Como a aparência se torna ser

"Se uma pessoa quiser, durante muito tempo e persistentemente, parecer alguma coisa, consegue-o pois acaba por se lhe tornar difícil ser qualquer outra coisa"

Friedrich Nietzsche in Humano, Demasiado Humano

Amizade verdadeira e genuína

"(...) não trocaríamos mais nenhuma palavra com a maioria dos nossos bons conhecidos se ouvissemos como falam de nós na nossa ausência"

Arthur Schaupenhauer in Aforismos para a Sabedoria de Vida

Amizade

"Os amigos dizem-se sinceros, os inimigos o são. Sendo assim, deveríamos usar a censura destes para nosso auto-conhecimento, como se fosse um remédio amargo."

Arthur Schopenhauer in Aforismos para a Sabedoria de Vida

Ambição

"Um homem que aspira a coisas grandes considera todo aquele que encontra pelo seu caminho, ou como meio, ou como retardamento e impedimento, - ou como um leito de repouso passageiro. (...) esta espécie de homem conhece a solidão e o que ela tem de mais venenoso."

Friedrich Nietzsche in Para Além de Bem e Mal

O dever para nós próprios

"Influenciar uma pessoa é dar-lhe a nossa própria alma. O indivíduo deixa de pensar com os seus próprios pensamentos ou de arder com as suas paixões. As suas virtudes não lhe são naturais. (...) Torna-se o eco de uma música alheia, o actor de um papel que não foi escrito para ele."

Oscar Wilde in O Retrato de Dorian Gray

A órbita da alma

"(...) conhecermo-nos a nós próprios. É a primeira realização do conhecimento. Mas reconhecer que a alma de um homem é incogniscível é a maior proeza da sabedoria."

Oscar Wilde in De Profundis

Alma

"Se alguma coisa há que esta vida tem para nós, e salvo a mesma vida, tenhamos que agradecer aos Deuses, é o dom de nos desconhecermos (...). Ninguém se amaria a si mesmo se deveras se conhecesse... . Ninguém conhece outro, e ainda bem que o não conhece, e, se o conhecesse, conheceria nele (...) o íntimo, metafísico inimigo."

Fernando Pessoa in Livro do Desassossego

Soltas...

"Algumas pessoas nunca dizem uma mentira - se souberem que a verdade pode magoar mais."

"Devemos ser gratos aos idiotas. Sem eles, o resto de nós não seria bem sucedido."

"Se um amigo te pede dinheiro, pensa bem qual dos dois preferes perder: o dinheiro ou o amigo?"

"O nome do maior dos inventores: acaso."

"Tudo o que é preciso na vida é ignorância e confiança; depois, o sucesso está garantido."

"Creio que o nosso Pai Celeste inventou o homem por estar desapontado com o macaco."
"Na dúvida, digam a verdade."

"Se estiver zangado, conte até cem; se estiver mesmo muito zangado, blasfeme."
"Coragem é a resistência ao medo, domínio do medo, e não a ausência do medo ."

Mark Twain

O belo é necessário

"Neste mundo o lindo é necessário. Há mui poucas funções tão importantes como esta de ser encantadora. Que desespero na floresta se não houvesse o colibri! Exalar alegrias, irradiar venturas, possuir no meio das coisas sombrias uma transmudação de luz, ser o dourado do destino, a harmonia, a gentileza, a graça, é favorecer-te. A beleza basta ser bela para fazer bem. Há criatura que tem consigo a magia de fascinar tudo quanto a rodeia; às vezes nem ela mesmo o sabe, e é quando o prestígio é mais poderoso; a sua presença ilumina, o seu contato aquece; se ela passa, ficas contente; se pára, és feliz; contemplá-la é viver; é a aurora com figura humana; não faz nada, nada que não seja estar presente, e é quanto basta para edenizar o lar doméstico; de todos os poros sai-lhe um paraíso; é um êxtase que ela distribui aos outros, sem mais trabalho que o de respirar ao pé deles. Ter um sorriso que - ninguém sabe a razão - diminui o peso da cadeia enorme arrastada em comum por todos os viventes, que queres que te diga? é divino."

