Pensamento do dia

Será que nosso sofrimento é mesmo porque o outro foi embora, ou é nossa alma que chora há tempos pela nossa própria ausência?

Curiosidade # 5

Isto há mesmo malucos para tudo. Enquanto muitos passam a vida à procura do verdadeiro amor, Dan Holmes, de 29 anos, busca por um padre que aceite celebrar a cerimonia de casamento entre ele e o seu par, nada mais nada menos que um videogame Playstation2.
O inglês, morador da cidade de Oxfordshire, alega já ter gasto cerca de sete mil libras em cartuchos e consolas e quer que o próximo passo da sua relação com o aparelho seja o matrimonio. Dan, que ainda não conseguiu formalizar seu amor religiosamente, já o fez de forma legal, mudando o seu nome para Playstation 2.
A Sony, fabricante do videogame, afirmou que o caso mostra uma "enorme lealdade" do jogador.
29 anos...demência! Acreditem, caminhamos todos para lá!

Capacidade mental começa a diminuir a partir dos 27 anos!

Bem, eu sabia que desde Dezembro último que não me andava a sentir muito bem. Entre alguns lapsos de memória, faltas de paciência até tomadas de decisão de fazer doer o corpo e a alma, havia algo no meu instinto que me dizia que meu cerebro não estava a actuar com as suas plenas capacidades. Eis que descubro a resposta para o meu mal. Estudos revelam que a partir dos 27 anos a nossa capacidade mental começa a reduzir. Eis o que diz esse mesmo estudo:

Uma pesquisa de cientistas americanos sugere que a capacidade mental de uma pessoa começa a deteriorar aos 27 anos, marcando o início do processo de envelhecimento.

Timothy Salthouse, da Universidade de Virgínia, descobriu que raciocínio, agilidade mental e vizualização espacial entram em declínio perto dos 30 anos de idade, depois de chegar ao auge aos 22. Ele acredita que tratamentos que têm o objectivo de amenizar o processo de envelhecimento deveriam começar mais cedo.

O estudo, publicado na revista "Neurobiology of Aging", foi feito ao longo de sete anos e incluiu 2 mil pessoas saudáveis com idades de 18 e 60 anos. Os participantes tiveram que resolver quebra-cabeças, lembrar-se de palavras e detalhes de histórias, além de identificar padrões em grupos de letras e símbolos. Os testes são os mesmos já utilizados por médicos para procurar sinais de demência.

Em nove dos 12 testes realizados, a média de idade dos indivíduos que tiveram o melhor desempenho foi de 22 anos. A idade em que se observou uma piora marcante no desempenho dos participantes em testes de agilidade mental, raciocínio e habilidade para resolver quebra-cabeças visuais foi 27. Funções como a memória ficaram intactas até os 37 anos, em média, e as habilidades baseadas no acúmulo de informações, tais como desempenho em testes de vocabulário e conhecimentos gerais, aumentaram até os 60 anos de idade.

Segundo Salthouse, os resultados sugerem que "alguns aspectos do declínio da função cognitiva em adultos com boa saúde e nível de instrução começam aos 20 e poucos ou 30 e poucos anos.

Amigos...podemos correr, saltar e gritar que não vale a pena, é um facto, caminhamos todos no mesmo sentido: a demência!

Solidão

Solidão não significa estarmos sozinhos...
é estarmos no meio de uma multidão e sentirmos a falta de uma só pessoa

Curiosidade # 4


Sabiam que o beija-flor é tão leve que se pode empoleirar numa simples folha de relva?
Os seus ovos são do tamanho de uma ervilha média e a ninhada inteira cabe dentro de uma colher de chá...

Que piquenos!!!! ;
P

Pensamento do dia


O momento mais forte do amor,
é quando sabemos que ele precisa morrer,
mas não temos força para matá-lo...

Hoje estou assim...


