Posições de yoga


Achei piada aos nomes dados. Agora sempre que as fizer vou rir-me!!
E hoje é dia de yoga!

Pensamentos

Receios parvos

Depois de uma tarde bastante conturbada, quando fui para casa encontrei a minha sobrinha. Já não a via desde a semana passada, 5ª feira mais precisamente, mas mais parecia que não a via desde sempre. Está tão grande e tão despachada. Bateu-me uma saudade tão grande e apesar de ela não gostar muito lá consigo agarra-la à força e roubar uns mimos. 
Mas enquanto olhava para ela, e por causa de todo o turbilhão de sentimentos maus que vivenciava na altura, o único pensamento que me ocorria era um receio enorme, vindo de não sei onde, que ela deixasse de gostar de mim, que me esquecesse e eu deixasse de ser tão importante para ela como sou agora. 
São receios parvos mas que mexem comigo. Espero que isso nunca aconteça, apesar de eu saber que à medida que ela for crescendo a tia passará para um outro plano. Queria puder agarrar aquele amor de forma eterna.
Time ask no questions, it goes on without you
Leaving you behind if you can't stand the pace
The world keeps on spinning
Can't stop it, if you tried to
This best part is danger staring you in the face

Listen as your day unfolds
Challenge what the future holds
Try and keep your head up to the sky
Lovers, they may cause you tears
Go ahead release your fears
My oh my yea, ye, ee

You gotta be bad, you gotta be bold, you gotta be wiser
You gotta be hard, you gotta be tough, you gotta be stronger
You gotta be cool, you gotta be calm, you gotta stay together
All i know, all i know, love will save the day

Conversas de cabeceira IX

- Apesar do aperto no peito, consegues sentir essa pequena esperança que teima em brilhar dentro de ti?
- Consigo. É uma força que nem sei bem de onde ela vem mas que está a segura-me para eu não cair.
- Ela vem de dentro de ti, da capacidade que sempre tiveste em erguer-te...
- Penso que vou conseguir...
- Vais, precisas é de perseverança e fazer as coisas de forma mais relaxada.
- Minha mania de correr às vezes lixa-me. Sou impaciente, quero tudo para ontem.
- Pois é, e o que tens conseguido com isso nos últimos tempos?
- Mágoas e frustrações!
- Sabes que tens alguns projectos na manga, algumas coisas que parecem estar a querer entrar nos eixos. Pensa nisso, nesses projectos que um dia te pareceram mais distantes agora estão mais perto. E tens tido um apoio excelente.
- Eu sei. Estou mais confiante e depois de tanto tempo para pensar, agora sei mesmo o que é melhor para mim.
- Vais em frente com isso?
- Tenho de ir. Mesmo para pensar no bem-estar dos outros, tenho que olhar primeiro por mim.
- E sentires-te bem contigo mesma...
- Isso, para dar o melhor que tenho de mim, em tudo.

Momento cartoon #44

O outro


Porque é que queres tanto ajudar? Porque é que tens tanta necessidade de que o outro seja como idealizaste? Porque é que te empenhas tanto em realizar essa mudança? Pensa assim: Se o outro escolher não mudar – ou escolher fazer aquilo que quer e em que acredita –, tu vais ter de assistir às consequências dessa escolha, e consequentemente vais assistir ao seu sofrimento. E talvez o seu sofrimento seja tanto que vai fazer-te sofrer também.

Voltando à primeira pergunta: Porque é que queres tanto ajudar? Porque não queres sofrer, não queres sofrer ao ver o outro sofrer. Esse é um dos mecanismos da ajuda – o outro mecanismo é que te sentes poderoso e sabedor quando ajudas alguém, mas isso não é o que nos traz hoje aqui. Queres um conselho?

Muda tu. Concentra-te na tua mudança, na tua transformação. Transforma a tua energia. Transforma-a de tal maneira, de tal modo que, se um dia essa ou essas pessoas que escolhem não mudar sofrerem as respectivas consequências negativas, possas estar aí para as apoiares e para lhes ensinares que essas consequências foram fruto da sua resistência, e que, talvez, agora elas mudem. Ou não.

