O que diz o teu olhar?

Gostava de saber ler o teu olhar, de perceber o que dizes-me quando olhas-me e ficas em silêncio. Mil pensamentos percorrem a minha mente quando o fazes e não vou negar que tem alturas que quase que sei o que pensas, pela expressão, pela intensidade, pela beleza, mas não quero adivinhar. Corro o risco de, erradamente, ter percebido o que eu gostava que tivesses a dizer-me e não o que verdadeiramente pensas. Será que faço-me entender? O tempo é o melhor aliado de qualquer pessoa para ir conhecendo os gestos, as atitudes, os sorrisos, os olhares vagos e distantes e mesmo os olhares tristes que brilham com a luz...
Sinto a tua falta, era o que o meu dizia-te vezes e vezes sem conta...Pronto, é certo que uma ou outra vez deixei escapar um pensamento mais... malicioso, mas na maioria eram questões que ia colocando na esperança que tu também as percebesses e respondesses-me...talvez um dia baste apenas um olhar!

Muitas pessoas dizem que os inícios das relações são a melhor parte. Até um certo ponto concordo, é uma parte emocionante onde queremos extravasar emoções e parece que realmente corações pairam à nossa volta. É o momento onde existe toda a emoção da novidade, a vontade de explorar, de conhecer o que ainda não conhecemos... mas para mim é a parte mais difícil pois é aquela onde piso terreno que desconheço e assusta-me, onde não sei os limites e não gosto de estar perdida, onde não sei o que posso fazer ou dizer, onde não sei se vou desiludir ou iludir, onde quero agradar a todo o custo e até me esqueço um pouco de mim mesma ou passo a estar completamente preocupada se estou bem ou mal, bonita ou feia. Para mim, é a fase mais complicada pois é quando as palavras ficam presas, os pensamentos querem sair e não sabem se devem, se irão magoar ou fazer feliz ou apenas ser ignorados... A vontade de falar é muita, de dizer-te o que naquele momento senti ou pensei, de fazer-te saber o que pretendo, o que gostaria, de perguntar-te imensa coisa, porque isto ou aquilo acontece ou não acontece. Creio que talvez por isso te agarras à esperança que eu leia o teu olhar e, de forma mais fácil, perceba o que queres e o que desejas sem teres de falar. Ou talvez esteja errada! Mas eu não sei o que me dizes no teu silêncio, gostava de sabê-lo, mas não sei...

Diz-me...

Sem comentários:

Enviar um comentário