Para vocês

Obrigada por todo o carinho

espero estar a retribuir como merecem

Do pó para o pó

Foi pena tudo ter ficado assim desta forma.
Quando disseram-me que algumas pessoas iriam afastar-se nunca pensei que fosses uma delas mas acabaste por ser. 
Fiquei surpreendida. Não estava à espera, não queria que assim fosse mas no fundo até entendo.
Tem alturas que a vida permanece igual durante tempos sem fim, outras muda em segundos, minutos ou dias. O que deveria mudar está igual mas tu foste. 
Dizem que devemos estar gratos por tudo...não consigo!

Eh pah

Eu e a minha mania de gostar deles assim 'diferentes'

Nate Ruess

I'll carry you home tonight... ;)

Cozinhar

Aos poucos, e porque as circunstâncias assim o ditaram, fui aprendendo a gostar de cozinhar.
Encontrei nesta actividade uma forma de meditação, de terapia. Não fosse o facto de ter sempre o gato a rondar-me as pernas e a miar de guloso e o momento estava perfeito.
Misturar sabores, seguir receitas à risca ou inventar outras a partir do que sobra ou do que há em casa, passou a ser uma experiência deveras engraçada. 
Tem dias em que dá a preguiça sim, mas na sua maioria tenho uma vontade que desconhecia quando morava com os meus pais. Raramente consigo chegar a casa e relaxar um pouco sem antes ir preparando algo e até já dei por mim deitada na praia a pensar o que iria fazer de jantar.
São prazeres que à primeira vista parecem nunca vir a se-lo mas acabam por conquistar quando começamos a ter, naquele momento, a sensação de que podemos ser pequenos artistas.

Desabafos

Que jogada simplesmente fantástica!!!
Nem sei dizer-te quantos pontos ganhaste mesmo que não sirvam rigorosamente para nada.

You 're a professional, my friend!

Momento cartoon #55


O que a alma anseia

Minha alma pede-me para ir, libertar-me das amarras e ir, com ou sem destino mas ir. Sem tempo, sem pressa, sem nada para procurar a não ser a mim.
Tantas vezes vivo este desejo sem saber como fazê-lo, imaginando-me vezes sem fim simplesmente a ir, sem medos, sem mil reflexões de prós e contras.
Não há sítio específico que gostasse de ir, apenas ir por sentir-me a sufocar, por olhar à volta e ver o mesmo há 30 anos, e a cada dia que passa ver a paisagem pintar-se de cinzento, sem graça, sem cor, sem brilho, apenas um cenário que para uma alma tristonha torna-se a zona de conforto feita de areias movediças que prendem-me e matam-me aos poucos, apagam a minha essência.
O sorriso mantém-se assim como um vislumbre de esperança que algo em mim brote, desperte, volte a limpar o meu olhar e a ver tudo com as cores da vida. Talvez por isso minha alma julgue puder encontra-lo longe de onde estou, de onde sempre estive.
Olho o mundo de uma ponta à outra, imagens, reportagens, relatos de experiências vividas por outros na espera de que algo faça sentido, um ponto chame por mim e sinta que deva ir. Que ridículo mas tão verdade. 
No entanto sei que voar não é a solução. O que minha alma procura não é um sítio especifico para ir mas um sítio onde sinta-se bem-vinda e desejada, onde encontre paz interior, amor infinito e a certeza de não correr o risco de afundar-se nas areias.
Continua a ser ridículo mas também continua a ser verdade.

.

'É como se mil pessoas se importassem com você, menos uma. E, de alguma forma, era a única que você necessitava que se importasse...'

Caio Fernando de Abreu


Inverno, outra vez, não!

Esta caminhada a passo acelerado para o Outono deixa-me melancólica. Não o tempo todo, é claro, mas sempre que desperto para o assunto.
O Outono e o Inverno, apesar dos seus muitos encantos, não são as estações que mais gosto. O frio, a chuva, o vento, o excesso de roupa, a humidade e principalmente o Natal (que pelo que li no outro dia faltam 16 semanas) são coisas que dispensava com imensa vontade. 
Mas tento transformar este mau-estar de alguma forma até porque ainda irei gozar as minhas férias de Verão agora em Setembro e são três semanas a aproveitar para muita coisa. No outro dia abracei esta caminhada com a compra de um cachecol. Verdade, um cachecol. Há coisas que, por causa do calor, nem sequer conseguimos pegar mas nem mesmo o sol que brilhava fora da loja travou-me e tentei ficar contente com o facto de que, quando chegar o meu 'inferno' já tenho uma pequena peça nova para estrear. 
Mas não queria, sério que não queria viver o Inverno de novo. Traz-me sensações tão desconfortáveis que preferia fazer como os ursos e hibernar. Faria-o sem qualquer remorso. É tão triste e solitário. 
Porque não nasci num país tropical?

A falta de amor irrita-me

Quando? Quando tornou-se tão difícil amar? Quando tornou-se quase que impossível sonhar ou ter esperança de voltar a sentir uns dedos entrelaçados nos nossos e deixar escapar suspiros de amor, palavras de carinho, abraços de eternidade?