Nós nunca podemos mudar ninguém. A única coisa que podemos fazer é dar amor, ser um porto de abrigo para apoiar as pessoas no seu próprio processo de mudança.

Alexandra Solnado

I can't get no sleep...

Uma noite a olhar para o tecto até as 05h13m...acordei fresca que nem uma alface (not!).
Pelo menos tive tempo mais que suficiente para pensar no que realmente é importante para a minha vida neste momento e já de manha falei com a P. e acordamos que as reuniões para o projecto vão ter inicio este domingo sem falta.
É que, com a possibilidade de uma casa à porta e as coisas no trabalho num stress de fazer cair o pêlo, se não mudo qualquer coisa no plano profissional minha próxima viagem será à drogaria para comprar um bocado de corda!
A vida é mesmo assim, não pára, mesmo quando estamos enfraquecidos ou debilitados, ela não pára e temos de a agarrar com todas as forças que restam. E raios me partam se algo não muda!

Momento musical

O peso das palavras

Eu não creio que grande parte das pessoas tenha noção de como as palavras conseguem magoar, muito mais que actos. As palavras entoam na nossa mente vezes sem conta, a massacrar, a fazer-nos ter mil e um pensamentos sobre o que fizemos para as merecer.
Não sou perfeita, nunca fui nem ambiciono ser. Nem quero encontrar ninguém perfeito na vida. Mas não consigo aceitar que me rotulem de má pessoa simplesmente porque estão magoadas e ressentidas. 
Tudo o que está ao meu alcance eu faço pelos outros que gosto, pelas pessoas queridas, pelos mais chegados, pelos meus amigos. E sou um coração mole para tantos outros desconhecidos que precisam. Faço-o sem esperar algo em troca apenas porque sim, porque é a minha forma de retribuir o carinho que recebo e como forma de me sentir bem e em paz comigo mesma. Quem verdadeiramente conhece-me sabe que essa é a minha filosofia de vida.
Porque quando as pessoas estão magoadas atiram palavras como de pedras se tratassem à espera que nos atinjam e nos magoem de tal forma apenas porque acham que nós não estamos tão magoadas quanto elas? Porque continuam a atirar pedras quando já estamos no chão e na mesma assim parecem não ficar satisfeitas?
Não, não vou sentir culpa por algo que não tenho culpa, não vou aceitar que me digam que sou uma pessoa que age de má fé, que se aproveita dos outros e os descarta quando já não precisa mais deles. Não vou aceitar que me digam que parecia ser uma pessoa e revelei-me outra, que minto, engano, escondo e gozo com os sentimentos dos outros. 
Como qualquer pessoa se eu quiser ser má eu sou, se eu quiser magoar eu também consigo. Mas também como qualquer ser humano eu consigo gostar, amar, dar, receber, abraçar e acarinhar. E é nesta segunda hipótese que vivo, todos os dias. 
Lamento que, para conseguirem seguir em frente tenham de denegrir a minha imagem perante elas mesmas e odiar-me com mentiras. Eu sei quem sou e isso é o mais importante.

Shhiuuuu


Estou com uma porra de uma dor de cabeça que até viro bicho! 
Ainda para mais ter colegas que simplesmente não sabem falar sem berrar que até fazem vibrar os meus tímpanos faz-me um bem danado!
Não entendo, porra! Estou chateada, estou very very very chateada!!!

Momento musical

Zumba

Ontem foi dia de zumba e foi daqueles dias em que me esforcei ao máximo para tirar o melhor partido da aula. Libertei o meu corpo, todas as minhas energias e mexi-me, dancei, exercitei e no final senti-me maravilhosamente bem.
Se havia dia em que precisava mesmo de me libertar de tudo era ontem e consegui uma boa sensação de objectivo atingido. Estava a saber-me tão bem que tive pena de olhar para o relógio e ver como o tempo tinha voado e a aula estava a terminar. Por mim, mais duas horas naquilo e seria o auge.
Estou mesmo a precisar deste tipo de abanões e distracções para me sentir activa. 
Aconselho a todos o que puderem a experimentar. Para além de divertido, é um óptimo exercício.

