Receios parvos

Depois de uma tarde bastante conturbada, quando fui para casa encontrei a minha sobrinha. Já não a via desde a semana passada, 5ª feira mais precisamente, mas mais parecia que não a via desde sempre. Está tão grande e tão despachada. Bateu-me uma saudade tão grande e apesar de ela não gostar muito lá consigo agarra-la à força e roubar uns mimos. 
Mas enquanto olhava para ela, e por causa de todo o turbilhão de sentimentos maus que vivenciava na altura, o único pensamento que me ocorria era um receio enorme, vindo de não sei onde, que ela deixasse de gostar de mim, que me esquecesse e eu deixasse de ser tão importante para ela como sou agora. 
São receios parvos mas que mexem comigo. Espero que isso nunca aconteça, apesar de eu saber que à medida que ela for crescendo a tia passará para um outro plano. Queria puder agarrar aquele amor de forma eterna.

3 comentários:

  1. Claro que nunca deixarás de ser importante! E a tia só passará para outro plano se deixares.. podes ser a confidente dela, o apoio =)

    ResponderEliminar
  2. Os miúdos fogem sempre da família! Mas do que depender de mim, estarei sempre ao lado dela!

    ResponderEliminar
  3. Deixa-te lá desses pensamentos e aproveita cada momento que passares com ela! Serás sempre a tia dela...

    ResponderEliminar