É Proibido

É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.
É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,
Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos
Não tentar compreender o que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam,
Ser gentil só para que se lembrem de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,
Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar,
Esquecer seus olhos, seu sorriso,
só porque seus caminhos se desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,
Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.
É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,
Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.
É proibido não buscar a felicidade,
Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual
Pablo Neruda
Já não se encantarão os meus olhos nos teus olhos,
já não se adoçará junto a ti a minha dor.

Mas para onde vá levarei o teu olhar
e para onde caminhes levarás a minha dor.

Fui teu, foste minha. O que mais?
Juntos fizemos uma curva na rota por onde o amor passou.

Fui teu, foste minha. Tu serás daquele que te ame,
daquele que corte na tua chácara o que semeei eu.

Vou-me embora. Estou triste: mas sempre estou triste.
Venho dos teus braços. Não sei para onde vou....

Do teu coração me diz adeus uma criança.
E eu lhe digo adeus.

Pablo Neruda

A dor da saudade por ti...

Pensei que seria mais fácil...Nem sequer tinha qualquer noção de como a dor e a saudade juntas podiam aniquilar um corpo humano.
Não é maluquice, não é farsa, não é capricho, meu corpo está doente por amor. Meus olhos já transparecem a dor da minha alma e não consigo esconder. Sinto a tua falta...Imagino a cada segundo como seria ver-te nem que fosse mais uma vez, dar-te um abraço e olhar-te nos olhos. És demasiado importante para mim para simplesmente abrir mão de ti, do que sinto, do que vivemos. Num misto de coisas boas e coisas más pelo menos estavamos juntos, eu sabia que estavas lá, tu sabias que eu estava aqui. Agora..eu sei que não me queres junto a ti e doi...doi imenso.
Tenho que respeitar o teu espaço e deixar-te seguir o caminho que dizes querer, minha mente sabe o que deve fazer, meu coração pede-me para ignorar teu pedido e correr atras de ti. Por momentos sinto que perdi controlo de mim, dos meus pensamentos, do meu corpo. Minha alma deseja incessantemente ter-te, olhar-te nos olhos e dizer-te o quanto te quer bem. Parte de mim sabe que deixar-te no teu caminho é dizer-te em silencio tudo isso e que ficas melhor assim, mas não consigo...meu Deus, não consigo.
Onde erro para sofrer assim? O que posso fazer para fazer a dor parar? Não sei o que me doi mais, minha alma ou meu corpo.
Ninguem consegue compreender...nem tu! Se ao menos tu percebesses que meu bem-estar está contigo...será que voltavas?
Sinto tua falta...

Tá doendo?! Então Solta!

Graças a um amigo fiquei a saber de um site muito bom. Vou transcrever o texto que ele me indicou para a minha "cura" sentimental. Pelo título até pensei que fosse qualquer coisa para as cólicas, mas não...está muito bom. Aqui vai:

Tá doendo?!? Então, solta!
Por Rosana Braga

Sabe quando você vive uma situação difícil, angustiante e que te incomoda? Quando você não sabe o que dizer, o que fazer ou como agir para que a dor passe ou ao menos diminua?
Pois vou te contar o que tenho descoberto, por experiência própria! Em primeiro lugar, observe a situação toda e, sobretudo, observe a si mesmo e os seus comportamentos.
Errou? Tente consertar e, de qualquer modo, peça desculpas!
Fez ou falou o que não devia? Explique-se, seja sincero, não tente esconder seu engano ou fingir que nada aconteceu... Valide a dor do outro, sempre.Ta difícil conseguir uma nova chance? Dê um tempo. Espere... Às vezes, algumas noites bem dormidas e alguns dias sem a imposição de sua presença ou a insistência de suas tentativas são preponderantes para que os sentimentos bons sejam resgatados e para que um coração possa ser reconquistado.
Por fim, fez tudo isso e não deu certo? Não rolou? A pessoa até te perdoou, mas a massa desandou, a história se perdeu, os desejos esfriaram?!?
Você se sente inconformado, esmagado pelo arrependimento, atordoado pela tristeza do que poderia ter sido e não foi? Tem a sensação de que estragou tudo? Não sabe mais o que fazer para parar de doer? Acredite, só tem um jeito: solta!
A dor é conseqüência de um apego inútil! Deixa ir... Deixa rolar... Se você já fez o que podia fazer, tentou e não deu, confie na vida, confie no Universo e siga em frente. Pare de se lamentar, pare de se debater e de se perder cada vez mais, e tenha a certeza absoluta de que o que tiver de ser, será!
Quando essa certeza chega, é impressionante: a gente simplesmente relaxa e solta! E quando solta, a dor começa a diminuir, e a gente começa a compreender que está tudo certo, mesmo quando não temos a menor idéia de que “certo” é esse. Mas quando menos esperamos, tudo fica absolutamente claro!
Não se trata de desistir, mas de confiar! Isso é o que se chama “FÉ”!
Em somostodosum.ig.com.br