Curiosidade # 3

Alguém ja pensou que:
O VERBO "SUICIDAR-SE" É UM PLEONASMO?
O verbo "suicidar-se" vem do latim sui ("a si" = pronome reflexivo) + cida (= que mata).
Isso significa que "suicidar" já é "matar a si mesmo". Dispensaria, dessa forma, a repetição causada pelo uso do pronome reflexivo "se".
Se observarmos o uso contemporâneo deste verbo, não restará dúvida: ninguém diz "ele suicida" ou "eles suicidaram". O uso do pronome reflexivo "se" junto ao verbo está mais que consagrado no nosso idioma. É, na verdade, um pleonasmo irreversível.
O verbo "suicidar-se" hoje é tão pronominal quanto os verbos "arrepender-se", "esforçar-se", "dignar-se".
Numa história que é contada pelo actor, compositor, escritor, poeta, Mário Lago, do seu livro 16 linhas cravadas , entre outras histórias, encontra-se a do professor de português que se mata ao descobrir a traição de sua amada esposa Adélia. Deixou escrito na sua mensagem de despedida: "Adélia suicidou-me".

E esta hein?

Se voce conhecesse uma mulher grávida, já com 8 filhos, 3 dos quais são surdos, 2 são cegos e 1 é retardado mental e ela, por sua vez, tem sífilis..recomendaria-lhe fazer um aborto?
Se sim, você acaba de matar Beethoven...

Chiça!

Algumas pérolas do Tuga!












Palavras para quê?



Curiosidade # 2

Que bonita é a raça humana...

Sabiam que muitos bobos da corte eram deficientes físicos?


As deformidades dos bobos da corte eram uma das principais formas de entretenimento dos monarcas. Grande parte deles era anã, corcunda ou portadora de outras deficiências físicas. Alguns, inclusive, tinham a coluna cruelmente quebrada para melhor exercer o seu papel diante de reis e nobres. A profissão de bobo era comum entre os séculos XIV e XVI, no final da Idade Média.
Enfim...

E se só existissem 100 pessoas no mundo?

Informações a respeito do mundo que vale a pena serem consideradas:
Caso existissem apenas 100 pessoas no planeta.
Se fosse possível reduzir a população do mundo inteiroem uma vila de 100 pessoas, mantendo a proporção do povo existente agora no mundo, tal vila seria composta de:
57 Asiáticos
21 Europeus
14 Americanos (Norte, Centro e Sul)
8 Africanos
52 seriam mulheres
48 homens
70 não brancos
30 brancos
70 não cristãos
30 seriam cristãos
89 seriam heterossexuais
11 seriam homossexuais
6 pessoas possuiriam 59% da riqueza do mundo inteiro e todos os 6 seriam dos EUA
80 viveriam em casas inabitáveis
70 seriam analfabetos
50 sofreriam de desnutrição
1 estaria para morrer
1 estaria para nascer
1 teria computador
(apenas 1 teria formação universitária)
Se o mundo for considerado sob esta perspectiva, a necessidade de aceitação, compreensão e educação aumenta.
Considere ainda:
Se você acordou hoje mais saudável que doente, você tem mais sorte que um milhão de pessoas que não verão a próxima semana.
Se nunca experimentou o perigo de uma batalha, a solidão de uma prisão, a agonia da tortura, a dor da fome,você tem mais sorte que 500 milhões de habitantes no mundo.
Se você pode ir à igreja sem o medo de ser bombardeado, preso ou torturado, você tem mais sorte que 3 milharesde pessoas no mundo.
Se você tem comida na geladeira, roupa no armário, um tecto sobre sua cabeça, um lugar para dormir, considere-se mais rico que 75% dos habitantes deste mundo.
Se tiver dinheiro no banco, na carteira ou um trocado em alguma parte, considere-se entre os 8% das pessoas com a melhor qualidade de vida no mundo.
Se seus pais estão vivos e ainda juntos, considere-se uma pessoa muito rara, mesmo nos USA e Canadá.
Se puder ler esta mensagem, você não está entre os 2 milhões de pessoas que não sabem ler.

Vale a pena tentar:

Trabalhe como se não precisasse do dinheiro
Ame como se ninguém nunca o houvesse feito sofrer
Dance como se ninguém estivesse a olhar
Cante como se ninguém estivesse ouvindo
Viva como se aqui fosse o paraíso.