O que vejo diariamente é apenas uma luta cada vez mais acentuada entre homens e mulheres. Eles chamam-lhes de vacas e mulheres fáceis, elas de cabrões e mulherengos e mostram-se todos insatisfeitos afirmando convictamente que já não há pessoas que queiram amar e assumir compromissos e quando vamos a ver são os primeiros a recusarem por não 'estarem preparados'.

O tempo passa e vão ficando cada vez mais mesquinhos, picuinhas, ou, nas suas palavras, 'exigentes', 'sem idade para aturar determinadas merdas'. Mas relacionamentos é mesmo aturar determinadas merdas! Faz parte.

Irrita-me esta situação que, a meu ver, tende a piorar à medida que o tempo passa. Irrita-me que hajam pessoas que achem que o facto de alguém estar disposto a namorar é sinal de que não aprendeu com os erros, que queira casar seja sinal de estupidez e fora de moda. Irrita-me que as pessoas deixem o tempo passar e sintam-se cada vez mais deslocadas, sozinhas, meros espectadores de histórias de amor da vida alheia. Irrita-me perceber o número crescente de pessoas que dispõem-se a viver do flirt e das relações de apenas uma noite (ou manhã, ou tarde conforme a conveniência) e acham que estão mais correctos que os demais porque essa é 'a nova forma de amar'. Dá mais jeito, é mais fácil, não implica nenhum esforço, protege de futuras mágoas. Irrita-me que repitam por entre posts no facebook ou em outras redes sociais que 'quem muito brinca um dia vira brinquedo', como se estivessem a alertar alguém para o erro de gozar com os sentimentos dos outros quando a sua vida é fazer das pessoas o mais descartáveis possível sem qualquer preocupação. Mas são estes os que julgam-se mais moralistas, os que acham-se no direito de apontar o dedo e caluniar o outro porque facilmente meteu-se na sua cama e amanha está noutra quando também o fazem e até já o fazem por hábito. São eles que desacreditam o amor. 

Esta futilidade, esta falta de amor-próprio confundida com excesso de ego tira-me do sério.

Estou muitíssimo cansada desta hipocrisia.

Limpezas 'amigáveis'

Decidi cortar com todos os que gozaram com a minha cara de alguma forma e acham que eu não percebi. Não é por uma questão de orgulho pois não afectam-me dessa forma, apenas por questionarem a minha inteligência. Apenas por isso, e já é mais do que suficiente, não merecem fazer parte da minha vida, seja de que modo for.
Foi um breve prazer conhecer-vos mas agora retirem-se. Obrigada.

.


Pensamentos

Já me esqueci qual é a sensação de 'fall in love'...completamente!

Caminho duro

O mais triste do cenário da crise é sermos obrigados a despedirmos-nos.
Quando colocam-nos a executar funções para as quais não estamos minimamente qualificados sabendo que isso servirá não para despedimento por inadaptação ao posto de trabalho - que até nem era mau pois assim vinha embora com carta de despedimento - mas manipular até ao ponto de não haver mais nenhuma alternativa senão ir mesmo embora é de sentir um nó de raiva a apertar na garganta.
Já não me resta muito mais a fazer senão as contas de como serão os tempos em que nenhum rendimento entrará na conta bancária...
Não vai ser uma caminhada fácil mas não vejo outra saída. Minha esperança é que depois de fechada esta porta uma outra se abra para mim até porque já mereço.

Bom fim-de-semana

Quero ir às compras...

Ontem fui comprar a prenda para a T. e devo dizer que senti fortemente um impulso consumista a apoderar-se da minha pessoa que foi terrivelmente difícil combater. É que vi tantas coisas bonitas, mas tantas...Para sossegar apenas comprei dois cintos. 
Fiquei completamente vidrada em algumas peças, sapatos e carteiras que ficavam tão bem no meu closet...
Eu não era assim...devo estar a tentar compensar alguma falha! :)
Dedos cruzados para o euromilhões de hoje. Ai se eu pudesse...


.


Obrigada peste

Já disse-to mas repito mesmo sabendo que não o vejas aqui (graças a Deus que ainda há privacidade neste boteco).
Obrigada pelo abraço e pelo mimo. Estava mesmo a precisar do teu colinho e tu sabes mesmo como fazer-me sentir bem.

Sair da 'box'

Fazia-se prever uma semana um pouco mais solitária do que o habitual. A E. de férias, a P. nos workshops de dança e o resto da malta que só aparece quando lhes dá na real gana. Mas até que nem me saí muito mal em termos sociais. As idas ao cinema com o B. (meu grande companheiro dos movies) foram preciosas não só para colocar em dia minha cultura cinematográfica como também desfrutar da companhia deste meu grande amigo que adoro de coração. 

