Momento musical

Pormenores de vida

E se manhã não existisse, o que gostarias que soubessem de ti? É o meu pensamento nos últimos tempos quando dou por mim a simplesmente observar o mundo e lembrei-me de o escrever quando vinha no carro a escutar uma das músicas que mais gosto, apesar de ser tão cliché, mas que faz parte da lista de músicas que não me cansam. Falo da Wicked Game do Chris Isaak. Mas a música da minha vida, de entre muitas e muitas, será sempre e para sempre a Linger dos Cranberries.

Talvez grande parte dos meus amigos achem que sabem tudo sobre mim, como eu às vezes acho sobre eles mas é certo que nunca ninguém conhece assim outra pessoa tão bem. Por exemplo, quase todas as vezes que nas aulas de gym vem a parte do relaxamento e a P. coloca as músicas calmas, quase sempre me dá uma vontade de deixar uma lagrimita cair. E a sala com as luzes apagadas é propícia a isso. Já aconteceu...verdade! E mais do que uma vez. 

Amanhã será um dia diferente para mim e não faço ideia como será a seguir, e tirando todo o humor negro que poderia fazer e que já sei que muitos não gostam, espero que haja a seguir. Sei que minha mãe está de coração nas mãos, vejo isso no olhar dela e acho que é mesmo mais por ela que peço que tudo corra pelo melhor. Era a última pessoa no mundo que queria magoar. Meu pai também claro, mas minha mãe...Deus sabe do que falo. E espero que ela saiba que tudo é apreciado, tudo o que ela faz é apreciado e admiro a sua coragem. Nunca terei como lhe agradecer...

Sou uma medricas do maior que há! Ontem falava com a minha irmã que me contava como Rita, a minha sobrinha, acordou a chamar por ela com medo da trovoada. "Tens medo da trovoada Tita?" - perguntei eu e ela timidamente respondei que sim. "Tens medo do prumprumprumprum....?" - tentei eu fazer o som - não te preocupes que a tia também e não é pouco! - verdade! Pior que isso, é a trovoada acordar-me a meio da noite e eu estar com as mãos de fora dos cobertores! É o pânico!

Sou uma grande nódoa para concluir um projecto! Grande nódoa mesmo! E por isso é que sempre que tenho algo em mente ou tenho ao meu lado alguém que não me deixa desistir ou não digo a ninguém porque se alguém me pergunta "tens a certeza?" será suficiente para o Tico e Teco começarem a duvidar e fica tudo por fazer. Tem sido assim com a minha tão adorada casinha, projecto em carteira desde 2009.

To be continued (hope so)...

Time to move on my dear friend

Tenho um amigo que se encontra a braços há já mais de 4 anos na mesma situação amorosa e não há meio dela sair. A história é muito simples: rapaz conhece rapariga, rapariga é comprometida, nos primeiros tempos combatem a atracção até que acabam por ceder. Rapariga diz que vai terminar a relação mas por obra do diabo algo a prende e não consegue. Pede ao rapaz para esperar um pouco até tudo estar resolvido, cerca de um ano mais ou menos e ele espera. Espera e espera e espera enquanto o tempo passa. Alguns encontros vão acontecendo com promessas de um dia tudo ficar melhor e puderem viver aquele amor. 

Os sentimentos vão sendo alimentados pelo romance, pelos encontros fortuitos, pela ideia de um dia viver a promessa. Mas tudo isto apenas na mente do rapaz. Nada daquilo que prometem é real mas o que alimenta naquele momento, o ego, a estima, faz com que o coração não veja. Quatro anos se passaram e a rapariga regressa supostamente livre e mais uma vez cheia de amor para dar, cheia de vontade de continuar a história onde ela ficou suspensa. O rapaz ouve aquilo pelo que esperou durante aquele tempo todo, as palavras de amor e vive o conforto do abraço, do beijo, do sexo, da cumplicidade e o seu coração é inundado de volta com a esperança de que valeu a pena aquela espera, aquela clausura que se sujeitou sempre a aguardar pelo seu amor, que não fez mal em rejeitar outras propostas, outras histórias, outros encontros e abraços pois só aquela lhe interessava.

Quatro anos se passaram e a rapariga continua no mesmo jogo. Vai e vem, desculpa atrás de desculpa com o hoje quero-te na minha cama, no meu abraço, amanhã já estou confusa e não sei bem se estou a agir de forma correcta. 
Quatro anos que sou espectadora desta história, que a vejo desenrolar-se pelo lado de fora e que participo com conselhos e opiniões quando assim me são solicitados. Revolto-me com ele quando ele está revoltado, dou-lhe meu apoio quando a rapariga diz querer-lo de novo mesmo eu percebendo que é um erro mas que não posso fazer nada mais do que estender a minha mão e desejar boa sorte. Meu amigo sabe minha opinião sobre a história, sobre o que acho ser melhor fazer, sobre o que já deveria ter sido feito não agora mas há quatro anos atrás. Mas a minha opinião não é partilhada pelo coração dele. 

Pelo carinho que lhe tenho sempre desejei que a rapariga ganhasse juízo e cumprisse o que prometeu, devolver o sorriso ao meu amigo, mas isso não acontece. Depois de um encontro cheio de vida e alegria vem sempre o dia seguinte, aquele em que não faz sentido e que que as lágrimas e a revolta regressam em força e vejo a auto-estima do meu amigo a ser mais uma vez massacrada e nada posso fazer senão ouvir.

