As férias em Sesimbra

Ontem a malta reuniu-se no sítio de costume e estava tudo animado. Gargalhadas por todos os lados, recordar as férias, situações engraçadas e coisas afins que fazem de um serão algo bastante aprazível. Gosto das noites assim, em que a malta consegue divertir-se sem grandes coisas, apenas uma boa conversa. Mas ontem estava mesmo tudo para a chamada "parvalheira"! 
Recordar as nossas férias no campismo em Sesimbra foi sem dúvida divertido. 
Depois da nossa aventura por terras de Mira e na Festa da Telha, eu, a P. e o D. decidimos que era cedo para regressar ao Porto e que deveríamos aproveitar o resto da semana em outras paragens. Já na estrada, decididos que o rumo seria o Algarve, único sítio em todo o país que na altura parecia ter sol. Tenda de campismo na mala do carro, colchões e eu sem roupa limpa para vestir mas já a planear comprar (o que não foi necessário que a P. tinha a mala cheia de roupa e andei eu de "roupa nova" que não era minha!) e estávamos rumo ao sul a ver mapas e parques de campismo, a ligar para uns e outros a pedir números de telefone para marcarmos lugar até que, a meio do caminho, lembramos-nos de ver como estaria o tempo em Sesimbra, sempre era mais perto, o D. já conhecia, nós ainda não e era bonito. Bingo, estava um tempo fantástico!
Chegados ao nosso destino fomos para o parque de campismo que, ao contrário do que estou habituada a ver, em que as tendas ficam ao calha, ali havia organização por lotes (o que na altura pareceu-me demasiado estranho e mórbido pois parecia que estávamos a escolher o jazigo!). Decidido o sítio onde instalar a "vivenda", o D. mostrou a sua perícia de campista, montou a tenda e estávamos prontos para conhecer a zona. O combinado, D. dormia do lado direito da tenda, dizia ele que tem de adormecer virado para a esquerda e que lhe fazia confusão adormecer virado para outra pessoa, neste caso a P. que dormiria no meio. Assim, colocamos os colchões de forma estratégica, o das meninas, daqueles insufláveis super fofos (mas não tão fofos para dormir) à esquerda e o do D. daqueles de dobrar e muito mais baixo do que o nosso, pelo que o D. ficaria "no andar de baixo", à direita! Engraçado foi quando nos deitamos. Depois de alguns minutos estávamos todos a estranhar, não estávamos confortáveis, havia algo que incomodava. O terreno tinha um declive e a forma como estávamos deitados fazia com que estivéssemos de cabeça para baixo. Quando concluímos que seria melhor mudar de posição, foi apenas mover o corpo e onde eram os pés, passaram a estar as cabeças. "Agora é que me f*****!! - exclama D. naquele silêncio! Com a mudança ficou do lado errado e para dormir virado para a esquerda teria de dormir virado para a P.!! Foi a risota total!
Foram 4 dias muito bons de praia, sol, noites calmas (duas delas bem frias!) e boa comida! Mas a última noite que passamos no campismo foi a que mais nos marcou! Aquela noite por si só já estava estranhíssima, um calor em demasia, e alguns chuviscos à mistura de pingas bem gorditas que até acabavam por refrescar, relâmpagos ao longe e um vento que, se junto à praia já se fazia sentir um pouco, sabíamos que deveria estar em grande no parque de campismo situado bem mais acima numa zona já ventosa por natureza! Chegados "a casa" a noite convidava a ficar fora da tenda, estava calor, não estávamos com sono mesmo sabendo que teríamos de dormir para nos preparamos para a viagem para o Porto no dia seguinte. Não estava fácil para mim adormecer! As pingas gordas a cairem na tenda faziam um barulho muito incómodo e o D. a ressonar também não ajudava à festa! Creio que só adormeci meia hora até acordar sobressaltada com a tenda a abanar por todos os lados pelo vento forte que se tinha levantado. Era assustador! Como tínhamos que dormir com a tenda um pouco aberta senão sufocávamos, era ver o ar acumular lá dentro e a formar um balão! Eu já estava preparada para que a tenda voasse e ficaríamos a nú! A P. só me dizia para acalmar-me que a tenda estava pesada demais e não iríamos a lado algum, mas não era muito fácil voltar a adormecer com o barulhão da lona a mexer de um lado para outro e sentir a tenda a levantar nos pés...E que o diga o D. sempre a levar com a tenda na cara!! Quando finalmente voltamos a dormir somos acordados pela sirene do porto! Parecia que estávamos em zona de guerra! Uma sirene tão estridente e assustadora (para avisar os barcos pelo vento que se fazia sentir e que poderia puxa-los para as rochas) que mais uma vez acordei de sobressalto! "Ai f***-se! Não está fácil!" desabafa a P. E não estava mesmo. O campismo acorda em peso e só se ouvem vozes, pessoas a passear e a fazerem ainda mais barulho para garantirem que não iria dar para dormir! (Sim D. roubaram o teu saco, eu sei!!!). Foram cerca de 15 a 20 minutos de sirene até se fazer silêncio e tomados pelo cansaço voltamos a adormecer. Não dormimos praticamente nada, teríamos de fazer o check-out até às 12h e não poderíamos aproveitar o sossego da manha. Acordamos com as almofadas cheias de areia e eu juro que senti que comi alguns grãos...! 
Pelo menos tivemos a certeza que o colchão não esvazia (como nos tinha dito a E.que experimentara o colchão antes de nós em Mira com o namorado! Pois...para a próxima não pode ser à bruta!! Certo E.? Hehe!). Ou então como ontem a P. disse: "o colchão não desincheu!" Já estás a precisar de férias de novo amiga, estás sim!!

Desculpa P. tinha que partilhar esta pérola de sabedoria!!

Tivemos imensas peripécias durante os dias que lá estivemos, sempre com boa disposição e prontos para o relax! Férias com amigos deixa sempre recordações e é tão bom guardar esses momentos!
Obrigada a vocês pela excelente companhia apesar de várias vezes me terem perguntado: "mas afinal quem te convidou?!?". Tão fofos! :)

6 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. lol...ja que nao é preciso convite..para a proxima conta cmg...lol

    ResponderEliminar
  3. Estás à vontade!! Vem é preparada para a parvalheira!! :)

    ResponderEliminar
  4. Parvalheira é cá conosco! :)
    Mas é coisa saudável por acaso!
    Foi pena não ter ido com vocês para Sesimbra!
    Mas se eu lá estivesse era certo que o colchão ia "desincher"! :) Já que pelos vistos tenho dificuldades em ser meiguinha em determinadas coisas! :)

    ResponderEliminar
  5. Pois, quiseste retornar ao norte, foi pena que aqueles jantares que tivemos lá foram bem bons! :p
    Tu e o teu compincha "desincherem" um colchao numa só noite quando ele aguentou 4 comigo e com a P. é caso para dizer "à bruta mesmo!!". Hehe!!

    ResponderEliminar