Neve


Este inverno gostava imenso de passar uns dias na neve. Sempre imaginei estar numa casa e da janela ver cair os flocos e sentir-me quentinha pelo calor da lareira. São daquelas ideias românticas que temos da vida, mesmo que as imaginemos sozinhas. Mas gostava imenso de o fazer. 

Bom fim-de-semana
e que hoje ganhe o melhor, o FCP!!

Pensamentos


Eu gostava de ter o dom de tirar a angústia de todas as pessoas, mas ainda não aprendi a tirar a minha...

Nota mental: 
escrever textos mais pequenos!

Padre Vidinha e a minha idoneidade

Ontem sempre tive o meu encontro com o Sr. padre da minha paróquia!
O padre que aparece em quase todas as fotos de casamentos, baptizados e comunhões de tudo o que é paroquiano cá da terra está envelhecido. Pudera! Eu própria julguei que ele já estivesse no lar ao tempo e o novo padre já tivesse assumido o cargo. Mas o homem está para durar.
Sempre foi um padre com muito má reputação. Era antipático, arrogante, altivo e mau-feitio. Quis que, com a velhice, se tornasse uma pessoa mais afável. Ele próprio dizia ontem que sabia que as pessoas falavam mal dele e que, como ser humano que era, também tinha um lado mau, mas não tão mau como o pintavam. Pois...!
De sorrisos arreganhados e com a cara mais inocente que conseguíamos, lá estava eu e a minha irmã frente ao padre para pedir a minha declaração de idoneidade! "Tem cara de boa pessoa, mas sabe como é, quem vê caras...!" - dizia-me ele! E a quem diz ele uma coisa dessas! Mas a conversa até foi pacata e serena, com aqueles típicos sermões à mistura, da juventude (onde ela já vai), do comportamento humano, do casamento...e nós sempre de tacha arreganhada porque era fundamental aquele papelinho assinado por ele para que minha idoneidade ficasse registada!! Abanávamos a cabeça sempre a concordar, queríamos que a injecção fosse rápida para irmos embora depressa. E lá teve ele que conversar um bocado comigo, conhecer "quem estava à frente dele" para saber se era boa pessoa ou não. Tomáramos nós que meia dúzia de minutos fosse suficiente para sabermos semelhante coisa Sr. padre! Tomáramos nós!!
- É solteira não é?- pergunta-me ele.
- Sou sim...
- Mas tem algum namorado, namorico ou coisa do género?
- Não! Cof...
- Pode-me dizer!! Sou padre mas ficarei feliz por si!! Mas percebi logo que não era casada...Tem um ar leve e alegre!! Vejo que não carrega o peso do casamento e o seu ar jovem demonstra que ainda não viveu as alegrias da maternidade!
Aaaaahhh...vai masé p'o raio que ta parta! Não o disse, mas apeteceu-me dizer! Podia até ser um assunto sensível, ora essa!!
- Também ainda é nova, tem tempo para essas coisas! Que idade tem?
- Farei 30 este ano!
- Ah, mas não parece! Não lhe daria mais de 25! 
E foi aí que me apaixonei pelo Sr Padre! Não, brincadeira! Mas foi simpático da parte dele! Vai arder no inferno por mentir ou a cunha que tem com o de lá de cima permite-lhe mandar estes piropos sem penalização!
Depois foi a vez da minha irmã, coitadinha, levar a lição de moral por ainda não ter casado pela igreja. Ela só anuía, nada mais, o que me dava uma imensa vontade de rir pois sei bem a opinião dela em relação ao casamento religioso. "Um dia, quem sabe Sr. Padre!!", respondia-lhe ela. E numa tentativa de convencimento extremo diz-lhe o padre que até lhe oferece uma garrafa de vinho do Porto do bom!! Eu nem pensaria duas vezes, agarrava logo no home e ia à igreja para buscar a garrafa! Mas cada um sabe de si!
E a melhor parte é que saímos de lá com uma valente dor nas bochechas de tanto sorrir, com a minha declaração de idoneidade assinada (deveria ter tirado uma cópia para futuras dúvidas) e sem pagar nada!! Ele não falou em valores e nós, como não queríamos ofender a santa igreja, também não falamos em dinheiro.  Afinal de contas, eu pelo menos, sou idónea! 