Victor Hugo, in 'Os Trabalhadores do Mar'
"Não creias alma querida na vida eterna mas esgota o campo do possível"

Píndaro

O Desejo Comanda a Vida

"A vida é curta e tediosa: passa-se inteira no desejar. Adiam-se para o futuro o repouso e as alegrias, muitas vezes até à idade em que os melhores bens, a saúde e a juventude, já desapareceram. Essa época chega e ainda nos surpreende em meio a desejos; estamos nesse ponto quando a febre nos arrebata e extingue: caso nos curássemos, seria apenas para desejarmos por mais tempo."

Jean de La Bruyére, in 'Do Homem'

Thought for today

"Quem sabe esperar o bem que deseja não toma a decisão de se desesperar se ele não chega; aquele que, pelo contrário, deseja uma coisa com grande impaciência, põe nisso demasiado de si mesmo para que o sucesso seja recompensa suficiente. Há pessoas que querem tão ardente e determinantemente certa coisa, que por medo de perdê-la, não esquecem nada do que é preciso fazer para perdê-la. As coisas mais desejadas não acontecem; ou se acontecem, não é no tempo nem nas circunstâncias em que teriam causado extraordinário prazer. "

Jean de La Bruyére, in 'Os Caracteres'

A Fronteira Entre a Amizade e o Amor

"Há na pura amizade um prazer a que não podem atingir os que nasceram medíocres. A amizade pode subsistir entre pessoas do mesmo sexo a diferentes, isenta mesmo de toda a materialidade. Uma mulher, entretanto, olha sempre um homem como um homem; e reciprocamente, um homem olha uma mulher como uma mulher; essa ligação não é paixão nem pura amizade: constitui uma classe aparte. O amor nasce bruscamente, sem outra reflexão, por temperamento, ou por fraqueza: um detalhe de beleza nos fixa, nos determina. A amizade, pelo contrário, forma-se pouco a pouco, com o tempo, pela prática, por um longo convívio. Quanta inteligência, bondade, dedicação, serviços e obséquios, nos amigos, para fazer, em anos, muito menos do que faz, às vezes, num minuto, um rosto bonito e uma bela mão!
O tempo, que fortalece as amizades, enfraquece o amor. Enquanto o amor dura, subsiste por si, e às vezes pelo que parece dever extingui-lo: caprichos, rigores, ausência, ciúme; a amizade, pelo contrário, precisa de alento: morre por falta de cuidados, de confiança, de atenção. É mais comum ver um amor extremo que uma amizade perfeita. O amor e a amizade excluem-se um ao outro. Aquele que teve a experiência de um grande amor descuida a amizade; e quem se esgotou na amizade ainda não fez nada para o amor. O amor começa pelo amor, e só se passaria da mais forte amizade para um amor fraco. Nada se parece mais com uma viva amizade do que essas ligações que o interesse do nosso amor nos faz cultivar."
Jean de La Bruyére, in "Os Caracteres"

A Mentira é a Base da Civilização Moderna

"É na faculdade de mentir, que caracteriza a maior parte dos homens actuais, que se baseia a civilização moderna. Ela firma-se, como tão claramente demonstrou Nordau, na mentira religiosa, na mentira política, na mentira económica, na mentira matrimonial, etc... A mentira formou este ser, único em todo o Universo: o homem antipático. Actualmente, a mentira chama-se utilitarismo, ordem social, senso prático; disfarçou-se nestes nomes, julgando assim passar incógnita. A máscara deu-lhe prestígio, tornando-a misteriosa, e portanto, respeitada. De forma que a mentira, como ordem social, pode praticar impunemente, todos os assassinatos; como utilitarismo, todos os roubos; como senso prático, todas as tolices e loucuras.
A mentira reina sobre o mundo! Quase todos os homens são súbditos desta omnipotente Majestade. Derrubá-la do trono; arrancar-lhe das mãos o ceptro ensaguentado, é a obra bendita que o Povo, virgem de corpo e alma, vai realizando dia a dia, sob a direcção dos grandes mestres de obras, que se chamam Jesus, Buda, Pascal, Spartacus, Voltaire, Rousseau, Hugo, Zola, Tolstoi, Reclus, Bakounine, etc. etc. "