Meu amigo como eu queria que tu voltasses as costas a essa história que de amor nada tem, que nasceu torta e torta sempre será, que não é real e está sustentada por falsas esperanças, por alegrias de momentos que não têm futuro. Eu sei que o que mais querias era ela, a tua luz, o teu amor, a tua espera. Querias puder dizer a ti mesmo que agiste bem em esperar e que nada foi em vão, que ela valeu cada lágrima, cada grito de dor, cada momento que viveram juntos e separados. Num mundo perfeito eu iria querer o mesmo que tu para ti e iria esperar que ela te visse como tu és na realidade, esse ser humano fantástico mas está na hora de deixares de te torturar, de achares que não mereces ser amado e que teu destino é ficar sozinho, que não tens valor e não és apreciado. Tudo isso é uma mentira e é tempo de voltares a olhar-te com orgulho e a certeza de que o amor só não te aconteceu porque fechaste-lhe as portas, porque decidiste reserva-lo para alguém mas o mundo nunca te deixou de ver, nunca te deixou de apreciar nem nunca te esqueceu.

Eu não vou mais querer ler mensagens tuas em que dizes não merecer ser feliz e que te resignas e aceitas a triste sina de ser infeliz e mal-amado. Não vou aceitar isso. Está na hora de olhar em frente e se amanha me disseres mais uma vez que ela pensou bem e que afinal quer estar contigo, serei a primeira a estar à porta da tua casa a barrar-te a saída. Quatro anos amigo...quanto tempo mais precisas, quanto sofrimento mais precisas? Chega! E eu vou estar aqui para garantir que chega mesmo, mesmo que signifique que me odeies, acredita que vou fazê-lo por gostar demasiado de ti para te ver em tamanho sofrimento.

Momentos engraçados

E quem se atreve?

Missing


Missing someone isn’t about how long it has been since you have seen them or the amount of time since you’ve talked. It’s about that very moment when you’re doing something and you wish that they were right there with you.

Inspiration is a bliss

Oh meu Deus...


...estou gelada até aos ossos! Cruzes!

.


Who wants to live forever?
Who wants to live forever?

Who dares to love forever?
When love must die

(...)

Who waits forever anyway?


Pensamentos


Aprendi que meu caminho pode ser solitário mas é meu e vou percorrê-lo todo sem olhar para trás. Se calhar é melhor assim mesmo.

Momento musical

Auto-censura


Algumas vezes sou tão duuuhhhh!!! Chiça!

.


I'm waiting
Debating
Try to find a way to get this through to you
So c'mon, won't you understand?
I'm waiting
Debating
Keep trying to find a way for us to both agree, yeah
The one thing we can't deny
Is that life has no guaranties


Fuxk!

Old Jerusalem

Ontem fui ao Cafe au Lait na rua das Galerias de Paris ver um mini-concerto dos Old Jerusalem, artista amigo da minha irmã. Já tinha conhecido o anterior albúm, também muito bom e ontem foi a apresentação do novo e devo dizer que gostei bastante, pena não ter registos para publicar. O mais engraçado é a proximidade com o artista, o Francisco Miguel. Antes do concerto vem à nossa beira avisar que vai começar a tocar. É sempre giro e não é para todos! :)
Boa música.

Somos umas pérolas



Sagitariano é assim
Um desastrado apaixonado
De coração doce
Mas grito forte
De alma sincera
Mas é uma fera
se lhe provocam
Ama de verdade
Até um novo amor surgir
Se entrega sem regras
Para o amigo fazer sorrir
No seu coração a mágoa
Não faz casa... Briga fácil
Perdoa mais fácil ainda
Às vezes, ele é insano
Outras vezes, todo zen
Tenha um sagitariano por perto
E verás a alegria que a vida tem

Momentos engraçados

Momentos engraçados

Legislação complementar às Leis de Murphy

“O seguro cobre tudo, menos o que aconteceu." (Lei de Nonti Pagam)

"Quando estiver apenas com uma mão livre para abrir a porta a chave estará no bolso oposto." (Lei de Assimetria de Laka Gamos)

"Quando as suas mãos estiverem sujas de óleo, vai começar a ter comichão, pelo menos, no nariz."
 (Lei de mecânica de Tukulito Tepyka)

"Não importa por que lado seja aberta a caixa de um medicamento. A bula vai sempre atrapalhar." (Princípio de Aspirinovski)

"Quando acha que as coisas parece que melhoraram é porque algo lhe passou despercebido." (Primeiro teorema de Tamus Tramadus)

"Sempre que as coisas parecem fáceis é porque não entendemos todas as instruções." (Princípio de Atrop Lado)

"Os problemas não se criam, nem se resolvem, só se transformam." (Lei da persistência de Waiterc Pastar)

"Vai conseguir chegar ao telefone exactamente a tempo de ouvir quando desligam." (Principio de Ring A. Bell)

"Se só existirem dois programas que valha a pena ver os dois passarão à mesma hora." (Lei de Putz Kiparil)

"A probabilidade de se sujar quando come é directamente proporcional à necessidade que tenha de estar limpo." (Lei de Kika Gadha)

"A velocidade do vento é directamente proporcional ao preço do penteado." (Lei Meteorológica Barbero Pagá)

"Quando, depois de anos sem usar, decide deitar alguma coisa fora vai precisar dela na semana seguinte." ( Lei irreversível de Kitonto Kifostes)

"Sempre que chegar pontualmente a um encontro não haverá lá ninguém para comprovar e se ao contrário se atrasar todo a gente terá chegado antes de si." (Princípio de Tardelli e Esgrande La de Mora)

Autor desconhecido.

