Sempre...

Foda-se!!

Estou cansada desta merda de trabalho! Das injustiças, das faltas de respeito, da falta de motivação, dos baixos salários para alguns e os super benefícios para outros, de me sentir enclausurada e inútil...
Estou cansada e farta, muito farta, desta vida estúpida sem nexo, sem sentido, de acordar todos os dias de manhã para vir para um sítio que despreza o trabalho, que não valoriza o trabalhador, que não dá vontade de continuar e de fazer mais e mais. Estou cansada, muito cansada.

ESTOU À PROCURA DE EMPREGO!
Ainda gostava de saber o que foram fazer os dois seguidores que me abandonaram!!
Ai!!

O homem era bruxo

«Nós estamos num estado comparável somente à Grécia: mesma pobreza, mesma indignidade política, mesma trapalhada económica, mesmo abatimento de caracteres, mesmo desleixo de espírito. Nos livros estrangeiros, nas revistas, quando se fala num país caótico e que pela sua decadência progressiva poderá vir a ser riscado do mapa da Europa, citam-se a par, a Grécia e Portugal.»

Eça de Queirós, «Farpas», 1872

Pedro Chagas Freitas

É verdade, sou mesmo!

Miss u


Fazes-me falta.

Tem dias que sim, que fazes-me falta. A cumplicidade, o carinho, o nothing but us...tento não pensar em como até poderia fazer-me bem ter-te mesmo que minha mente grande parte das vezes diga que está bem melhor na sua vida, sem chatices nem preocupações. Talvez a parte de puder partilhar sonhos e desejos seja a que mais falha e a que mais deveria estar presente. Mas não está, não estás, nunca estiveste e nem sei se algum dia estarás pois não sei se, sem querer e sem forçar, também me procuras!
De qualquer forma, sinto a tua falta.

There is one place you can touch a woman that will drive her crazy... her heart.
“Our danger is to think that happiness will come from outside of us, from the things we possess or the power of our group, and not from within us, from the inner sanctuary of our being.”

Jean Vanier

Let me dream a little more...

A morte

Nestas alturas a minha mente tem pensamentos pouco ou nada normais. Das primeiras coisas que penso é "que sorte...tiveste coragem...já passaste por isso...". Assusta-me imenso não saber o que acontecerá, o que serei eu, para onde irei. Não quero que me magoem, não quero sofrer, não quero sentir angústia nem medo, nem estar assustada. Talvez esteja a pedir uma coisa comum. Calma e sossego é o que todos vão desejando, talvez também assustados como eu, mas eu desejo ainda mais. Porque cheguei sozinha partirei sozinha e na mesma assim a solidão é algo que me amedronta e me faz imensa confusão.
Não vivo a pensar nisso mas sempre que me confronto com ela imediatamente sinto por dentro uma espécie de inveja por quem a enfrentou, por quem já passou por ela e com ou sem medo, lá conseguiu. Eu também conseguirei, eu sei, serei forçada a isso, mas não o queria, pelo menos não da pior maneira por respeito a mim, ao meu corpo, a quem eu sou, aos meus sentimentos.
Não queria que chegasse esse dia sem ter antes a certeza que ficaria bem e que tudo iria correr bem. Nem na morte eu queria perder o controlo...

“Change is the essence of life.”

Anatole France

Fase

Não deixes passar esta fase. Não fiques à espera que ela passe. Não fiques à espera que, com ela, passe todo este desconforto e tristeza. Cada fase que vivemos na vida é para ser aproveitada, para ser sentida, para ser integrada.

Integra todos estes acontecimentos na tua energia. Abre a tua estrutura energética para que caibam todas as coisas que te acontecem. Para que elas mexam contigo, para que elas te mudem.

Esta fase é a melhor fase para a tua alma. Ela gosta de mudança, gosta de rearmonização. Deixa que esta fase te mude, te rearmonize. Ela traz consigo o ser que estás para ser, se conseguires senti-la e trabalhar com ela. Não desprezes o poder desta fase. Não te demitas da evolução que ela promove.

E quando tudo tiver passado, quando tiveres cruzado esses mares revoltos,vais por fim encontrar o mundo novo, e vais perceber que eu afinal tinha razão.

Alexandra Solnado

Será?