Teixeira de Pascoaes, in "A Saudade e o Saudosismo"

Paixões humanas

"Eu considero inteligente o homem que em vez de desprezar este ou aquele semelhante é capaz de o examinar com olhar penetrante, de lhe sondar por assim dizer a alma e descobrir o que se encontra em todos os seus desvãos. Tudo no homem se transforma com grande rapidez; num abrir e fechar de olhos, um terrível verme pode corroer-lhe as entranhas e devorar-lhe toda a sua substância vital. Muitas vezes uma paixão, grande ou mesquinha pouco importa, nasce e cresce num indivíduo para melhor sorte, obrigando-o a esquecer os mais sagrados deveres, a procurar em ínfimas bagatelas a grandeza e a santidade. As paixões humanas não têm conta, são tantas, tantas, como as areias do mar, e todas, as mais vis como as mais nobres, começam por ser escravas do homem para depois o tiranizarem.
Bem-aventurado aquele que, entre todas as paixões, escolhe a mais nobre: a sua felicidade aumenta de hora a hora, de minuto a minuto, e cada vez penetra mais no ilimitado paraíso da sua alma. Mas existem paixões cuja escolha não depende do homem: nascem com ele e não há força bastante para as repelir. Uma vontade superior as dirige, têm em si um poder de sedução que dura toda a vida. Desempenham neste mundo um importante papel: quer tragam consigo as trevas, quer as envolva uma auréola luminosa, são destinadas, umas e outras, a contribuir misteriosamente para o bem do homem."






Nicolau Gogol, in 'Almas Mortas'

Agimos sempre no sentido do destino

"No fundo, a sabedoria do destino é a nossa própria. Porque a acompanhamos com uma consciência incessante daquilo que, no fundo, nos é permitido fazer. Podemos estar sujeitos a algumas tentações mas nunca nos enganamos. Agimos sempre no sentido do destino. As duas coisas formam uma só. Quem se engana é porque ainda não Mas quer o compreenda ou não, indica-lho à mesma. Cada vida é aquilo que devia ser.compreende o seu destino. Quer dizer, não compreende qual a resultante de todo o seu passado - o qual lhe indica o futuro. "

Cesare Pavese, in 'O Ofício de Viver'

Destino, acaso ou coincidência

"Podemos muito bem, se for esse o nosso desejo, vaguear sem destino pelo vasto mundo do acaso. Que é como quem diz, sem raízes, exactamente da mesma maneira que a semente alada de certas plantas esvoaça ao sabor da brisa primaveril. E, contudo, não faltará ao mesmo tempo quem negue a existência daquilo a que se convencionou chamar o destino. O que está feito, feito está, o que tem se ser tem muita força e por aí fora. Por outras palavras, quer queiramos quer não, a nossa existência resume-se a uma sucessão de instantes passageiros aprisionados entre o «tudo» que ficou para trás e o «nada» que temos pela frente. Decididamente, neste mundo não há lugar para as coincidências nem para as probabilidades. Na verdade, porém, não se pode dizer que entre esses dois pontos de vista exista uma grande diferença. O que se passa - como, de resto, em qualquer confronto de opiniões - é o mesmo que sucede com certos pratos culinários: são conhecidos por nomes diferentes mas, na prática, o resultado não varia."

Haruki Murakami, in 'Em Busca do Carneiro Selvagem'

Homem animal

"...o homem é, em termos relativos, o animal mais falhado, o mais doente, o mais perigosamente desviado dos seus instintos - sem dúvida também, com tudo isso, o mais interessante!"


Nietzsche in O anticristo

Compaixão

"Quando alguém se compadece, perde a força. Pela compaixão aumenta-se e multiplica-se o desperdício de energia que o sofrimento, por si próprio, já tráz à vida. O próprio sentimento torna-se, pela compaixão, infeccioso; em determinadas circustâncias, pode chegar-se a um desperdício global de vida e de energia vital, que se encontra absurda com o quantum da causa..."