Hot nights

Depois de algumas noites descansadinhas eis que hoje voltei a sonhar continuamente. Não que desgoste, minha mente tem historias muito engraçadas para me contar durante o sono, mas o cansaço que provoca é menos agradável.
Lamento meus fãs, fieis fãs e admiradores, hoje tive um sonho deveras interessante.
Tenho continuamente sonhado que estou em algum tipo de teatro, cinema ou sala de espectáculos e em todos eles encontro-me sempre sozinha. Começo por estar com gente mas de um momento para o outro toda a gente desaparece ou eu os desencontro (devem ser traumas ou síndrome de abandono), mas hoje, enquanto saia da sala de espectáculos, mais precisamente da primeira fila, um rapaz veio ter comigo e começou a meter conversa. Achei demasiado insinuado da parte dele mas a sua companhia começava a ficar gradualmente agradável à medida que o tempo ia passando e eu procurava os meus amigos. Lembro-me perfeitamente da cara dele pois acho que é um actor (wtf) que vi num talkshow aqui há dias, mas no meu sonho chamava-se Filipe! Yep, sim, verdade, sonhei com um rapaz de nome Filipe! Raramente me lembro de pormenores destes e não me lembro sobre o que conversamos, sei que houve um beijo muito desagradável e um clima muito estranho até os meus amigos regressarem para junto de mim e voltarmos ao espectáculo. Esquisito? Sim, no mínimo, até porque não me recordo de ninguém com esse nome. Mas é sempre giro ter este tipo de histórias, ao menos enquanto durmo!
Ao Filipe o meu obrigado pela companhia nocturna! 

Momento musical

Eles sabem o que importa

Como vai ser no Outono e no Inverno?


Teasing


Estou constantemente a ver este anúncio engraçado. Acho piada aos olhos tresloucados do bicho. Mas de todas as vezes que o encontro não deixo de pensar que a pergunta é directamente dirigida a mim e em pensamento respondo quase sempre: sou! E depois?!?

Remembering

Faz hoje precisamente 5 anos que tive um dos maiores acidentes da minha história da condução de veículos ligeiros. No aniversário da minha mãe e irmã, numa manhã de chuva miudinha em que a minha mãe se ofereceu para ir comigo e eu é que rejeitei (e ainda bem porque seria do lado dela!). Eram cerca das 10h quando dei por mim a despistar-me na auto-estrada depois de um encontro com um pavimento besuntado de óleo. Não foi bom nem é uma boa recordação mas não deixo de me lembrar disto por ter acontecido neste dia e como poderia ter sido marcado da pior maneira. Consigo lembrar-me de cada segundo desse momento, de cada medo e pensamento que me passou pela cabeça enquanto o carro andava às voltas cada vez mais em maior velocidade em direcção ao impacto final, inevitável. Nem sei quantas voltas dei! A música que tocava na altura no rádio também ficará por muito mais tempo associada aquela destruição, aquela impotência de saber que não havia nada que pudesse fazer a não ser esperar que terminasse e que não iria ser nada meigo. Desde esse dia e até aos dias de hoje continuo a tentar fazer as pazes com a estrada. Em muitas circunstâncias ainda sinto receio, e se por algum motivo o carro "foge", ou porque passei num trilho, ou numa curva, seja onde for, meu coração sofre um aperto tal que me sinto sufocar. 5 anos já passaram mas na minha memória foram apenas 5 minutos.
Recordações! Ainda bem que que aqui estou para escreve-las.

Parabéns a ti e parabéns a ti


Hoje é dia de aniversário...a dobrar! Minha Mãe e irmã fazem aninhos! 
Portanto hoje é dia de festa e não vamos ter dois bolos porque seria um desperdício mas 4 velinhas a serem sopradas e com sorte dois parabéns a serem cantados, não por elas mas pela minha sobrinha Rita que adora que lhe cantem os parabéns só para ela!

Às mulheres mais lindas de sempre: feliz aniversário!!

Convite WHY NOT?

O Bid do blog O que levo desta vida está a dedicar-se a trabalhos fantásticos e como tal está a fazer a reabertura do seu site no qual apresenta-nos vários já feitos e novos que começam agora a ser explorados, entre os quais as pulseiras em macramé. 


Convido-vos a visitar a sua página e a conhecerem o seu trabalho em whynot.pt.la .

É só clicar e

Whynot

De certo que irão gostar! Bora lá cuscar!

Fui selada



Olha aí cara, o que eu recebi! Um selo, oferecido pela Daniela!  Obrigada, obrigada, obrigada!! (por favor colocar a entoação da Amália Rodrigues).