Eu também gosto do Outono e do Inverno


Temos que andar mais juntinhos para nos aquecermos!!!

Done that!!


Que maldade!! 

Gosto da originalidade

Thought of you



Simplesmente fenomenal e apaixonante...

Mais informações aqui
(Obrigada pela partilha JM)

Declaração de idoneidade (wtf)

Há coisas que me fazem rir.
Hoje tenho de ir à igreja da minha paróquia para ir pedir ao padre uma declaração de idoneidade para puder ser madrinha da minha sobrinha.
A sério?!? Tenho que ir pedir a uma pessoa que nunca me viu à frente um papel a dizer que sou uma pessoa idónea?!? E pior, terei de lhe pagar cerca de 10€ por isso! Não fazendo ele a mínima ideia se sou ou não mais parece que estou a suborná-lo...
É por estas coisas que a igreja cai em descrença. Onde já se viu uma coisa ridícula dessas? 
Oh Deus, era mesmo isto que querias para a tua igreja?

Hoje é dia de yoga


Vou partir-me toda outra vez! Weeeee!!

Basicamente


E cansa para caraças!!

Cumplicidades...


...fazem falta!

As férias em Sesimbra

Ontem a malta reuniu-se no sítio de costume e estava tudo animado. Gargalhadas por todos os lados, recordar as férias, situações engraçadas e coisas afins que fazem de um serão algo bastante aprazível. Gosto das noites assim, em que a malta consegue divertir-se sem grandes coisas, apenas uma boa conversa. Mas ontem estava mesmo tudo para a chamada "parvalheira"! 
Recordar as nossas férias no campismo em Sesimbra foi sem dúvida divertido. 
Depois da nossa aventura por terras de Mira e na Festa da Telha, eu, a P. e o D. decidimos que era cedo para regressar ao Porto e que deveríamos aproveitar o resto da semana em outras paragens. Já na estrada, decididos que o rumo seria o Algarve, único sítio em todo o país que na altura parecia ter sol. Tenda de campismo na mala do carro, colchões e eu sem roupa limpa para vestir mas já a planear comprar (o que não foi necessário que a P. tinha a mala cheia de roupa e andei eu de "roupa nova" que não era minha!) e estávamos rumo ao sul a ver mapas e parques de campismo, a ligar para uns e outros a pedir números de telefone para marcarmos lugar até que, a meio do caminho, lembramos-nos de ver como estaria o tempo em Sesimbra, sempre era mais perto, o D. já conhecia, nós ainda não e era bonito. Bingo, estava um tempo fantástico!
Chegados ao nosso destino fomos para o parque de campismo que, ao contrário do que estou habituada a ver, em que as tendas ficam ao calha, ali havia organização por lotes (o que na altura pareceu-me demasiado estranho e mórbido pois parecia que estávamos a escolher o jazigo!). Decidido o sítio onde instalar a "vivenda", o D. mostrou a sua perícia de campista, montou a tenda e estávamos prontos para conhecer a zona. O combinado, D. dormia do lado direito da tenda, dizia ele que tem de adormecer virado para a esquerda e que lhe fazia confusão adormecer virado para outra pessoa, neste caso a P. que dormiria no meio. Assim, colocamos os colchões de forma estratégica, o das meninas, daqueles insufláveis super fofos (mas não tão fofos para dormir) à esquerda e o do D. daqueles de dobrar e muito mais baixo do que o nosso, pelo que o D. ficaria "no andar de baixo", à direita! Engraçado foi quando nos deitamos. Depois de alguns minutos