram a emoção, sabem o que se passa e querem que o outro saiba que eles sabem mas não será muito mais proveitoso e fácil, em vez de sentirem-se tristonhos, culpabilizarem-se e ficarem sentados em cima das emoções, desculparem-se e esconderem-se por detrás dessas mensagens, cuidar dos relacionamentos com cuidado e atenção que merecem para evitar maus sentimentos?

Adivinhem quem faz 3 mesinhos hoje?


É o meu menino! 
Parabéns Ruca!

Conversas por chat

Em conversa com um amigo sobre o futuro (mais certo, inexistente) da empresa onde trabalhamos:

Eu: estou preocupada com o amanhã, é verdade mas...um pontapé no cú empurra pa frente!
R.: qualquer coisa que bata no cú empurra pa frente! :D

Era para ser uma conversa séria e silenciosa mas acabou com a minha gargalhada audível.
Tem lógica, tem!

La mini-siesta

Sabe-me tão bem os minutinhos em que posso tirar uma soneca depois do almoço...

Ser mázinha


As palavras que te direi à parte

No outro dia foi-me pedido para escrever umas frases sobre a amizade. Caso estiverem em condições poderão fazer parte de uma homenagem que iremos fazer a uma amiga, por sinal uma das minhas melhores amigas e irmã de coração, como despedida do sítio onde trabalha e onde fez muitas amizades. Deveria ser algo fácil de exteriorizar por todo o amor que lhe tenho mas na altura de fazê-lo as palavras não saiam. Como exprimir em palavras o amor que sentimos por alguém sem cair na banalidade? Esse é o primeiro ponto. O segundo ponto é ter de adequa-lo para que fique um pouco mais semelhante ao que as outras 40 ou 50 pessoas poderão, cada uma à sua forma, sentir e não torna-lo demasiado pessoal. Afinal, será uma mensagem comum. Não digo que gosto mais que os outros, não me considero desse modo arrogante, mas com certeza não descrevem a amizade que sentem da mesma forma que eu. O que viveram com ela não é igual, o que partilham com ela também não portanto há ajustes a fazer. Mas é o mesmo que apetecer-me escrever 'és uma luz na minha vida' e ter de reduzir a luminosidade.
A amizade não se consegue descrever assim em meia dúzia de palavras. Consegue-se sim dizer o que agradecemos pela existência da pessoa na nossa vida, o que faz-nos sentir e o que esperamos retribuir mas serão sempre só palavras. O sentimento só mesmo os poetas conseguem dar-lhe vida e esses para mim não são meros mortais.
As palavras ficam assim, apenas palavras que a pessoa irá ler no momento, talvez reler mais tarde e sentir-se tocada. O resto existe pela vivência e convivência, pela partilha, pelo que é dito em silêncios. Essas serão as palavras que não estão presentes no meu contributo mas que são ditas à parte, no quotidiano, no dia-a-dia e essas mais ninguém precisa de saber, só desejo que as consigam ler também.


.

Anseio por tantas coisas novas que já lhes perdi a conta

Preciso do rock 'n roll

Tudo parece tão diferente e ao mesmo tempo tão igual que, num estado quase que hipnótico, fecho os olhos e aproveito o ar condicionado para imaginar-me a sentir o vento no rosto e sair de onde estou para outras paragens. É a estupidez no limite, o aproveitar de uma situação de momento para conseguir sentir-me um pouco mais próximo de onde deveria de estar, sentir o que deveria sentir.
Nem sempre a sensação de liberdade e paz é tão reconfortante como deveria. Não desgosto deste viver sem sentir nada mais do que devo, apenas por quem devo, encontrar-me vazia de paixões. Apraz-me até ter o meu tempo, o meu espaço e puder olhar o meu umbigo à hora que bem apetecer-me. Mas a liberdade e a paz trazem consigo um preço e neste caso é esse mesmo não sentir nada, rigorosamente nada, nem mesmo a leve esperança de vir a sentir por habituação ao nada, ao vazio. Não desgosto mas há dias que aflige-me por não saber se não sinto porque não calha ou por já não saber como fazê-lo. 
A calma faz parte de mim, do meu coração, da minha alma mas sinto uma ligeira falta do turbilhão...

Ser famoso...

...é escrever no Facebook: 'rise n shine!! its puffpuffpasstuesdays!!' e em 23 minutos ter 14.130 gosto, 935 comentários e 323 partilhas!
Uma pérola escrita por Snoop Dogg.

E ainda perco tempo com textos e pensamentos profundos...