Vamos corrigir nossas expressões populares...oupa

Engane-se quem julga saber tudo. Eis umas perolas de sabedoria. Toca a corrigir.

Diz-se: Batatinha quando nasce, esparrama pelo chão...
Enquanto o correto é: Batatinha quando nasce, espalha a rama pelo chão...

No popular diz-se: Cor de burro quando foge
O correto é: Corro de burro quando foge!

Outro que no popular todo o mundo erra: quem tem boca vai a Roma.
O correto é: Quem tem boca vaia Roma

Outro que todo mundo diz de forma errada: Cuspido e escarrado (quando alguém quer dizer que é muito parecido com outra pessoa)
Correto é: Esculpido em Carrara (Carrara é um tipo de mármore)

Mais um famoso...Quem não tem cão, caça com gato...
O correto é: Quem não tem cão, caça como gato...Ou seja, sozinho!!!

Sabiam? Eu não sabia... :D

Vamos debruçar-nos sobre...o Beijo

Um beijo é muito mais que lábios fundidos ou línguas entrelaçadas.

Os cientistas acreditam que pode determinar o futuro de uma relação e até combater a depressão. A filematologia explica como.

Lembra-se do primeiro? Olhos nos olhos, mãos suadas, coração acelerado, lábios hesitantes. Tensão e emoção. Num sopro, paraíso ou inferno.

Afinal, porque beijamos? Simples: porque queremos. Porque nos rendemos aos afectos e nos deixamos levar pelos impulsos românticos. E, contudo, explicam os cientistas, o fenómeno é muito mais complexo que a simples comunhão de duas bocas, seja no entrelaçar das línguas ou, com menos saliva, na união de dois lábios (ou, para ser mais rigoroso, dois pares de lábios). Por isso criaram a filematologia, a ciência que estuda o beijo e as suas funções.

Como na canção "As Time Goes By", imortalizada em "Casablanca", "a kiss is still a kiss" mas será sempre algo mais que a estrofe em que duas bocas rimam, para usar outra citação famosa. Por detrás de cada gesto escondem-se não só um emaranhado de reacções orgânicas, mas também uma miríade de motivações que nem sempre são óbvias. Beijamos por paixão, mas também por costume, educação, respeito e até por mera formalidade. A própria forma como beijamos varia de acordo com o que queremos expressar.
Segundo o antropólogo inglês Desmond Morris, as origens do beijo estão num instinto bem mais primário: o das mães primatas mastigarem a comida e a passarem às crias através da boca, um costume que sobrevive ainda em algumas tribos do Planeta. O gesto, especula Morris, terá evoluído para uma forma de confortar crianças esfomeadas quando a comida escasseava e, mais tarde, para demonstrar amor e carinho.


Para outros cientistas, beijar está ligado ao complexo processo de escolha de um parceiro. Quando duas pessoas se beijam, trocam uma série de informações (gustativas, mas também olfactivas, tácteis, visuais e até de postura) que, inconscientemente, as ajudam a perceber o grau de comprometimento do outro na relação. O gesto pode revelar até que ponto se está perante a pessoa ideal para formar família, sendo por isso uma acção fundamental para a sobrevivência das espécies. A chave deste fenómeno está no olfacto. Beijar activa a libertação de feromonas que, ao serem detectadas, de forma inconsciente, pelas mulheres, as ajudam a escolher os parceiros que terão uma melhor descendência. A explicação está num conjunto de genes ligados a uma parte do sistema imunitário conhecida como complexo maior de histocompatibilidade (CMH), que, através do olfacto, desempenha um papel fundamental na atracção sexual. Aqui funciona a lei de que os opostos se atraem: elas preferem homens com um CMH diferente do seu, uma escolha influenciada pela Natureza: juntar parceiros com diferentes genes do sistema imunológico fortalece as defesas da geração seguinte, melhorando, assim, as hipóteses de sobrevivência da espécie.