Oficialmente de coração partido

Não foi um dia nada bom...não, não foi...
Depois de um acto realizado pela minha pessoa tão inteligente (claro que sim!) eis que hoje, oficialmente, tomei noção de que existem erros simplesmente irreparáveis. Ah pois é! Também eu erro...difícil de admitir mas a mais pura verdade! :S Pensei que o que queria era estar sem ele...burra, burra, burra, burra...BURRA!
Para ser sincera, o que me foi dito neste dia tão bonito de Domingo não foi novidade. Nada que eu já não tivesse a contar cá no íntimo, pois tenho noção do mal que faço e das falhas que cometo (muitas até)! Mas a esperança é sempre a última a morrer. O que seguiu é que foi lamentável, deprimente e claro com direito a chatear minha grande amiga porque isto de ir ao fundo do poço sozinha num dia solarengo é dose! E claro, se eu já sou uma pessoa com tendência para desidratar, hoje esgotei por completo toda a água do meu reservatório. Calma...o dia ainda não acabou e ainda não bebi!
Tem sido um dia complicado..bem complicado. Perder alguém que se ama é simplesmente algo horrível. Confesso que não sei bem qual o passo seguinte e como aceitar que errei e por isso sofro, talvez um dia obterei a resposta, mas por enquanto a dor é inimaginável. Depois, é o ritual...ver fotos, chorar, pensar, lembrar, ver fotos outra vez, tocar nas fotos na tentativa de sentir algo mais, chorar porque ainda não aceitamos e escrever...porque um dia isto terá passado e saberemos que já amamos e fomos amados. O problema mesmo é aceitar que deixamos de ser amados por aquele especial, pelo "tal", e pior, saber que fomos nós por nossa maneira de ser que o afastamos.
Hoje sei que foi um dia mau, mas fui eu que o criei. Fui eu, com meu egoísmo, minha incapacidade para ver para além de mim mesma que complicou o dia-a-dia de uma relação que tinha muita coisa para dar certo, mas que voluntariamente minei e arruinei. Não existe qualquer perdão para o sofrimento que causei nele, magoa-lo simplesmente por ele pensar que não gosto da maneira de ele ser. Errado, completamente errado. E faze-lo acreditar em mim? Impossível. Sempre demonstrei o contrário e agora é dificil fazer valer o que realmente é! Adoro-o por tudo o que ele é, por quem ele foi e será. Adoro-o intensamente e por completo. O olhar, o sorriso, a voz, o toque, o andar, o pensar. Adoro os valores que defende, no que acredita, na força que tem...mas hoje sei que nada disso interessa mais! A culpa foi minha e agora é deixar o tempo sarar nossas feridas para ficarmos bem, separados, mas bem.
Agora sei o que é amar e não ser correspondida.
Aceitar é difícil...hoje acho que nunca vou aceitar!
Amar tem que ser de corpo e alma por isso façam-no, não julguem nada como garantido porque o tempo encarregar-se-á de demonstrar o inverso. Aproveitem a rotina, o dia-a-dia, o bom e o mau e aproveitem cada segundo. Vão por mim...eu sei!
Hoje foi um dia mau...

Dia de S. Valentim

Ah pois é...hoje é dia...um dia de sorte para muitos pobre coitados que andam a penar o ano inteiro por um pouco de mais miminho e que só a força de muita onda comercial e bombardeios publicitários lá conseguem arrancar uma boa intenção da sua cara metade.
Hoje também é dia de muita partilha de calor humano. Não tenho ideia em quantos países se celebra o dia dos namorados, ainda são alguns, e alguém faz ideia de quantos casais vão contribuir para o aumento da taxa de natalidade unicamente hoje??? Muitos!! É concerteza o dia em que mais tensão sexual se partilha no planeta. Chegada a noitinha lá vão os passarinhos que de mão dada passam por nós virar seu ninho de pantanas! Penso que hoje muita electricidade poderia ser gerada unicamente se ligassemos os casais de namorados a um fio condutor durante esta noite. E aquando da chegada da noite estaria eu a ser constantemente interrompida na minha leitura por algumas falhas de luz causadas por lapsos de cansaço ou falhas de ritmo ;).
Podiamos ter sido um bocadinho mais inteligentes e ser como o povo brasileiro, festejar no dia de S. Valentim a 12 de Junho. Sempre estaria mais calor, teriamos mais opções romanticas de passeios à beira mar desprovidos de tanta roupa, casacos grossos e cachecois que só vão atrapalhar! Calçãozinho curto, sandaliazinha no pé, camisolas decotadas...e que tal um referendo para mudar a data?? Boa?
É dia de se colocarem para trás das costas pequenos (e mesmo grandes) arrufos e sorrir deixando para amanhã o que nos chateia. Sim, porque amanhã vão estar de costas voltadas outra vez ou julgam que dando as badaladas da meia-noite e passando para dia 15 que as quesílias não voltam? Qual noite romantica ou prenda com corações qual quê? Adoro-te no dia 14 porque temos o jantar, mas amanhã vamos ter aquela conversa!! ;)
Invejas à parte pelo bater da solidão, há que ser realista. Apesar de muito comercial, é um dia bom para quem ama e é amado, para quem partilha a vida com alguém por isso aproveitem cada segundo e tentem levar o espírito para os restantes dias do ano para ver se a coisa melhora...
Feliz dia de S. Valentim

