A minha 'inner child' está amnésica

Sábado foi o baptizado do meu sobrinho.
Foi um dia em que dei asas à minha criança interior e fiz o que há muito tempo estava desejosa de fazer: andei de baloiço. Sei que há coisas que ando a perder com a idade quando estou a dar balanço e a ganhar velocidade e só ouço a minha cabeça a dizer que não está a perceber a movimentação e meu estômago reage, começo a ficar enjoada. 
Já tinha-me apercebido que a minha criança interior está a ficar com problemas de memória quando, aqui há uns dias, peguei no hula-hula da minha sobrinha, coisa que eu fazia com uma destreza tal que metia inveja às pedras da calçada, e simplesmente não fazia a mais pálida ideia como se metia aquela coisa a rodar na anca sem cair. E fiquei sem saber. Não me recordo como se faz e eu até gingo bem a anca...
Mas lá estava eu, no baloiço, com uma paisagem magnífica frente a mim e eu no ar, com o vento a bater na cara. Estava a precisar daquele momento e até já tinha comentado com um amigo próximo que o iria fazer mal encontrasse um parque com baloiços e houvesse oportunidade. Não poderia ser numa altura onde só estão crianças e eu sozinha, seria demasiado esquisito para os adultos pais verem e à noite não conheço parques abertos. Mas este fim-de-semana o universo conspirou a meu favor e colocou-me numa fantástica quinta (passo a publicidade, a Quinta da Boega, perto de Caminha e onde realizamos o baptizado da minha sobrinha há 4 anos - recordam-se?) e aproveitei a companhia da Rita para colocar em prática a minha vontade de baloiçar. 
Soube muito bem, principalmente depois da caminhada descalça pela relva e mergulhado os pés na piscina.
Espero ter dado um choque à minha criança interior para que desperte para estas situações que já lhe forma tão familiares e agora está a fazer-se de esquisita. Pelo menos senti-me leve, mais próxima da minha essência, relaxada. Deve ter sido por isso que meu íntimo desconheceu a sensação inicial, já não sabe o que é estar relaxado.

6 comentários:

  1. Tantas saudades que tenho de andar de baloiço!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens de o fazer mal possas. Acredita que é tão bom fazer essa viagem no tempo!!

      Eliminar
  2. ando sempre que encontro um :) não resisto :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas tu és uma alma iluminada, sempre à frente. :)
      Tua inner child está bem acordada.

      Eliminar
  3. adorei o texto linda, mas por acaso por ser muito espalhafatosa não sinta tanta falta de voltar a ser criança ,se bem que tb esqueci como se faz o hula -hula, fiquei em choque hihihihihihih
    e respondendo à pergunta que me fizeste lá no blogue, nasci no Algarve mas o meu pai era um homem do norte e a minha mãe é angolana, imagina a mistura bombástica!
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tua criança precisa treinar o hula-hula, como a minha!!
      Sim, um nortenho e uma angolana é uma combinação original. Não tenho convívio com angolanos por isso não sei fazer a comparação mas que tens sangue nortenho isso reparei logo!! :D

      Eliminar