Mudanças no blog

Apeteceu-me mudar. Mudar o layout, as cores, até mesmo o título já alterado há alguns dias...
Estou a precisar de mudar, de sentir-me quase como nova, rejuvenescida. Preciso de alegria e luminosidade. Preciso de sentir que consigo mudar bastando para isso querer. 
O 'Preto no Branco' faz parte da história e não digo que jamais voltará. O conceito é o mesmo, a estrutura, a organização, a forma de pensar também ou não fosse o cérebro por detrás desta bosta o mesmo, mas pequenas mudanças sabem-me bem e aqui estão. Amanhã provavelmente muda novamente, ou não, consoante a vontade porque nada é eterno, nada é perene, nada é imutável. E eu também não o sou. 
Saudações jupiterianas :)

Momento musical

Gostos não se discutem! No way!!!

Tenho uma amiga que costuma dizer-me que, em questões de homens, nunca havemos de chatear-nos pois temos gostos completamente diferentes. Em muitos aspectos concordo com ela, só não posso concordar quando diz-me que acha o Gotye um homem feio. 
Aquele ar de menino juntamente com aquele olhar é tudo menos feio. 



Imagens retiradas da internet

Não me importo nada de aprecia-lo sozinha. Nadinha de nada!


C.S.I. Porto

Precisava de um daqueles programas todos xpto do C.S.I. para encontrar uma pessoa.
Já dei voltas e mais voltas e não há meio de encontra-la! É que não há nem um registozinho sequer...damn!

Jogadoras

Sábado passado as ninas foram ao casino da Póvoa.
Já há muito tempo que andávamos com  ideias de lá ir e como estava uma noite que convidava a um programa diferente pusemos-nos a caminho. Forretas como somos (ou precavidas) decidimos logo que mais do que 10€ cada uma não gastaríamos. Já dava para divertirmos-nos um pouco e sair sem problemas de consciência.
Confesso que quando começamos a jogar e vemos alguns euros a cair de prémio sinto a adrenalina e o desejo de arriscar cada vez mais, mas a veia forreta é latejante e permanece sempre presente. É um ambiente engraçado. Vemos todo o tipo de pessoas (e muitos chineses a esbanjar aos 100€ de cada vez). Tirando a P. que apostou logo os 10€ nas slot machines e não estava em noite de sorte portanto disse-lhes adeus, eu e a B. saimos do casino conforme entramos, ou seja, apostamos 10€ e ganhamos 10€. O auto-controle tem de ser grande e quando no nosso prémio atingimos os 10€ e as máquinas já não estavam a ser boazinhas, viemos embora. Saí de lá um bocadinho desconsolada. Queria, na verdade, sair podre de rica até porque de tarde tinha jogado uma raspadinha com a minha mãe e ganhamos 4€. Estava convencida que podia ser uma onda de sorte  mas afinal não era noite para isso. 
Valeu o passeio e a excelente companhia. Adoro quando saímos as três!


Imagem retirada de Google Images

Shit happens (ou merda acontece)

É mês de levar o carro à inspecção. Para não faltar ao trabalho e porque meu Pai tem mais flexibilidade de horários, faz-me esse grande favor. Por si só já é uma chatice mas tem de ser. Pior mesmo é quando chega lá com o carro e na carteira dos documentos não encontra o documento único em lado algum. Não fazemos a mínima ideia o que aconteceu ao b.i. do meu popó, o que é certo é que foi-se como a fumaça. Desapareceu. A juntar a isso o carro já deveria ter sido inspeccionado em Julho do ano passado mas os cabeças no ar nem reparam pois a vida é acelerada e os anos passam a correr. Portanto, não faço a mais pálida ideia há quanto tempo ando ilegal na estrada e com a graça de Deus a polícia não me liga puto (tenho provas mais do que suficientes dessa situação). 
Assim sendo, lá foi o Papi ao notário requisitar segunda via do documento único e com a guia provisória levar o carro à inspecção. O dia ainda não terminou, o carro ainda agora foi para o centro de inspecções portanto posso estar em vias de levar com uma reprovação em cima caso a lei karmica hoje não me deixe descansar.
Estava eu a chorar os míseros euros da inspecção e toca a gastar mais no notário...boa!

Imagem retirada daqui

Pensamento


Li e achei interessante:

É possível que 'lar' seja uma pessoa e não um sítio?