Nietzsche in O anticristo


"O amor é estarmos sempre preocupados com o outro."


Marcel Auguste Ferreol

Liberdade


"A liberdade não consiste só em seguir a sua própria vontade, mas às vezes também em fugir dela."


Kobo Abe

Amor e equilíbrio

"...ter um parceiro faz bem na medida em que mantém o coração a arder de amor...no dia em que essa relação propiciar ódios, ressentimentos e todo o tipo de atitudes negativas, em vez de servir, atrasa a evolução humana. (...) O amor que faz evoluir é aquele que é produto duma entrega total entre duas pessoas. O que surge dentro dum círculo fechado que contém no seu interior o masculino e o feminino, o Yin e o Yang, o prazer, o equilíbrio. (...) quanto mais apaixonados e entregues estiverem um ao outro, mais energia circulará entre ambos e mais rapidamente evoluirão."

Laura Esquível in A lei do amor

O Ego

"Há outras causas que impedem o cumprimento da Vontade Divina. A mais maléfica e frequente é o Ego. Toda a gente gosta de se sentir importante, valorizado, reconhecido, galardoado. Para o conseguirem, geralmente utilizam os dons que a natureza lhes deu. Os elogios que recebem à sua forma de escrever, de cantar, de dançar ou dirigir um país faz com que se esqueçam da razão pela qual lhes foram dados esses dons. (...) O poder dar-lhe-á a sensação de que é muito importante. Ao sentir-se importante, julgará que merece todo o tipo de honras e reconhecimentos. Se não os obtiver imediatamente sentir-se-á ofendida, magoada, diminuída, e reagirá com ódio em relação à pessoa ou pessoas que lhe recusaram o reconhecimento. (...) Uma pessoa com problemas de Ego quererá ter ao seu lado um parceiro que seja um objecto apreciado e valorizado por todos os outros. O mais belo, o mais inteligente, etc. Um objecto que só ele possua...O parceiro converter-se-á numa propriedade que dá estatuto e provoca admiração. (...) A única forma de resolver estes problemas é transformando o Ego negativo em positivo através do conhecimento. Quando uma pessoa realmente se conhece em profundidade aprende a amar-se e valorizar-se então pelo que é e não pela pessoa que o acompanha. Este amor por nós mudará a polaridade negativa da nossa aura em positiva...O Ego sofre se alguém nos rejeitar, mas se ultrapassarmos isso através do conhecimento aperceber-se-á de que essa rejeição foi provocada por nós próprios...e a única forma de restabelecer o equilíbrio é através do amor."

Laura Esquível in A Lei do Amor

Auto-conhecimento

"(...) Quando uma pessoa acumula no seu interior ódio, ressentimento, inveja, raiva, a aura que o rodeia torna-se negra, densa e pesada. Ao perder a possibilidade de captar a Luz Divina, a sua energia pessoal diminui e, logicamente, o que a rodeia também. Para aumentar o seu nível energético, ecom ele o nível de vida, é necessário libertar essa energia negativa. (...) De cada um depende depende o tipo de energia que vai entrar em circulação dentro do corpo. (...) O que se deve mudar no interior? A resposta está no passado. Cada um tem de descobrir quais são os problemas que não consegue resolver... . Se não o fizer, manterá laços com o passado que mais cedo ou mais tarde se tornarão pesadas correntes... O conhecimento do passado é o único caminho para soltar essas amarras e cumprir a sua missão..."