O selinho implica respeitar algumas regras:
1. Publicar o selo e o blog que o enviou - done!
2. Publicar o questionário e responder;
3. Indicar outros dez blogs e indicar os seus donos -hmmmm, a ver! :)

O que eu mais gosto em mim:
A minha capacidade de rir sem parar.

O que eu menos gosto em mim:
O meu orgulho

Se eu ganhasse o euromilhões:
Muita coisa ficava bem mais fácil! :)


10 coisas sem as quais não viveria:
- Oxigénio
- Higiene básica
- Comida da boa
- O carinho dos meus pais e amigos
- Esperança
- Sonhos
- Meu lado fútil (aquele casaco vai ser meu!!)
- Amor e daqueles que faz tremer por dentro
- O meu lado infantil
- Os sorrisos especiais


Qual o significado do blog para mim:
Eu e as minhas estupidezes!


O que é a beleza para mim:
Daqueles sorrisos em que os olhos se cerram e a pessoa parece um chinês.


Frase que marcou a minha vida:
Ui, tantas, mas na paródia e assim de repente: "ai foda-se! Não, agora sim é que se está bem!!" (todo o mérito pertence à minha grande amiga Patrícia)


Blogues a quem passar o selinho e desafio: bem malta, quem quiser aceitar o desafio está à vontade de recolher o selo porque não quero ter de escolher ninguém.
Divirtam-se!!

Pensamentos


"Tenho bom humor mas não me responsabilizo quando estou sem ele"

Autor desconhecido
(descaradamente roubado do fb da Elisabete)

Momento musical - Lenny Kravitz





Preciso...


...de me sentir bonita! 
De saber que cativo, que agrado, que consigo fazer sonhar. 

Constatações


Detesto ficar com tantas coisas por dizer simplesmente porque não consigo falar.
Odeio, odeio, odeio!!! Estupor de rolha orgulhosa!

Pensamentos


"Eu sou lúcida na minha loucura, permanente na minha inconstância, inquieta na minha comodidade... Amo mais do que posso e, por medo, sempre menos do que sou capaz."

Martha Medeiros

Então é isso!!


Nos últimos tempos tenho sofrido de wanderlust! Até parece chique!

Momentos engraçados

As mulheres também procuram

Um dia li um comentário masculino num blog que dizia que grande parte das mulheres só escreve acerca de como ficam à espera que o amor as encontre e ficam paradas, nada fazem a não ser reclamar. Logo ali não concordei e lembrei-me de uma nota que escrevi já há algum tempo no meu telemóvel mas nunca lhe mexi. Nem sei como, nem sei onde porque não memorizei, dei novamente de caras com esse comentário. Decidi transcrever a minha nota como forma de opinar sobre essa teoria masculinizada.

"Onde estás amor?

Procuro-te incessantemente em todos os lugares por onde os meus olhos passam. 
Anseio por reconhecer-te no meio da multidão 
e em teus braços envolver-me num gesto carregado de saudade.
Procuro-te amor, 
sem saber bem onde começar, 
adonde ficaste ou para onde partiste 
mas busco-te porque te sinto a falta e não te tenho. 
Se ao menos tu soubesses onde estou..."

Tenho dito!!!

Onde day i wished...


...go everywhere! 

Pára tudo!!!


Alguém acredita em amor à primeira vista? Ai...meu...Deus! São lindos!!
Foi o meu momento fútil do dia!! Me like it!!

Coisas que me lembro


E quando o cheiro daquela pessoa transporta-nos para uma dimensão completamente diferente e até parece que ficamos inebriados? Sensações que não se esquecem!

Momento musical

Por um ponto final no fim

Tenho lido bastantes textos acerca de relacionamentos e infelizmente, tal como desde sempre conheci a blogosfera, a grande maioria dos casos são desgostos de amor. Eu também vim parar à blogosfera pelo mesmo motivo, a enorme necessidade de desabafar, escrever tudo o que vai na alma e dizer todas as caralhadas necessárias para que a angústia fosse embora. Ler todos esses blogs ou passear pelo meu arquivo é muito semelhante mas tem alguns que confesso que me fazem demasiada confusão por não perceber como a dependência humana pode chegar a casos tão sérios.


No entanto consigo entender grande parte das situações que descrevem e depois de uma conversa que tive há uns dias lembrei-me de pontos muito importantes que tomei em consideração aqui há uns anos e como lição de vida. Independentemente da duração de uma relação, pois o tempo de nada dita, devemos sempre ter um período só nosso, seja de luto, de auto-comiseração, de organização de pensamentos ou auto-conhecimento. São tópicos que nunca mais esqueci depois de meter fortemente a pata na poça ao entrar numa nova relação sem ter deixado o coração sarar em condições e mais importante ainda ter tido tempo para mim, para me re-conhecer sozinha no mundo sem a influencia de alguém ao meu lado. Sou da opinião que o tempo que acharmos ser de cura pela dor de ter perdido (ou despachado o outro, porque quem termina também sofre) é o tempo que, sem sabermos, necessitamos para conhecer as nossas forças, as nossas motivações, os nossos pontos fortes e analisar o que aconteceu de errado e corrigir algumas falhas (não todas, tomáramos nós pois acabamos sempre por repetir qualquer coisita). 