Estar e ser no Porto


Eu vi-me (do verbo ver, nada de confusões maldosas)

Passada a estupidez do título eis o que interessa-me escrever.
Creio que só no outro dia tive um momento ah ah! - sobre mim mesma. 
Não pretendo escrever um comentário egocêntrico e convencido, nada disso, apenas uma partilha de algo que para mim significa muito, significa uma tomada de consciência que já precisava ter tido há mais tempo.
Eu tenho espelhos em casa, eu visto-me a olhar para o espelho, arranjo-me a olhar para um e sei quem sou, como sou. Ver-me de forma consciente, digamos assim, não traz nada de novo. Já há muito tempo que não olhava-me de uma forma 'inconsciente', ou, como poderei explicar-me melhor, com olhos exteriores a mim, que podem analisar-me de maneira imparcial na medida do possível.
Ia eu na rua quando, ao atravessar a estrada, vejo o meu reflexo numa montra de uma loja. Gostei do que vi naqueles segundos em que percebi que era eu ali reflectida. Vi uma mulher interessante, segura no seu andar, na sua postura, alguém que caminhava e sabia para onde, sem dúvidas e receios. Admirei-me por ser eu. Recordei quase que de imediato as palavras de um grande amigo meu que, aqui há uns meses, quando nos encontramos para um café, disse-me que tinha ficado a observar-me enquanto dirigia-me a ele e não entendia como uma mulher que conversava tantas inseguranças e receios da vida, que mostrava um lado tão fragilizado nas palavras, caminhava de uma forma tão segura, forte e até mesmo algo empertigada. Naquele momento sorri perante as  palavras dele mas, apesar de terem ecoado e soado bem, não fizeram sentido para mim. Mas no outro dia percebi o que H. queria dizer-me, demorou mas entendi porque vi o mesmo que ele.
Não sabia-me com uma postura tão forte e pensei para mim mesma como, nos últimos tempos, tenho construído na minha mente uma imagem de mim fraca e demasiado sensível. 
Estou errada comigo, tenho feito um enorme erro e por conta disso fechei-me a imensas coisas da vida mas naquele momento ah ah! - tive o que precisava para um wake up call. E aos poucos tenho corrigido esses erros, não por mais ninguém mas por mim, pela mulher que vi reflectida.

A juntar à sexta-feira 13...não sei não!

Fiquei a pensar no caso da tv que se desligou sozinha como contei aqui. Ontem voltou a repetir-se a situação. É verdadeiramente assustador sair de casa tomando as devidas atenções de que deixo a tv ligada e que não sou maluca, regressar, aquela porra estar desligada novamente e decididamente não poder ter sido o Ruca pois o comando da tv estava intocável. 
Já me questionaram se tenho o temporizador da tv ligado e não tenho. Noutros dias, mal chego a casa do trabalho ao final da tarde ligo a tv e ela fica ligada até eu ir para a cama e estou por casa o tempo todo, (muita das vezes nem reparo na tv portanto permanece no mesmo canal um bom par de horas) não me ausento e a bandida não se desliga nenhuma vez. Mas eu saio de casa e ela apaga-se sozinha. Ainda fiquei um tempo a olhar para a coisa quando cheguei e num misto de medo e cepticismo desvalorizei a questão para puder ir para a cama sossegada e sem receios parvos. Eu devo estar a ficar maluquinha de vez, só pode!! 

Calor esquisito

Apesar de ser meados de Julho, sei que estamos longe do pico do verão quando, depois de tomar um café à noite numa esplanada, dou por mim a ir para casa com a sofagem do carro ligada no quente e virada para os pés! 
Climazinha mais parvo!

Gato poupado

Ontem depois do jantar decidi ir tomar um café, algo que já não fazia há alguns dias não só para descanso mas também para fazer um bocadinho de companhia ao Ruca que, coitadinho, fica o dia inteiro sozinho (eu sei, eu sei!!). Para que não voltasse a sentir-se abandonado decidi, até um bocado renitente, deixar a tv ligada para dar luz, som e fazer um pouco de companhia. Não gosto nada de deixar coisas ligadas quando ausento-me, por uma questão de segurança e poupança, mas senti-me melhor deixar assim, seria por pouco tempo. Quando regresso e abro a porta de casa espero ver, vinda da sala, alguma claridade quando deparo-me com a casa escura. Ainda meio confusa, porque tenho andado toda trocada, duvidei se teria apagado a tv, sem querer, antes de sair num gesto reflexo contrário ao que pretendia, mas não! Lembrei-me que ao fechar a porta eu vi a luz da tv. Ora, o comando da tv estava em cima da mesa e o Ruca a dormir. Estou em crer que a tv devia-lhe estar a incomodar de alguma forma porque ele desligou-a. Tenho um gato poupadinho! 