Mimo

Às vezes o que simplesmente precisamos é de mimo mas nem sempre as pessoas sabem o que é um mimo.
Julga-se que atenção é mimo mas não concordo. Dar atenção não significa dar mimo e mimo é uma coisa que faz muita diferença e muita falta.
Eu sinto geralmente falta de mimo, não de atenção. Sinto falta daquele carinho especial que só um mimo consegue dar, consegue transmitir, preenchendo um pouco o vazio. 
Mas mimo não é algo fácil de encontrar-se e por isso muitas vezes é confundido com atenção e leva a enganos. Mimo é algo mais pessoal, mais intenso. Mimo é algo que nem todos querem dar (conseguir todos conseguem) porque implica uma ligação emocional mais forte, um cuidado mais redobrado. 
E mimo não é algo que poderá apenas provir de um/a namorado/a, mas também de um amigo, de um parente.
Eu gosto de mimo, bastante até. Sou uma mimalha confessa. 

The journey

One day you finally knew
What you had to do, and began,
Though the voices around you
Kept shouting
Their bad advice‚
Though the whole house
Began to tremble
And you felt the old tug
At your ankles.
“Mend my life!”
Each voice cried.
But you didn’t stop.
You knew what you had to do,
Though the wind pried
With its stiff fingers
At the very foundations‚
Though their melancholy
Was terrible.
It was already late
Enough, and a wild night,
And the road full of fallen
Branches and stones.
But little by little,
As you left their voices behind,
The stars began to burn
Through the sheets of clouds,
And there was a new voice,
Which you slowly
Recognized as your own,
That kept you company
As you strode deeper and deeper
Into the world,
Determined to do
The only thing you could do‚
Determined to save
The only life you could save.

Mary Oliver
Dói-me tanto, tanto mas tanto que apetecia-me chorar...
Vou até Barcelona e já volto!

Kisses
Pedro Chagas Freitas

Não precisas de mais

Tudo aquilo de que dispões hoje é o estritamente necessário para passares à fase seguinte da tua vida. Nem mais, nem menos. Só. Assim. Tal e qual. Tudo o que tens hoje à tua disposição é o que necessitas. É óbvio que querias mais. Claro que sim. Claro que gostarias de ter mais condições para – pensas tu – andares mais depressa de encontro aos teus objectivos.

A primeira pergunta que eu te faço é: Será que tens de andar mais depressa? Será que a este ritmo não estarás a capacitar-te mais, a consolidar-te mais,a estruturar-te mais? Será que não atraíste a velocidade exacta de andamento, necessária para conseguires vencer as tuas resistências consistentemente?Será que essa resistência seria vencida se tudo andasse mais depressa?

E a última pergunta que te faço é: Queres que tudo ande mais depressa para chegares mais depressa aos teus objectivos? Quais objectivos? Será que neste caminho mais lento, mais restritivo, não ficarás mais maleável para aceitar que aqueles não são os teus verdadeiros objectivos?

Se queres mais, mais coisas, mais depressa, está na hora de chorar a impotência. Chora. Chora essa impotência de as coisas terem de ser desta maneira. Chora, porque é a única coisa que podes fazer neste momento. Chorar e conformares-te que hoje é o que tens. E mais nada. E não precisas de mais nada.

Tudo o que atraíste neste momento, tudo de que dispões agora é o estritamente necessário para alcançares a próxima fase da tua vida. Querer mais agora, é ego. E isto é tudo o que eu tenho para te dizer.

Alexandra Solnado

Conversas de cabeceira VII

-Porque não falas comigo e me dizes aquelas coisas bonitas?
-Eu digo-te coisas bonitas?!? Hehe!
-Às vezes dizes-me!!! E eu gosto tanto quando as dizes!
-Não fazia ideias!! (sarcasmo)
-És mesmo insensível ou é uma máscara que colocas para não mostrar que afinal também te envolves?
-Que queres de mim?
-Não sei, tem alturas que me pareces mais humano do que realmente pretendes mostrar...nessas alturas sinto que poderia ter mais.
-Não te posso dar mais e no fundo sabes que o mais que te daria seria doloroso.
-Eu sei...
-Sabes como sou, conheceste esta faceta minha!
-Vou sempre pensar que qualquer coisa poderia mudar...
-Achas mesmo? Deixa-te de romantismos que isso são coisas de muitos filmes.
-Seria assim tão difícil mudar? Achas que não conseguirias?
-É contra-natura, sou eu, nasci assim. Porque achas que nos damos tão bem? Não há nada que nos unes!
-Não há nada? Mas então?
-Há algo é claro, óbvio! Tu entendes o que quero dizer!
-Não há sentimento?
-Sim...
-E já paraste para pensar que poderá ser só de tua parte?
-Xiii...não vás por aí senão perdemos o que de bom temos.
-Agora sou-me a ameaça! Credo!
-Credo não, já viste o que isso significa? Não podes misturar as coisas, pensei que soubesses disso, pensei que estaríamos no mesmo barco.
-E estamos...
-Estamos mas com objectivos diferentes...
-E daí? Não é problema meu?
-Desde que continue a ser só problema teu, estou como o outro...estás à vontade. Só não me impliques nas tuas merdas que não quero confusões. Livrei-me delas há pouco tempo.
-Fogo, que forma de te dirigires a quem já fez parte de ti...!
-Tu conheces-me, certo? Sabes como sou, até melhor do que muitos. Porque te surpreendes tanto? É o tal sentimento que te está a amolecer?
-Agora não te conheço ou entao não te via desta forma.
-Eu não sou desta forma tão bruta, mas sinto que tenho de me salvaguardar. Não estou para falar dessas tretas...
-Desculpa, eu calo-me com as minhas tretas...
“The moments of happiness we enjoy take us by surprise. It is not that we seize them, but that they seize us.”