Laura Esquível in As Leis do Amor

A Lei do Cosmos

"(...) Tudo o que acontece neste mundo passa por alguma coisa, e não apenas porque sim. Um acto, por mínimo que seja, desencadeia uma série de reacções no mundo. (...) O que acontece é que o homem geralmente se deixa vencer pelas circustâncias. Vê-as como obstáculos inamovíveis perante os quais nada pode fazer, e não há nada mais falso do que isso. (...) A confusão vem do facto de o homem tomar como verdade coisas que não o são. A verdade nunca está fora. Cada um tem a capacidade de se comunicar consigo próprio, de encontrar a verdade. (...) No momento em que negar como verdade a realidade que o rodeia, encontrará a sua própria verdade e obterá paz.
(...) Se uma pessoa resiste ao sofrimento, este rodear-nos-á sempre. Se uma pessoa o aceitar como parte da vida, do todo, e o deixar entrar até esgotá-lo, ficará rodeado de alegria, de felicidade. (...) Toda a acção que realizamos repercute-se no Cosmos. Seria uma arrogância tremenda pensar que somos o todo e que podemos fazer o que nos apetecer. Somos o todo, mas somos um todo que vibra com o sol, com a lua, com o vento, com a água, com o fogo, com a terra, com tudo o que se vê e o que não se vê. E tal como o que está fora determina o que somos, assim também tudo o que pensamos e sentimos se repercute no exterior."


Laura Esquível in As Leis do Amor

O interior da Alma

"O olho do espírito em parte nenhuma pode encontrar mais deslumbramentos, nem mais trevas, do que no homem, nem fixar-se em coisa nenhuma, que seja mais temível, complicada, misteriosa e infinita. Há um espectáculo mais solene do que o mar, é o céu; e há outro mais solene do que o céu, é o interior da alma.

Fazer o poema da consciência humana, mas que não fosse senão a respeito de um só homem, e ainda nos homens o mais ínfimo, seria fundir todas as epopeias numa epopeia superior e definitiva. A consciência é o caos das quimeras, das ambições e das tentativas, o cadinho dos sonhos, o antro das ideias vergonhosas: é o pandemónio dos sofismas, é o campo de batalha das paixões. Penetrai, a certas horas, através da face lívida de um ser humano, e olhai por trás dela, olhai nessa alma, olhai nessa obscuridade. Há ali, sob a superfície límpida do silêncio exterior, combates de gigante como em Homero, brigas de dragões e hidras, e nuvens de fantasmas, como em Milton, espirais visionárias como em Dante. Sombria coisa esse infinito que todo o homem em si abarca, e pelo qual ele regula desesperado as vontades do seu cérebro e as acções da sua vida!

Victor Hugo, in 'Os Miseráveis'

O Riso é o Melhor Indicador da Alma

"A alegria é um dos mais reveladores traços humanos, basta a alegria para revelar as pessoas dos pés à cabeça. Por vezes não há meio de percebermos o carácter de uma pessoa, mas basta ela rir para lhe conhecermos o feitio como às palmas das nossas mãos. Só as pessoas desenvolvidas do modo mais elevado e feliz sabem ser contagiosamente alegres, de uma maneira irresistível e benévola. Não falo de desenvolvimento intelectual, mas de carácter, do homem como um todo. Portanto: se quiserdes compreender uma pessoa e conhecer-lhe a alma não presteis atenção à sua maneira de se calar, ou de falar, ou de chorar, ou de se emocionar com as ideias mais nobres, olhai antes para ela quando se ri. Ri-se bem - é boa pessoa.

(...) Apenas entendo que o riso é a mais certeira prova da alma."


Fiodor Dostoievski, in 'O Adolescente'

Vivemos Para os Momentos Futuros, e Não o Presente

"A ânsia de matar tempo, de liquidar o espaço de dias entre um acontecimento e o que lhe sucede, transmite, tanto em casos de amor como em outros, fins importantes, um estado de alma que se preocupa exclusivamente em atingir esse alvo previamente estabelecido. Não se pensa em mais nada. Semelhante à situação criada quando se sabe de antemão que se vai encontrar determinada pessoa que nos interessa muito. Fica-se incapaz de articular palavra, de estreitar vínculo com quem quer que seja que se nos atravesse no caminho. Está-se a viver em outrem, num estado fora da relação humana do dia a dia. Nem sequer ouvimos os sons, arrepiamos a pele ao tomar conhecimento consciente de notícias que já sabíamos de antemão pertencerem ao domínio público. Esta é também a ânsia do suicida que nada mais faz entre a decisão de cometer o homicídio e a prática do acto extremo."


Ruben A., in "O Mundo À Minha Procura I"
"Há pensamentos que são orações. Há momentos nos quais, seja qual for a posição do corpo, a alma está de joelhos"

Victor Hugo