Talvez por isso, a ciência tem demonstrado que o primeiro beijo pode ajudar a afastar o que as forças do romantismo uniram. O sucesso de uma relação depende, muitas vezes, desse momento único em que os lábios se tocam pela primeira vez. Segundo um estudo publicado na revista científica "Evolutionary Psychology", 59% dos homens e 66% das mulheres admitiram já ter perdido o interesse por alguém após o primeiro beijo.

A investigação revela outros dados interessantes, que vêm confirmar alguns estereótipos sobre os comportamentos sexuais dos dois géneros: os homens utilizam mais o beijo como um meio para atingir um envolvimento sexual e estão mais predispostos a ter sexo sem beijar, com alguém que considerem beijar mal ou mesmo com alguém por quem não se sintam atraídos. Já as mulheres, intuitivamente, tendem a usar o beijo para avaliar o estado da sua relação e o grau de comprometimento do seu parceiro.

O estudo revelou outro dado curioso: os homens preferem beijos mais molhados e com mais contacto de língua. A opção, percebe-se agora, não é ingénua. A saliva masculina contém grandes quantidades de testosterona que podem afectar a líbido das mulheres. Os cientistas baralham outra hipótese: a dos homens terem uma menor capacidade de detecção química e sensorial, precisando por isso de mais saliva para fazer a sua avaliação da parceira.

Igualmente complexa é a equação anatómica e fisiológica de um beijo. O acto põe em acção diversos músculos, cujo número varia em função da intensidade: um beijo carinhoso mobiliza 17 músculos; um mais apaixonado pode chegar aos 29, segundo a tese de doutoramento em Medicina da francesa Martine Mourier, que dedicou as duzentas páginas do seu trabalho aos efeitos do beijo.

Outras revelações: a pressão exercida pode atingir os 12 quilos, os batimentos cardíacos disparam dos 70 para os 150 por minuto e são trocadas pelos menos 250 bactérias. Citando um filósofo dos tempos modernos, Duff McKagan, ex-baixista dos Guns N'Roses, "um beijo pode não ser uma coisa higiénica, mas é a maneira mais saborosa de apanhar um germe". Por isso, ainda que aparentemente inofensivo, beijar pode ser um veículo privilegiado de transmissão de doenças. A lista inclui desde uma simples constipação à hepatite, tuberculose, mononucleose, herpes labial e, em determinadas situações, doenças sexualmente transmissíveis como a sífilis e a sida (caso existam feridas ou cortes na boca).

Por paradoxal que possa parecer, pode também ter efeitos terapêuticos, por exemplo, no combate à depressão. Segundo um estudo realizado no Reino Unido, beijar estimula o cérebro a libertar endorfinas, substâncias químicas que funcionam como uma espécie de 'opiáceo' natural do organismo, proporcionando sensações de prazer, euforia e bem-estar que ajudam a combater a depressão. Quanto mais excitantes e apaixonados os beijos, maiores os benefícios para a saúde. Além disso, baixa os níveis de cortisol, conhecida como a hormona do stress, e pode até funcionar como uma forma de 'vacinação' natural dos bebés: ao beijar o seu filho recém-nascido, a mãe transmite-lhes, de forma diluída e progressiva, os seus germes, desencadeando as defesas do organismo do bebé.

Indiferentes às dissertações científicas, beijamos, sobretudo, pelo prazer de beijar. Porque é, afinal, disso que se trata: de um prazer magnético em que duas almas se unem. Que importa o resto?

Texto publicado na edição do Expresso de 7 de Março de 2009



Curiosidade # 1

Aqui está algo que não tinha pensado antes...se calhar tinha coisas mais interessantes para fazer! Qui ça?

Por que é que as colas super potentes não colam no interior do próprio tubo?

Resposta:

A supercola é um cianoacrilato, líquido de baixa viscosidade e baixo peso molecular sem propriedades adesivas. Com a exposição ao ar polimeriza rapidamente numa alta matriz molecular e adquire propriedades adesivas.

Para além de ser necessário o contacto com o ar, o tubo de cola é revestido interiormente por um material a que a cola não adere. Adere, no entanto, à pele e é por isso necessário muito cuidado na sua utilização.