Não sou de todo fria em relação a este assunto, entendo perfeitamente todas as palavras desgostosas que vou lendo, todas as lágrimas que vão derramando e os imensos "porquês" que insistem em procurar-nos na altura em que mais precisamos é de "comos" - com sair dessa, como levantar a cabeça, como fazer passar a mágoa, como sorrir de novo sem ser para travar as lágrimas. Mas consigo ser bastante distante ao analisar estes casos. Também tive grandes mestres ao meu lado que ao me darem os valentes abanões ensinaram-me algumas coisas importantes. 
Apesar de já ter estado nas situações que leio em vários cantinhos e inclusive de ter pessoas amigas que já passaram ou estão a passar pelo mesmo há um ensinamento que é básico: todo o sofrimento tem fim e o tempo é o nosso melhor aliado. E não vale a pena procurar conforto noutra pessoa achando que vamos conseguir esquecer através da substituição. Nada mais errado. Ninguém consegue fazer-nos esquecer outra pessoa, só nós mesmos é que temos a capacidade de fazer da pessoa que já não faz parte da nossa vida uma boa lembrança e metê-la numa caixinha para retomar a nossa vida. Outras pessoas que apareçam durante este processo terão um papel importante de distracção e de manobra de diversão e são fundamentais nesse aspecto mas nunca terão a força suficiente para do exterior organizar a nossa mente por nós e dar fim a uma relação que ainda não terminou. É o mesmo que apaixonarmos-nos por alguém que é comprometido e que termina a relação para ficar connosco. Ou essa pessoa não estava mesmo interessada na pessoa anterior ou então está a enganar-se a ela própria e a pessoa que cativou para si. A nossa mente é como um arquivo e tem de ser organizado como tal e para manter a sanidade mental e a saúde de uma relação devemos sempre guardar todas as pastas no sítio delas para poder abrir novas senão gera-se uma confusão interna que acaba por minar qualquer nova relação que pudesse, noutras circunstâncias, ter pés para andar. E assim grandes pessoas e histórias perdem-se pelo caminho.
Sublinho que esta é uma opinião muito pessoal baseada única e exclusivamente nos ensinamentos que consegui tirar dos relacionamentos que tive. Não vou dizer que belas histórias de amor nasçam assim, não sou céptica a esse ponto, mas mesmo tendo um pouco de romantismo, acredito que até essas histórias, mesmo que nunca pronunciados, tiveram momentos de estados de confusão mental e mesmo de comparação que poderiam ter dado para o torto. Valeu com certeza o sofrer em silêncio...
A todos os que acham que nunca mais serão capazes de voltar a gostar ou amar alguém, que acham que estão no fundo do poço e não terão forças para erguer-se ou que fazem juras e promessas de nunca mais se envolver noutra, desenganem-se. O vosso coração foi feito para amar e de algum jeito ele volta a amar de novo.

Considerações


E todas elas fazem sentido...

É tal e qual


Fuxk u mind! 

Memórias

Um dia a gente cria juízo


Um dia a gente cria juízo. Um dia. Não tem que ser agora.
MarthaMedeiros

Não tem é que ser agora...!
Por onde andam as minhas meninas? 

Programa para Sábado no Porto

O Porto tem vida




O projecto D’Bandada Optimus Discos vai invadir as ruas do Porto numa noite inédita com actuações de bandas e DJ’s em diversos espaços da zona da Galeria de Paris, como a Livraria Lello, o Café Ceuta, a Barbearia “Veneza”, o Plano B, o Café Lusitano e o Armazém do Chá.

O programa conta com artistas provenientes de edições Optimus Discos já conhecidos, como os Linda Martini, Noiserv, Frankie Chavez, Dj Ride, You Can’t Win Charlie Brown e Dealema, e de artistas que se preparam para integrar o catálogo da editora, como os The Doups, Nigga Poison e Osso Vaidoso.

O acesso aos concertos, todos gratuitos, é feito por ordem de chegada a cada um dos espaços e até à lotação das salas, sendo que, a todos os fãs que garantirem um lugar ser-lhes-á entregue uma pulseira que dá acesso à festa de encerramento.

SÁB 15 OUT | MÚSICA
D’Bandada Optimus Discos
20 bandas 30 concertos
@ 13 espaços da zona da Galeria de Paris
22:00-06:00. Entrada livre.

+info www.optimusdiscos.com

Citações

"Para meus amigos que têm um coração partido:
Um coração assim dura o tempo que você deseja que ele dure, e ele lastimará o tempo que você permitir. Um coração partido sente saudades, imagina como seria bom. Mas não permita que ele chore para sempre. Permita-se rir e conhecer outros corações. Aprenda a viver, aprenda a amar as pessoas com solidariedade, aprenda a fazer coisas boas, aprenda a ajudar os outros, aprenda a viver sua própria vida.
A dor de um coração partido é inevitável, mas o sofrimento é opcional. E lembre-se: é melhor ver alguém que você ama feliz com outra pessoa, do que vê-la infeliz ao seu lado."

Martha Medeiros

Citações



"Passa a dor do amor, vem a trégua, o coração limpo de novo, os olhos novamente secos, a boca vazia. Nada de bom está acontecendo, mas também nada de ruim. Um novo amor? Nem pensar. Medo, respondemos."