estávamos todos a estranhar, não estávamos confortáveis, havia algo que incomodava. O terreno tinha um declive e a forma como estávamos deitados fazia com que estivéssemos de cabeça para baixo. Quando concluímos que seria melhor mudar de posição, foi apenas mover o corpo e onde eram os pés, passaram a estar as cabeças. "Agora é que me f*****!! - exclama D. naquele silêncio! Com a mudança ficou do lado errado e para dormir virado para a esquerda teria de dormir virado para a P.!! Foi a risota total!
Foram 4 dias muito bons de praia, sol, noites calmas (duas delas bem frias!) e boa comida! Mas a última noite que passamos no campismo foi a que mais nos marcou! Aquela noite por si só já estava estranhíssima, um calor em demasia, e alguns chuviscos à mistura de pingas bem gorditas que até acabavam por refrescar, relâmpagos ao longe e um vento que, se junto à praia já se fazia sentir um pouco, sabíamos que deveria estar em grande no parque de campismo situado bem mais acima numa zona já ventosa por natureza! Chegados "a casa" a noite convidava a ficar fora da tenda, estava calor, não estávamos com sono mesmo sabendo que teríamos de dormir para nos preparamos para a viagem para o Porto no dia seguinte. Não estava fácil para mim adormecer! As pingas gordas a cairem na tenda faziam um barulho muito incómodo e o D. a ressonar também não ajudava à festa! Creio que só adormeci meia hora até acordar sobressaltada com a tenda a abanar por todos os lados pelo vento forte que se tinha levantado. Era assustador! Como tínhamos que dormir com a tenda um pouco aberta senão sufocávamos, era ver o ar acumular lá dentro e a formar um balão! Eu já estava preparada para que a tenda voasse e ficaríamos a nú! A P. só me dizia para acalmar-me que a tenda estava pesada demais e não iríamos a lado algum, mas não era muito fácil voltar a adormecer com o barulhão da lona a mexer de um lado para outro e sentir a tenda a levantar nos pés...E que o diga o D. sempre a levar com a tenda na cara!! Quando finalmente voltamos a dormir somos acordados pela sirene do porto! Parecia que estávamos em zona de guerra! Uma sirene tão estridente e assustadora (para avisar os barcos pelo vento que se fazia sentir e que poderia puxa-los para as rochas) que mais uma vez acordei de sobressalto! "Ai f***-se! Não está fácil!" desabafa a P. E não estava mesmo. O campismo acorda em peso e só se ouvem vozes, pessoas a passear e a fazerem ainda mais barulho para garantirem que não iria dar para dormir! (Sim D. roubaram o teu saco, eu sei!!!). Foram cerca de 15 a 20 minutos de sirene até se fazer silêncio e tomados pelo cansaço voltamos a adormecer. Não dormimos praticamente nada, teríamos de fazer o check-out até às 12h e não poderíamos aproveitar o sossego da manha. Acordamos com as almofadas cheias de areia e eu juro que senti que comi alguns grãos...! 
Pelo menos tivemos a certeza que o colchão não esvazia (como nos tinha dito a E.que experimentara o colchão antes de nós em Mira com o namorado! Pois...para a próxima não pode ser à bruta!! Certo E.? Hehe!). Ou então como ontem a P. disse: "o colchão não desincheu!" Já estás a precisar de férias de novo amiga, estás sim!!

Desculpa P. tinha que partilhar esta pérola de sabedoria!!