Esclarecidos? Eu fiquei!

A origem da mítica sexta-feira 13...buuu!!

Entre as explicações mais aceites, destacam-se 3 para o origem da sexta-feira 13 ser considerado um dia de azar:

1) Seria o facto de Jesus Cristo ter sido crucificado numa sexta-feira e, na sua última ceia, haver 13 pessoas à mesa: ele e os 12 apóstolos.
2) Na mitologia nórdica, conta-se que houve um banquete e 12 deuses foram convidados. Loki, espírito do mal e da discórdia, apareceu sem ser chamado e armou uma briga que terminou com a morte de Balder, o favorito dos deuses. Daí veio a crendice de que convidar 13 pessoas para um jantar era desgraça na certa.
3) A deusa do amor e da beleza era Friga (que deu origem à palavra friadagr = sexta-feira). Quando as tribos nórdicas e alemãs se converteram ao cristianismo, a lenda transformou Friga em bruxa. Como vingança, ela passou a reunir-se todas as sextas com outras 11 bruxas e o demônio. Os 13 ficavam a rogar pragas aos humanos.

A crença na má sorte do número 13 parece ter tido sua origem na Sagrada Escritura. Esse testemunho, porém, é tão arbitrariamente entendido que o mesmo algarismo, em vastas regiões do planeta - até em países cristãos - é estimado como símbolo de boa sorte. O argumento dos optimistas baseia-se no facto de que o 13 é um número afim ao 4 (1 + 3 = 4), sendo este símbolo de próspera sorte.

Assim, na Índia, o 13 é um número religioso muito apreciado; os pagodes hindus apresentam normalmente 13 estátuas de Buda.
Na China, não raro os dísticos místicos dos templos são encabeçados pelo número 13.

Também os mexicanos primitivos consideravam o número 13 como algo santo; adoravam, por exemplo, 13 cabras sagradas.

Reportando-nos agora à civilização cristã, lembramos que nos Estados Unidos o número 13 goza de estima, pois 13 eram os Estados que inicialmente constituíam a Federação norte-americana. Além disso, o lema latino da Federação, "E pluribus unum" (de muitos se faz um só), consta de 13 letras; a águia norte-americana está revestida de 13 penas em cada asa.

Por isso, decidam-se, é bom ou é mau?

Aqui entram as minhas contradições existenciais; meu lado superticioso diz-me para tomar precauções neste dia, não vá o diabo tecê-las, por outro, meu lado optimista prefere vê-lo realmente como um dia de sorte. Pensando bem, tomando os devidos cuidados o mais certo é não acontecer nada e acabo mesmo por ter sorte!

Porque hoje é sexta-feira 13...vamos rir

Todos conhecem o Joãozinho, aquele rapaz muito querido que em pequeno dava cabo dos nervos à professora. Certo dia, a professora pediu a toda a turma para inventarem uma história. Depois de todos os colegas lerem a sua composição, chega a vez do Joãozinho, que começa assim:
- Vou contar a história das três fadas. Era uma vez uma prinçusa...
Nisto, a professora interrompe e diz:
- É princesa que se diz e não prinçusa!
- Não, Senhora Professora, nesta história é mesmo prinçusa. Continuando: era uma vez uma prinçusa, que vivia suzinha na turre do seu castalo e estava traste, muito traste por estar suzinha. Resolve, então, enviar um bilhuto a um prinçuso que também vivia suzinho na turre do seu castalo. Escreveu muitos bilhutos até que, um dia, o prinçuso agarrou no seu cavulo e cavinhou, cavinhou, cavinhou pela florista até chegar ao castalo da prinçusa. Quando chegou à purta do castalo da prinçusa, dá-lhe um pintapu e a purta cai. Sobe a correr até à turre da prinçusa, arrebenta com a purta do quarto da prinçusa, ele olha para ela, ela olha para ele, ele olha para ela... e dá-lhe três fadas...