Martha Medeiros

Momento musical


“Alone—in moments of prayer or meditation, or simply in stillness—we breathe more deeply, see more fully, hear more keenly. We notice more, and in the process, we return to what is sacred.”

Katrina Kenison

Recomendo

Comecei agora a leitura de Martha Medeiros através do site pensador.info e tenho a dizer que ainda só li três textos mas estou a adorar a forma como escreve. É tão natural, tão humana e consegue verbalizar tão bem os pensamentos e sentimentos que dá-me gozo ler.
Recomendo que passem os olhos por alguns textos. Uma pequena amostra:

"Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir. Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar. Acordo pela manhã com ótimo humor mas ... permita que eu escove os dentes primeiro. Toque muito em mim, principalmente nos cabelos e minta sobre minha nocauteante beleza. Tenho vida própria, me faça sentir saudades, conte algumas coisas que me façam rir, mas não conte piadas e nem seja preconceituoso, não perca tempo, cultivando este tipo de herança de seus pais. Viaje antes de me conhecer, sofra antes de mim para reconhecer-me um porto, um albergue da juventude. Eu saio em conta, você não gastará muito comigo. Acredite nas verdades que digo e também nas mentiras, elas serão raras e sempre por uma boa causa. Respeite meu choro, me deixe sózinha, só volte quando eu chamar e, não me obedeça sempre que eu também gosto de ser contrariada. ( Então fique comigo quando eu chorar, combinado?). Seja mais forte que eu e menos altruísta! Não se vista tão bem... gosto de camisa para fora da calça, gosto de braços, gosto de pernas e muito de pescoço. Reverenciarei tudo em você que estiver a meu gosto: boca, cabelos, os pelos do peito e um joelho esfolado, você tem que se esfolar as vezes, mesmo na sua idade. Leia, escolha seus próprios livros, releia-os. Odeie a vida doméstica e os agitos noturnos. Seja um pouco caseiro e um pouco da vida, não de boate que isto é coisa de gente triste. Não seja escravo da televisão, nem xiita contra. Nem escravo meu, nem filho meu, nem meu pai. Escolha um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o invente muitas vezes.

Me enlouqueça uma vez por mês mas, me faça uma louca boa, uma louca que ache graça em tudo que rime com louca: loba, boba, rouca, boca ... Goste de música e de sexo. goste de um esporte não muito banal. Não invente de querer muitos filhos, me carregar pra a missa, apresentar sua familia... isso a gente vê depois ... se calhar ... Deixa eu dirigir o seu carro, que você adora. Quero ver você nervoso, inquieto, olhe para outras mulheres, tenha amigos e digam muitas bobagens juntos. Não me conte seus segredos ... me faça massagem nas costas. Não fume, beba, chore, eleja algumas contravenções. Me rapte! Se nada disso funcionar ... experimente me amar!"

Martha Medeiros

O despertar da bela adormecida

Nada melhor do que aquelas noites em que até estamos a dormir bem, que estamos mesmo a precisar de descansar para o nosso sistema voltar ao normal, relaxar e ficar mais calmo e de repente acordar com uma valente cãimbra na perna esquerda desde a virilha até ao pé, daquelas que mais parece que alguém se lembrou de nos tirar o membro fora. Eu estava a nanar tão bem e em milésimos de segundos estou eu de perna ao alto a mexer repetidamente os dedinhos do pé e a pensar "mas c'um caraças! Eu sabia que me faltava alguma coisa!"

Pensamentos

Eu gostava mesmo de ter nascido em outra época!


Esta não foi nada feita para mim...! 
E dito isto vou sair, pegar no meu carro e livremente ir ao café sozinha ter com os amigos coisa que em outra época não faria. Vai-se lá entender estas merdas!

Momento musical

A assimilar a notícia

Deram-me uma semana para aceitar melhor a notícia, para a absorver em condições e preparar-me convenientemente.
O choque foi grande, causou alguns danos internos, bastantes abalos, muitas confusões e pensamentos errados, situações desagradáveis próprias de quem não está à espera de ser abalroada por um autocarro.
Começo a ficar mais calma e a pensar mais claramente. E finalmente consigo começar a pensar em mim. Uma semana é o tempo que tenho para me mentalizar que literalmente algo vai mudar, que eu vou viver essa mudança, que vou precisar de tempo para encara-la e parar de pedir desculpas a mim mesma por algum dano maior que possa sofrer. Meu único receio mesmo é estar em contagem decrescente...

Momentos engraçados

Art Clokey

Eu tenho que pedir mil desculpas ao mundo porque eu ando mesmo a dormir em pé. Percebi pela imagem no google que estariam a festejar algo, pelos vistos o 90º aniversário de Art Clokey. Como não poderia deixar de ser minha mente questionou-se "mas quem é Art Clokey?" - eu sei, eu sei, muitos poderão ficar chocados por esta tamanha ignorância mas tive mesmo que ir pesquisar e pelos vistos foi o criador da personagem Gumby (a personagem da imagem que confesso, não faço a mais pálida ideia quem seja!! Ainda pior!) e pioneiro na utilização da animação stop motion.
Festejemos então e paz à sua alma, ou como diz meu pai, que esteja lá muitos anos sem nós!
Valeu eu ir procurar a stop motion, essa sim já conhecia e já tinha visto. É fenomenal. Já publiquei este vídeo aqui no blog, mas vale sempre a pena rever.