Ashley Montagu
Em vésperas da minha ida a Barcelona estou a ficar doente!
C'um carago!!!

Completamente

Queria que estivesses comigo nesta noite
E eu te envolveria de um jeito
A não deixar-te escapar de mim

Quero viver contigo momentos inesquecíveis de ternura e de romance
Quero te amar intensamente
Com todo o vigor e com toda a força

Te amar, assim, deliciosamente
E fazer com que te percas, simplesmente,
Totalmente entorpecida de desejo
E de prazer

Quero beijar tua boca docemente
Apaixonadamente
Loucamente

Louca mente que me faz querer inexplicavelmente
Estar sempre ao lado teu
Louca mente que te remete a todo instante
Ao pensamento meu

Perdido nos mistérios da loucura de minha mente
Eu só sei que eu te quero de todas as formas
Completamente
Como amada e como amante
Como amiga e como mulher
E passar meus dias nos lugares
Que suponho serem os melhores deste mundo:
Entre tuas coxas
E recostado no peito teu...

Augusto Branco

Todos precisamos...


...de um pouco de romance.

A criatividade

«A vida é uma aventura.» E é assim que ela devia ser vivida. Nunca repetir as mesmas experiências. Sempre inovar, sempre inovar. Pensa que o ser vai à terra fazer a experiência da emoção. E para ajudá-lo nessa tarefa, criámos a experiência na matéria. As experiências na matéria criam emoção e o ser experiência a emoção. É um circuito fechado que funciona muito bem.

Agora imagina aquelas pessoas que nunca criam experiências novas nas suas vidas. Aquelas pessoas que fazem sempre as mesmas coisas, dia após dia, ano após ano. Porque julgam que mudar é mau. Porque não se atrevem, não arriscam, não se atiram do precipício sem saber o seu tamanho nem o que as espera lá em baixo. Nunca põem a possibilidade de EU estar lá em baixo. E de Eu as colocar numa nave para subirem ao céu. Não têm fé. Não fazem comunhão.

Essas pessoas não experienciam a vida na sua maior dimensão. Nunca saem do seu círculo de conforto. Não arriscam. Não perdem, mas também não ganham. E a vida vai ficando previsível. E vai ficando aborrecida. E um dia notam que já não se interessam por nada. É o dia da morte da essência. É o dia em que a experiência da matéria chegou ao fim por falta de matéria-prima. Por falta de experiências. Tudo fica repetitivo, tudo fica sem graça, tudo fica disforme. E a vida não é nada disso.

A vida é uma grande aventura. Com experiências novas para serem vividas. Novo. Tudo novo. Queres um conselho? Faz com que a tua vida não tenha muitas repetições. Cria situações. Cria. A criatividade é o motor da vida. E se tiveres por obrigação situações repetitivas, vive-as de forma inovadora, todos os dias.

Muda. Muda as coisas. E se não puderes mudar as coisas, muda a forma de fazeres as coisas. E a tua essência vai renascer. E qual Fénix que se eleva das cinzas, vai ganhar asas e finalmente vai voar. E ter uma essência que voa é a forma mais brilhante de se evoluir.

Alexandra Solnado
“You teach people how to treat you.”

Phil McGraw

Escultura de Joana Vasconcelos







Toda feita de Havaianas!!! Não é o máximo?!?
Será que tem ali o n.º 35?