Tivemos imensas peripécias durante os dias que lá estivemos, sempre com boa disposição e prontos para o relax! Férias com amigos deixa sempre recordações e é tão bom guardar esses momentos!
Obrigada a vocês pela excelente companhia apesar de várias vezes me terem perguntado: "mas afinal quem te convidou?!?". Tão fofos! :)

Um sorriso

Eu sei que posso percorrer o mundo todo, nada me impede de o ver, de o explorar, mas a minha alma está  presa e arranja sempre maneira de se prender sempre mais um pouco.
Talvez o que eu procure não seja um sítio no mundo, mas um sítio em mim mesma que me faça sentir bem-vinda a casa.
Tenho momentos que acho que preciso de largar tudo e partir sem direcção, que preciso de fazer tudo diferente do que fiz até agora para corrigir, para sentir algo novo, para mudar, para me encontrar, mas outros momentos fazem-me sentir como se já tivesse no sitio certo e na hora certa. 
O que sinto neste momento é um misto dessas sensações, um imenso turbilhão que não me deixa descansar, que se movimenta por todo o meu corpo que me diz que devo mexer-me, sair de onde estou, libertar-me de todas as amarras. 
Mas sorrio porque sei que estou feliz neste momento, porque tenho motivos para me sentir bem, porque mesmo que o amanhã seja completamente diferente do hoje, há coisas que nos fazem reconhecer que a vida tem sim boas coisas para nos oferecer, basta estarmos dispostos e de braços abertos para receber.

Parabéns meu amor

Minha menina hoje faz dois anos. Aquele mini-humano de bochechas fofas, mãos pequenas, olhos meigos e sorriso malandro que conquista-me todos os dias, aquela menina que mudou a vida de todos e espalha sorrisos a toda a hora por cada expressão nova que aprende, cada palavra, cada brincadeira, hoje vai sentir "bugonha" (vergonha) ao ver tanta gente a cantar-lhe os parabéns, a sorrir e a bater palmas só para ela.
Custa acreditar que aquele ser tão pequeno que peguei ao colo um mês depois de uma longa espera pela sua saída da incubadora, hoje precisa de sapatos n.º 24 que o pé já está grande.  
O meu orgulho está a crescer.
Hoje é o teu dia Rita e a tia vai dar-te tantos beijinhos mas tantos, tantos...

Momento musical

Apetites

Vou aprender a dançar. Talvez Sábado faça uma aula experimental para ver se realmente é "a minha praia". Mas hoje a dar uma vista de olhos por algumas escolas de dança, fiquei intrigada e começo a pensar que deve ser engraçado aprender a fazer a dança do ventre.
Fiquei entusiasmada com a ideia. É que esta coisa para trabalhar abdominais é fenomenal! Se calhar...!!!

Tu-ru-ru-ru maluqueira

Voltei aos sonhos malucos! 
Esta noite estavam a matar uma vaca mesmo à minha frente com tiros de caçadeira na cabeça, mais precisamente nos ouvidos!! Ninguém merece sonhar com coisas assim pois não? Nada agradável.
Que vale quando acordei percebi que tinha sonhado comigo a percorrer umas estradas de carro - é sempre bom sonhar que estamos a andar de meios de transporte - e que me sentia plenamente segura, sem receio algum e até feliz pelo sítio onde estava, o único senão é que estava sozinha. No entanto, tirando um ou outro pormenor, acho que foi um bom presságio! 
A vaca não perguntem...não faço ideia o que significa!! Mas se nos próximos dias eu levar um tiro nos ouvidos nada de fazer piadas!!! Eu volto para vos atormentar!!

"To do list" 2012

Em conversa com o meu amigo P. que encontra-se em Birmingham em trabalho, fiquei com imensa vontade de viajar e mentalmente decidi planear para o próximo ano.
Grécia ou Itália estão na minha lista "to do list" 2012". É começar já a separar os trocos para não haver dúvidas.




Afinal, este ano já fiz férias "cá dentro", já posso ir "lá para fora"!