Coleccionar

Apetece-me começar uma colecção mas não sei bem de quê!
Já tive uma colecção de folhinhas de papel de cheiro quando era miúda, com folhinhas de todos os tamanhos e feitios (até fazia inveja!), fiz uma de isqueiros com alguns tão giros em formas tão engraçadas (sendo o meu preferido uma guitarra), ainda tenho a colecção de moedas de 1 escudo que terminou à força pela entrada do Euro mas que na mesma assim me permitiu juntar 3.000 moedas, e vou coleccionando uma ou outra caixinha sempre que o meu limitado espaço permite a entrada de um novo elemento. Mas falta-me algo. 
Queria arranjar uma paixão, algo que me fizesse ter de ir à procura ou que me deixasse em pulgas cada vez que visse um elemento novo e diferente.
Quando estive à procura de uma prenda para a minha sobrinha passou-me pela cabeça fazer colecção de Barbies (e não, não é para rir, pensei a sério) mas fiquei na dúvida se seria boa ideia. Não gosto da parte dos acessórios, gostava mesmo apenas de coleccionar os diferentes vestidos e personagens. Também pensei nas Kimmidolls, até são engraçadas e cada uma delas tem um significado diferente. São as únicas ideias que até agora me cativam mais mas ainda continuo com dúvidas se será mesmo isso que procuro para ter uma colecção.
Se alguém quiser partilhar ideias e colecções que tenha, são bem-vindos. Prometo só roubar ideias! 

Dormir de conchinha

"...dormir abraçados exige uma harmonia de encaixes que o sono de cada um desajusta, acorda-se com um braço dormente, um cotovelo fincado nas costelas, então dizemos baixinho, reunindo toda a ternura possível, Meu amor, chega-te para lá..."

José Saramago

Descaradamente roubado da Daniela, mas com carinho!
A parte do "...chega-te para lá..." conquistou-me!

Momento musical

Minha vontade de mudar é tão grande...


...que apetecia-me fazer algo parecido com isto! Está simplesmente fantástico.
Mas claro que em mim iria parecer parolo e completamente fora do contexto! Mas um dia não sei não!

Falta de comunicação...


...pode levar à perda de grandes histórias.

Just this time...

Momentos engraçados

O abraço do Cristo Redentor

O Cristo Redentor "fechou" os braços num abraço simbólico ao Rio de Janeiro na noite da última terça-feira. O efeito, uma ilusão de óptica provocada por projecção de luzes e imagens, faz parte da campanha "Carinho de Verdade", de combate à violência e exploração sexual de crianças. Para simular o abraço, o cineasta Fernando Salis usou oito projectores que cobriram a estátua com imagens do Rio como sobre vôos de asa-delta, as florestas e até mesmo o trânsito. Ao som de Bachianas Brasileiras n.º 7, de Villa Lobos e com animação em 3D a estátua parece fechar os braços.

Porque há coisas que me arrepiam...

Eu gosto


E queria uma para mim.

Feliz aniversário Pai

Hoje meu pai faz anos. 
Julgava eu que problemas com a idade só mesmo as mulheres mas pelos vistos semelhante ataca os homens. Apesar de um jovem meu pai não aceita que faz 60 anos e chamasse "velho". Mas a questão não é apenas ele chamar-se assim, é ele sentir-se assim o que tem vindo a ser problemático pois tem comportamentos adequados a uma pessoa velha e ele não o é. Não concordo e não consigo deixar de sentir revolta por ver situações como vejo diariamente e tentar proteger da melhor forma que consiga quem ainda tem consciência que não é velha e muito ainda tem para viver.
Na mesma assim, hoje é dia de festa, dia de jantar de família, de happy birthday. Tentamos fazer com que o "menino" de alguma forma transpareça no meio da depressão que sente e compramos um bolo com uma bola de futebol, tiramos o "0" às velas e pronto (o ano passado teve o Noddy colado ao bolo...!). É depois vê-lo a abrir as prendinhas.
Feliz aniversário Pai, espero que daqui a 30 anos estejamos todos juntos e aí sim garanto-te que te vou chamar velho!
Entre o certo e o errado eu fico com o que me faz bem.

Momento musical

...Preto no Branco...em suspenso

Como em tudo na vida tem alturas que é preciso tirar umas férias para voltarmos revigorados de corpo e alma.
É isso que o ...Preto no Branco... está a precisar e por isso ficará paradito até a moderadora entender que o deve acordar, esperando que realmente essa vontade aconteça. Fizemo-lo em 2009 e tudo correu como era esperado, poderá ser que desta vez não seja diferente.
Enquanto isso, ficam aqui os votos de muito boas escritas, pensamentos, reflexões, doidices, boas amizades, cumplicidades, companheirismos e tudo o que de bom a blogosfera oferece.
Um abraço a todos os contadores de histórias! 

Momento cartoon #45

Ontem tive aula de dança


Ontem as meninas foram experimentar e devo dizer que foi super divertido.
A ponderar seriamente em inscrever-me.