Saturada

Estou mesmo saturada do meu trabalho e não há volta a dar. Preciso sair daqui urgentemente.
Tenho tentado ver as coisas pela positiva, agradecer o facto de ter trabalho, de ter um ordenado no final do mês e sentir-me de alguma forma útil mas este pensamento não é suficiente para colmatar as falhas enormes que vivo diariamente. Estou mesmo cansada disto, desta rotina, deste trabalho que não desenvolve, que não exige mais de mim e que me deixa num estado de adormecimento mental. Sinto-me de dia para dia morrer lentamente num estado de completa apatia. Tenho por outros meios motivar meu cérebro para não desistir e não entregar-se a esta total insanidade mas estou farta, não consigo. Sinto-me num beco sem saída, enclausurada, perdida, sozinha, sem que ninguém entenda que minha vida não é apenas sorrir e chegar ao final do dia ir ao gym e sair com os amigos. Tem uma parte demasiado importante que está a falhar, que tem sido a maior responsável pelos meus distúrbios, pela minha falta de gosto pela vida, pela minha falta de vontade. Tem alturas que pensar em sair daqui parece-me um sonho mesmo que significasse não ter para onde ir, mas minha responsabilidade não me permite fazer semelhante senão já o teria feito sem pensar duas e três vezes. Se não fosse esta consciência, esta sensação de culpa e medo de desiludir quem gosto, se não fosse receio de sentir-me ainda mais inútil, já teria voado. Queria tanto sentir-me parte de algo...
“Love doesn't sit there like a stone, it has to be made, like bread; remade all the time, made new.”

Ursula K. Le Guin
“The roles we play in each other's lives are only as powerful as the trust and connection between us.

Oprah

Ela há cada uma

Na outra noite tive um sonho no mínimo estranhíssimo que ainda estou a tentar perceber o significado.
Em linha gerais, namorava com um homem bem mais velho, todo sujo, vestido com um fato de macaco castanho, uma t-shirt que não me lembro a cor e um boné. Não era nada bonito e pelo que percebi trabalhava nas bombas de gasolina (daí a indumentária). Recordo-me dele passar à minha frente e eu pensar para os meus botões que, apesar de ele ser assim (ou seja, do aspecto que na realidade não me atrairia) eu não tinha vergonha de namorar com ele e no sonho sentia gostar bem dele.
Tenho todo o respeito por todas as profissões, não tenho nada contra quem trabalha numa gasolineira, achei apenas o pormenor interessante daí referi-lo, mas não consigo é entender de onde surgiu este tipo de informação no meu cérebro nem sequer consigo descodificar que mensagem lhe estaria subjacente.
Eu nunca tive qualquer tipo de vergonha relativamente a namorados senão não faria o mínimo sentido namorar com eles e até acho que tenho tido bom gosto. Se tenho algum fetiche por fardas com toda a certeza que a da gasolineira não faz parte da lista. O homem era bem mais velho, pelo aspecto um sessentão (se fosse rico, ainda era naquela, né?!? Hehe, brincadeirinha!! ) por isso não consigo descortinar uma ponta que seja do que o meu subconsciente me quis dizer naquela noite. E que nem se atreva que seja um presságio que passo a deixar o carro em casa só para não passar nas bombas!!
Que raio?!? Eu nem sequer ando preocupada com o preço da gasolina!!!
Como se lida com o facto de um parente ou amigo próximo dar um fim à sua vida?

Details i like 12








Achados de decoração

Quem é a personagem?


Resposta: Stefani Germanotta

Diz-vos alguma coisa?!?
"No momento em que pensas que ultrapassaste a dor, vês-te a braços com a solidão."

in A questão Finkler

Um por um

Um por um. 
Hoje está assim, um por um, 
cada um no seu tempo, na sua cronologia decidem magoar. 
Um por um.

Um por um decidem 
que hoje é o dia de massacrar, 
de dizer asneiras, 
de torturar, 
de afastar, 
de fazer cair na real. 
Um por um.

Um por um agem como se não importasse, 
não fosse gente, 
não estivesse aqui ou apenas estou para o que convém. 
Um por um.

Um por um, 
um de cada vez, 
para depois formar uma bola ainda maior de dor, 
mágoa e ressentimento, 
um por um, 
cada um no seu canto, 
no seu mundo, no seu espaço, e à sua maneira
um por um, dizem que não sou nada.

E a um por um digo-vos obrigada.

Obrigada...
Preciso de ti

Hoje é o meu dia

“The principal thing in the world is to keep the soul aloft.”

Gustave Flaubert