Barreiras ao amor

Tem alturas em que infelizmente percebemos que estamos a caminhar na direcção errada. Apesar do desconforto de o descobrirmos é sempre bom sabe-lo cedo, poupa-nos de constrangimentos maiores e de sofrimentos que já vivenciamos antes e não queremos mais sentir.
Não sei se fico desiludida, triste ou se meu coração já conformado aceita pacificamente. 
Apesar de ser ainda nova e me sentir uma eterna jovem por dentro, algo me diz que muito dificilmente conseguirei superar alguns obstáculos. Sou da opinião que, com o passar do tempo, vamos ficando cada vez mais fechados em nós mesmos, ficamos mais observadores e mais exigentes em relação aos outros e a nossa capacidade de aguentar determinados "baques" é muito menor. 
Sinto que mesmo que tenha algum interesse retraio-me ao mínimo pormenor, à mínima coisa que me possa indicar que não devo prosseguir e sei que isto vai causar-me imensos transtornos porque eu queria voltar a dar-me, voltar a amar sem medos e assim estarei sempre no meu canto, sem dizer o que vai na minha alma. E custa-me ser assim pois sempre fui tão transparente, nunca tive necessidade de me esconder, de me calar. 
Tanta coisa vai ficar perdida por causa destes obstáculos...

Momento musical

Fácil falar


Difícil de fazer...! Mas não impossível! ;)

Queria tanto a minha casinha


Precisava de certezas para encontra-la. Acredito que iria facilitar muito todo o resto!
Pleeeaaseee!!

Tolices minhas


Tomar banho de chuveiro toda nua, apenas de boné na cabeça!
Muuuuiito giro!

Não é nada agradável!! La tortura!

Done that!!! Hilarious!

Que preguiça


Hoje estou que nem posso...

Saudades de amigos

Tenho saudades de algumas pessoas. São pessoas que encontro com frequência na rotina diária, amigos que ao final do dia têm o habito de se juntar para conviver e colocar a conversa em dia. Mas há pessoas com quem tinha uma ligação mais forte e que sinto ter perdido. Já não sei nada delas, já não converso com elas, já não há uma troca de mensagens corrente para saber-se como está.
Lembro-me delas em vários momentos do dia, como estarão, se se lembram de mim também, se sentem a minha falta como eu a deles.
Gostava que tudo voltasse ao que era, gostava de voltar a sentir o carinho deles e o conforto que era sermos próximos, rir-me com eles, conversar...
Tenho saudades de quem me deu a mão e me ajudou a erguer-me de novo quando mais precisei e que nunca esquecerei do gesto, que me fez sentir amparada e menos só. Sinto muito a sua falta e gostava que soubessem.
Eu sei que a vida muda, eu sei que os hábitos também mudam e que com o passar do tempo tudo vai ficando diferente, mas há pessoas que queria manter para sempre junto a mim, pela importância que conquistaram, por quem são!
Espero que um dia tudo volte ao que era...
This life prepares the strangest things
The dreams we dream of what life brings
The highest highs can turn around
To sow love's seeds on stony ground
Breathe
Breathe
Breathe some soul in me
Breathe your gift of love to me
Breathe life to lay 'fore me
To see to make me breathe
Breathe your honesty
Breathe your innocence to me
Breathe your word and set me free
Breathe to make me breathe

Um pouco de paz...


 ...e amor! 
É preciso! Paremos de espremer corações e de nos sentirmos angustiados.
Há tanta coisa boa a ser vivida, porquê que insistimos na mágoa?

Dança sonho, dança!

Um dos grandes projectos da minha vida está a tentar nascer. Eu e a P. lá vamos devagarinho tentando dar forma a um sonho.
Conversas, projectos, ideias, tudo tem vindo a ser colocado em cima da mesa para que possamos analisar calmamente, buscar todas as informações que precisamos e aguardar por respostas.
Ontem conseguimos obter uma grande esperança. Um telefonema a um amigo e terminamos o dia com um brilho no ar. Pelo menos conseguimos ter, nem que seja por breves instantes, a percepção de que podemos estar no caminho certo e que realmente somos capazes.
Eu quero bastante conseguir dar este passo em frente, mesmo que por alguns tempos signifique andar para trás e viver nas incertezas, nas dúvidas. Eu preciso disso e a P. também e por isso, pela nossa vontade, eu vou lutar para que o sonho se torne real e dance...Este sonho precisa de dançar!