Diário...de papel

Ontem decidi criar um novo tipo de diário. A fugir um pouco ao on-line e dentro das linhas daquilo que sempre gostei de fazer, coleccionar imagens e pequenos objectos, decidi fazer um diário de recortes e colagens. Nele vou colocar tudo o que encontro e que, passível de ser colado, vai constar no meu registo diário e escrever uma história. Quero para isso encontrar o caderno certo, aquele que dará início a esta jornada com data marcada para início de Dezembro, uma forma de sublinhar o início desta ideia com a minha entrada nos 30 anos. 
Vi isto de passagem num filme e recordei-me de algumas imagens que recortei e guardei durante a minha adolescência. Nem sei porque deixei isso ao abandono, talvez crescer não me tenha feito bem ao lado criativo. Vou recuperar essa minha faceta e dar largas à minha imaginação e ao meu mundo. 
Às vezes penso na quantidade de coisas que gostaria de fazer se tivesse um espaço para isso...

A montanha

Imagina um homem a caminhar por uma estrada. E a estrada tem contornos, tem curvas, tem subidas e descidas. Imagina também que esse homem encontra à sua frente um verdadeiro obstáculo. Grande. Alto. Largo. Uma montanha. O que é que ele faz? Tem três hipóteses. Ou fica a esmurrar a montanha até a transformar em pó. Ou volta para trás e segue um outro caminho. Ou, a hipótese mais difícil: sobe a montanha. Passa por ela sem sair do seu caminho.

Na primeira hipótese, o homem cansa-se, desgasta-se e se conseguir derrubar a montanha, nessa altura estará tão exausto que não terá forças para continuar o caminho. E o caminho acaba aí. Na segunda hipótese, o homem amedronta-se com a montanha, e volta. Sai, portanto, do seu caminho. Na terceira hipótese, o homem sobe a montanha. Só tem essa chance. Subir. Mas, para subir, ele precisa de se livrar da sua carga. Libertar-se de coisas, desapegar-se de elementos que julgava serem cruciais para essa jornada.

Para subir, o homem tem de aceitar «ser». E vai ficando mais leve. Quanto mais sobe, mais carga liberta e mais leve fica. E quando finalmente chega ao topo, está verdadeiramente liberto. Pode olhar lá de cima para todo o horizonte. E percebe que está diferente. Já não pode descer para voltar ao seu caminho inicial. Deverá continuar dali. E quando ele sentir verdadeiramente isso, eis que um caminho se anuncia a partir dali. Alto, leve, livre.

Quando ele aceitou subir a montanha não sabia que estava a subir de nível energético. E só quando chegou lá acima é que percebeu que já não era necessário descer. O caminho seria feito a partir dali. A vida é exactamente assim. Quando aparece um obstáculo, podes evitá-lo, mudando de caminho mas não de vibração. Ou podes encará-lo, confrontando-te com todas as tuas limitações.

E lembra-te de que confrontares-te com as tuas limitações não é criticá-las nem julgá-las. É aceitá-las e tentar fazer cada dia melhor… mas sem exagero. E é também deixares de te centrar nessas limitações para poderes procurar as tuas capacidades, pois onde há limitações também há capacidades. E quando tiveres encarado o obstáculo e libertado densidade através da aceitação das limitações, nessa altura, estarás a subir a tua frequência energética. E o caminho nunca mais será o mesmo.

Alexandra Solnado

Hoje é o dia primeiro

Para mim é mais do que suficiente tudo o que vejo à minha volta, tudo o que me circunda, os silêncios, as palavras, os gestos, tudo é suficiente para me dizer que a vida continua, que devo erguer a cabeça, olhar bem em frente e seguir sem olhar para trás.
Durante uns tempos pensei que sim, talvez não estivesse assim tão longe de uma realidade que até não me desagradava de todo mas não vou fazer isso a mim mesma outra vez.
Seja por cansaço, seja por falta de paciência, seja pelo que for, estou cansada de esperar sempre que os outros tenham vontade, tenham disponibilidade, que queiram. 
Dou mais de mim do que o que devo para depois baixar os olhos de tristeza percebendo que as respostas não surgem, que o vento não sopra a meu favor e que todo o mundo de repente parece muito mais interessante do que eu.
Esta sou eu, desprovida de qualquer problema em dizer que este é o meu canto, onde desabafo as minhas mágoas e partilho as minhas alegrias e que ele vai voltar à sua forma. E para provar isso escrevo o que me vai na alma. E as palavras são estas, que estou farta de esperar que nem um cãozinho perdido por qualquer coisa e ver os outros a receber, por ser carinhosa e mostrar meu interesse em estar presente e continuar a aguardar a chegada de algo que não vem por demasiado tempo noutros mundos que não o meu. 
Acabaram-se os apertos no peito, as desilusões, as tristezas, as infindáveis esperas, as incertezas, o contínuo avanço e recuo perdida no meio do nada. Hoje é o dia primeiro em que digo para mim mesma que basta. E com esta me levanto do chão, sacudo a poeira, olho o horizonte e sigo em frente.

Citações

“This is the aging process worth celebrating. Chronological age marks how long you’ve lived, but emotional age reflects what you’ve done with the time.”

Judith Sills

Pensamentos


Can we pretend that airplanes in the night sky are like shooting stars
I could really use a wish right now, a wish right now, a wish right now



Cansada...