Um pequeno balanço.. ;)

Como ninguém quer a coisa já estamos em meados do mês de Fevereiro de 2009. Na minha mente ainda estamos a passar o milénio..como o tempo voa! Ainda alguém se lembra dessa passagem de ano tão esperada? O final dos tempos, o fim do mundo, o bater das badaladas e esperar pelo grande estouro e...nada! Simplesmente não aconteceu nada! Erguemos as taças e brindamos todos contentes porque afinal, tal como na metereologia, alguem nas profecias havia cometido um engano e afinal não acabava nada em 2000! Nostradamus hello!! Acho que te enganaste pá! É certo que reparo uma certa decadêcia desde essa altura...o relacionamento entre o virar do milénio e a degradação que se assiste ainda não descobri mas seria um bom tema de reflexão! Pessoalmente não deixo de observar que algo mudou e continua em processo de mutação! Não era para menos, eu era uma pessoa muito mais jovem, uma rapariguinha em tenra idade e mesmo a ideia de estar a vivenciar o big bang em inverso não me assustava assim tão facilmente. Passados nove anos e um simples barulho no escuro leva a minha mente a acciona os slides da minha vida e volto a ver-me no berço com as grades de ferro!! Eram muito frias essas barras de ferro mãe! Brrrr!!!
E porque falar na passagem de ano em Fevereiro perguntaria alguém um pouco interessado no blog...sinceramente não sei, foi daquelas sequências de pensamento relacionadas com aniversários, dia de S. Valentim (ainda não posso escrever porque é só amanhã) e pumba...surge uma ideia. Idiota... ;)

Em busca da Energia do Cosmos..1ª parte

Estou a ler pela 2ª vez na minha vida "A Profecia Celestina". Sempre ouvi dizer que este livro aparece nas alturas certas mas tenho noção que da primeira vez não tomei a devida atenção pois não levei em conta o seu ensinamento. Já estou quase no fim e confesso que tenho vontade de o reler! A ideia de existir um Manuscrito que nos guia para uma nova consciencia da vida e do mundo e que nos prepara, por fases, a viver melhor connosco e com os outros entusiama-me. Dou por mim a experimentar ver os campos de energia como são descritos e acho que meu subconsciente me prega uma ou outra partida! Sim.. tem vezes que acho que vejo a energia em volta das coisas! (O livro que se segue será algo como "Se vê campos de energia parabéns..está oficialmente maluca!")
Nos dias que se seguem ao inicio da leitura ainda consigo ser fiel ao que leio e sigo com bastante atenção aos sinais e coicidências em torno da minha rotina diária. É verdade que durante a leitura tomei noção das milhares de vezes que coicidências aconteceram na minha vida e houve alturas que tomei noção delas e interpretei-as correctamente, mas outras so as percebi depois de reflectir sobre o livro.
Engraçado que depois de ter lido "O segredo" começo a achar que, apesar de publicado em 1993, "A Profecia Celestina" já estava no caminho certo. O Cosmos, a Energia, a Força do Universo, da nossa consciencia, de nós mesmos e dos outros são temas em comum e fazem muito mais sentido agora.
Claro que nunca iria tão longe como as personagens para obter as respostas às minhas questões. São muitas, é verdade, milhares para ser sincera e enquanto leio deixo que alguma ilusão se crie na minha mente de que realmente existe algum sitio no mundo capaz de nos iluminar a mente em questão de dias como de uma terapia intensiva se tratasse, mas seria incapaz de viver no limite para obter o que procuro sem ter a certeza que seria seguro. Percebo sim que esta é uma atitude plenamente comodista de dizer que se não tiver certeza não me mexo e sim, na verdade temos sempre que sacrificar algo se realmente queremos obter o que desejamos, mas ir tão longe...humm não sei não!
Pode ser que o impulso surja na 3ª leitura! ;)