Hoje é noite de jantar de aniversário da T. 
Estarei sem as minhas 'muletas' do costume, portanto será um pouco como que entregue à bicharada. Mas a malta o que quer mesmo é comer e beber (bem, de preferência) e estou a precisar de uns desafiozitos na vida pelo que até vai ser engraçado. Também se não estiver a ser agradável é só levantar o rabiote e sair...depois de pagar, é claro!

Amanha outro jantar também de aniversário mas este acho que fiz mesmo mal em ter aceite o convite. É que só conheço mesmo o aniversariante e a porra da festa tem dress code. Não gosto nada de imposições. 

Esta coisa de obrigar-me a sair da zona de conforto e conhecer novas pessoas, alargar os meus horizontes e coisas e tal mexe comigo. Sinto mesmo um nervoso miudinho inadmissível aos 30 anos (pelo menos é o que diz no B.I.).

Momento cartoon #54


Momento cartoon #53


Google hoje

Quem quiser divertir-se um bocadito é visitar a página do google.
Sinto-me um atleta nos dedos! :)

Clique aqui

No mínimo original. Ainda perdi uns bons minutos a jogar e já fizemos competições!!!!


.

"Você é assim,
um sonho p'ra mim,
e quando eu não te vejo..."

Sua peste

Há algo em ti que cria em mim um sentimento de amor-ódio. Não que te odeio de rancor e mágoa. Adoro-te mesmo por tudo o que foste construindo comigo e pela amizade que nos une. Mas saber-te ser da forma como és sem hipótese de mudar, de deixar de cometar as falhas que cometes sabendo-te a pessoa querida que és, de sorriso aberto e olhos brilhantes, um ser sempre pronto a ajudar o amigo e com um carinho para oferecer...raios...odeio-te adorando-te!
Precisava de um abraço teu...

Momento musical

Fez-se luz! Um brilhozinho, vá...

Ontem finalmente levei a pancada (salvo seja) na cabeça que precisava para conseguir perceber o que, nas minhas relações inter-pessoais, chateia-me e deixa-me frustrada. A grande question (em francês) é que, tirando os meus pais, não tenho aquele alguém que realmente se preocupe e lute por mim, que organize a sua vida de vez enquando (como eu também de vez enquando faço) ou se dê ao trabalho de planear algo comigo, situação que cria em mim um sentimento de isolamento e solidão um tanto ao quanto tristonho e introspectivo.
Para entender a gravidade da questão para mim, tive as lágrimas nos olhos ao ver o filme Ted e quis mesmo um Ted só para mim.
Não me armo em coitadinha pois é um posto que pretendo nunca ocupar. Não preciso de convite para pôr os pezitos fora de portas e sou auto-suficiente para por-me a caminho sozinha (acompanhada sabe sempre melhor, dependendo para onde se vai), e assim, sem mais rodeios, faz-me realmente falta alguém que tivesse mais disponibilidade de caminhar ao meu lado e comigo fizesse uma espécie de equipe. Depois de admitir isto para mim tornou-se muito mais fácil entender os meus swings de humor que até arrepiam e já levavam-me a colocar a hipótese de tratamento.
Posto isto, uma primeira mudança já foi feita e daqui a poucos dias irei conhecer mais e nova gente o que dar-me-à a oportunidade de também alargar os meus horizontes e sentir-me um pouco mais parte de algo, parte do mundo. É que viver naquela caixa já estava a ser demasiado para mim.

Citações

'Seja alguém simples. 
Seja algo que você ama e entende. 
Esqueça o resto, tudo que você precisa está na sua alma e em seu coração.' 

Caio Fernando de Abreu

Momento musical

Pensamentos

Se as pessoas não fazem intenção ou não gostam de cumprimentar porque fazem-no deixando escapar propositadamente um leve suspiro de frete?

Porca miséria!

Perdi meu anel de estimação...10 anos de companheirismo levados por um pontapé do meu gato para parte incerta...

(nada de criticas, era de prata! :p)

Hoje é o dia

'Hoje não é dia para fazeres nada do que estás habituado. Não é dia de perdurar, nem de acalmar as hostes. Nem de orar. Nem de sair. Nem de desabafar. Hoje, não é para te recostares ao sol, nem para apreciares a lei. Não é dia para rasgares a voz, nem para bradares aos céus. Hoje não é para correr, hoje é para parar. 

Quieto. Assim. Triste. Pois é. É dia de ficar, ficar simplesmente na imensidão do mundo e pairar, na ponta da minha mão. Hoje é dia de venerar o mestre, de adorar a energia. É dia de ofertares favores em forma de gratidão. É dia de olhares o tempo, adorando o infinito. E de deixares o coração bater, somente. 

Hoje é dia de tudo o que haja de subjectivo na terra. O que não tem nome. O que não tem idade. O que não tem forma. Hoje é dia de algo que só quem já foi, só quem já sentiu, só quem acede pode saber o que é.' 

Jesus 

Recebi este texto por mail. Há textos que chegam até mim num tempo perfeito, como se realmente soubessem quando devem, quando fazem sentido. E hoje estou assim.