A Vida é uma dádiva

Se considerares que nada, absolutamente nada é teu, se considerares que quando vens à terra não tens nada e quando te vens embora da terra não trazes nada…
É a vida, amigo, é a vida quem te dá tudo. Absolutamente tudo. A vida dá-te tudo, desde o ar que respiras até à roupa que vestes, os filhos que tens, os amigos, a tua educação, dinheiro, emprego, relações.
Já reparaste na quantidade de coisas e pessoas que a vida já te deu?
Porque é que ficas sempre a olhar para o que não tens? Começa a percepcionar todas as coisas que a vida já te deu. Tudo o que tens recebido. Começa a ver, uma a uma, cada coisa que a vida se disponibilizou a oferecer-te, cada coisa, cada pessoa, cada emoção. E tenta sentir a gratidão por tantas coisas já recebidas. Deixa essa gratidão crescer no teu peito. Deixa que ela invada com a sua frequência excepcional a tua energia. E nunca mais vais ver a vida da mesma maneira.


JESUS citado por Alexandra Solnado

Eu sei que me entendes

Tudo o que eu digo, tu podes compreender.E se o digo, é precisamente porque tu podes compreender.
Podes pensar que não compreendes. É natural. Pensa antes assim: a tua mente não compreende, mas a tua mente não és tu. A tua mente é o teu ego. E esse, esse não me quer compreender, de certeza absoluta.Esse não me quer compreender porque eu lhe retiro o controlo sobre a tua vida.Eu devolvo-o às coisas de que ele menos gosta: ao desconhecido, ao incerto, ao risco e ao sonho. E isso ele não suporta. Por isso é que a tua mente não me entende. Não me quer entender.Mas a tua alma entende-me, e muito bem.A tua essência, o teu ser, a tua energia original, esses entendem-me, e de que maneira.Criam ligação comigo, criam conexão.Criam raízes de energia pura no ventre das palavras.Tudo o que em ti vibra mais alto consegue compreender-me, amar-me e subir comigo.E eu não estou interessado em mais nada.Nem no teu ego, nem nos teus medos, nem na tua mente. Estou interessada em ti...

Vivenciar

O que tem de ser feito, tem de ser feito.
Aquilo por que tens de passar, tens de passar.
Cada coisa surge na tua vida numa determinada altura
para ser vivida, para ser vivenciada.
Não fujas. Vivencia o que tens a vivenciar, aprende com
a experiência, e, só então, parte para outra.
Não deixes de aproveitar esta oportunidade para viver
esta situação até ao fim, até ao limite. Esta situação
é agora a tua grande professora. É aqui que vais aprender,
é aqui que vais evoluir.
E quando a tormenta tiver passado, quando o que houver
para aprender tiver sido aprendido, olha para o céu
e poderás ver mais uma estrela que foi lá colocada
em tua homenagem. E eu seguirei contigo, protegendo-te,
para onde quer que vás.

Jesus citado por Alexandra Solnado

Meu primeiro selinho


Obá..meu primeiro selinho!!! Foi um miminho da minha borbulhante amiga Ângela do Bubble Mind a quem retribuo, claro que sim. Adorei...e é de ouro!! Boa!

Como é de praxe, devo distribuir este selinho por quem acho merecer e como ainda tenho muito que caminhar no mundo blog, ficam aqui alguns que tenho lido (maior parte não conheço, apenas sigo seus escritos) e que acho merecerem o presente:

Pretextos para fugir do real da minha amiga Elisabete
A pipoca mais doce
O rafeiro perfumado
O bolbo da corte

Eu sei, eu sei, deveria colocar mais mas...pronto!

Obrigada Ângela!

“Nunca se esqueça que você é único e especial. Não existe ninguém igual a si, por isso cuide de si como nunca cuidou de ninguém até hoje. Você merece!”

José Micard Teixeira

Sugestão matinal...

20 maneiras de acalmar vizinhos barulhentos...

Vale a pena perder uns minutinhos com este link :D

http://www.mp3sale.ru/release.php?ms_releaseid=34138

Lolololol
"Se você não tomar as rédeas da sua vida, alguém o vai fazer, e isso nunca será o melhor para si"

Jose Micard Teixeira