O Ego

"Há outras causas que impedem o cumprimento da Vontade Divina. A mais maléfica e frequente é o Ego. Toda a gente gosta de se sentir importante, valorizado, reconhecido, galardoado. Para o conseguirem, geralmente utilizam os dons que a natureza lhes deu. Os elogios que recebem à sua forma de escrever, de cantar, de dançar ou dirigir um país faz com que se esqueçam da razão pela qual lhes foram dados esses dons. (...) O poder dar-lhe-á a sensação de que é muito importante. Ao sentir-se importante, julgará que merece todo o tipo de honras e reconhecimentos. Se não os obtiver imediatamente sentir-se-á ofendida, magoada, diminuída, e reagirá com ódio em relação à pessoa ou pessoas que lhe recusaram o reconhecimento. (...) Uma pessoa com problemas de Ego quererá ter ao seu lado um parceiro que seja um objecto apreciado e valorizado por todos os outros. O mais belo, o mais inteligente, etc. Um objecto que só ele possua...O parceiro converter-se-á numa propriedade que dá estatuto e provoca admiração. (...) A única forma de resolver estes problemas é transformando o Ego negativo em positivo através do conhecimento. Quando uma pessoa realmente se conhece em profundidade aprende a amar-se e valorizar-se então pelo que é e não pela pessoa que o acompanha. Este amor por nós mudará a polaridade negativa da nossa aura em positiva...O Ego sofre se alguém nos rejeitar, mas se ultrapassarmos isso através do conhecimento aperceber-se-á de que essa rejeição foi provocada por nós próprios...e a única forma de restabelecer o equilíbrio é através do amor."

Laura Esquível in A Lei do Amor

2 comentários:

  1. Grande texto! Tão verdadeiro! Já li o livro há algum tempo e não me lembrava deste texto.

    ResponderEliminar