Momento musical

Pensamentos

‎'Eu não tenho mais tempo para ser aquela pessoa certa na tua hora errada.' 

Marla de Queiroz

É só desgraças

O que se passa que nos últimos tempos só aparecem-me à frente historias de desgraças? 
Visito o facebook diariamente e vejo-me obrigada a ocultar imensas histórias não por desprezo mas porque não aguento sequer que aquilo esteja ali, frente aos meus olhos, e que cada vez que passo por elas sinto um nó no estômago. Então se forem crianças e animais fico aterrorizada.
As pessoas têm que ser informadas, eu sei disso, mas ver tanta crueldade com seres humanos e animais assim exposta, muitas das vezes com o direito à imagem da vítima, deixa-me um farrapo. 
Acho que estão a cair em exageros. Não quero parecer cruel e passar a ideia que prefiro viver na ignorância porque não vivo, eu sei que casos de violência ou de doença acontecem, apenas não queria estar constantemente a ser bombardeada com coisas que, principalmente neste momento, afectam-me e muito ao ponto de, por várias vezes, questionar como é possível viver num mundo assim.
E enquanto aqui escrevo tenho noção que tanta coisa está a acontecer e não tenho sequer uma ideia, mas deixem-me estar assim por favor...

Momento musical

Pensamentos

'Eu gosto de olhos que sorriem, de gestos que se desculpam, de toques que sabem conversar e de silêncios que se declaram' 

 Machado de Assis

.

'Algum tempo atrás, talvez uns dias, eu era uma moça caminhando por um mundo de cores, com formas claras e tangíveis. Tudo era misterioso e havia algo oculto; adivinhar-lhe a natureza era um jogo para mim. Se você soubesse como é terrível obter o conhecimento de repente - como um relâmpago iluminado a Terra! Agora, vivo num planeta dolorido, transparente como gelo. É como se houvesse aprendido tudo de uma vez, numa questão de segundos. Minhas amigas e colegas tornaram-se mulheres lentamente. Eu envelheci em instantes e agora tudo está embotado e plano. Sei que não há nada escondido; se houvesse, eu veria.' 


Frida Kahlo

E hoje à noite vai ser assim


Tenho encontro marcado com este senhor.


Didácticos?


Pelo menos fizeram-me rir logo pela manhã!!
Porque não havia disto no meu tempo de criança! Hehehe!
Conheço alguém que iria adorar!


.

'Anda comigo ver os aviões...'

Nada mau pensado


Recém mamã

Isto de se ter, de repente, uma criança para cuidar tem o que se lhe diga. E quem diz criança diz o Ruca, o felino.
Custa-me imenso que passe este tempo todo sozinho e tenho-o quase que constantemente no pensamento. Ele é um autentico bebé e tantas horas sozinho não lhe devem saber nada bem mas também nada posso fazer para atenuar essa questão. 
Tenho tentado, nestes últimos dias, passar o fim do dia e a noite com ele e compensar-lhe a atenção que não posso dar-lhe durante a tarde e mesmo quando durmo pois feitas as contas, não são muitas as horas que faço companhia o que deixa-me de consciência pesada. Espero que, com o tempo, ele compreenda e se habitue à ideia até porque não irei ficar todas as noites a fazer-lhe companhia. Se a vida social já era fraca não a posso anular por completo.
Mas consigo, com isto, perceber que ter um animal para cuidar ensina-nos imensas coisas e das primeiras que já aprendi foi que não devemos ter medo de nos darmos. O Ruca veio para um lar estranho e de um momento para o outro ficou nas mãos de alguém que desconhecia mas não teve medo de entregar-se, de dar-se a conhecer, e de dar e receber carinho. E ele tem toda a razão. 
Tem alturas que fico a olhar para ele e considero-o um valente. Mais corajoso que eu e só tem dois meses!


Momento musical

Street Art


World’s Largest Coffee Mural Made of 1 Million Coffee Beans Russian artist Arkady Kim has recently created the world’s largest coffee bean mural weighing 397 pounds and spanning about 30 square meters. 
“The Awakening” was made out of 1 million coffee beans and took twelve days to complete.
Simply beautiful 


Pensamentos

'O silêncio tem-me dado respostas que eu jamais queria escutar...
É incrível como ele grita quando eu insisto em não ouvir.'

Aline Lopes