A força do pensamento

Tem alturas que eu gosto de pensar que realmente a força do pensamento funciona, mas isto tanto para o bem como para o mal.

Já o escrevi, por imensas vezes, que testemunhei factos concretos na minha vida acontecerem e, coincidências ou não, os pensamentos lá estiveram presentes, os bons e os maus. Evidente que só depois das coisas acontecerem é que tive noção desses pensamentos predominantes, mas serve de lição para outras vezes, e por esse motivo, quando realmente consigo colocar a minha fé a funcionar, uso a força do meu pensamento para atrair o que desejo.

Com esta situação da minha mãe doente e hospitalizada, é normal ficarmos mais sensíveis e abalados. Ontem fui visitá-la, já não a via desde Domingo e por isso era mais do que altura de fazê-lo. Ninguém contava que ela ficasse tanto tempo ausente, mas as circustâncias assim obrigaram e depois de minha irmã dizer-me que minha mãe estava cheia de saudades minhas, fui vê-la ao final do dia sem pensar duas vezes. Foi bom sentir no abraço dela que ela estava a precisar de um carinho meu, estava a precisar de mim, da minha força. Às vezes somos tomados como garantidos e muitas vezes acho que, por ainda morar com os meus pais, sou menos valorizada. No entanto, naquele momento, percebi como o laço é forte entre nós, como ela está ligada a mim e senti-me especial. Minha mãe sempre foi uma mulher forte e foi ela que incutiu-me a força do pensamento positivo desde miúda, foi ela que ensinou-me a usar a minha força interna para chegar mais longe, para erguer-me, para ser forte e custou-me vê-la tão em baixo e tão sem fé em relação ao seu estado. "Nunca mais vou sair daqui", repetia vezes sem conta. E no fundo, todos nós estavamos a mentalizarmo-nos para que, com as demoras típicas do hospital, ela tivesse que passar o fim-de-semana lá "presa". Num discurso mais animador fiz-lhe lembrar todas as palavras e frases de força que ela constantemente dizia-nos. "Pensamento positivo mãe, é meio caminho andado, sabes disso". "Eu sei", respondia-me ela com os olhos postos no chão. Disse-o imensas vezes para ela o interiorizar, até ela responder-me "eu sei" a olhar-me nos olhos. Percebi pelo olhar dela que ela sabia que eu tinha razão e prometeu-me descansar, não deixar envolver-se tanto pela atmosfera negativa que a rodeava e mentalizar-se que o seu corpo estava a curar-se e depressa sairia dali. Coincidências ou não, eu gosto de pensar que não, que a fé funciona mesmo, a minha mãe teve alta logo de manhã e já está em casa! Não foi preciso passar o fim-de-semana, nem continuar a atormentar-se e a victimizar-se como estava a fazer. Eu sei que ela ganhou forças para reagir, eu sei que ela desejou imenso vir embora e depositou fé no seu pensamento e conseguiu. Tem vezes que vale a pena acreditar...

Agora tenho que fazer o mesmo para mim. Meu corpo está a precisar curar-se e o cansaço não ajuda. Já passou algum tempo desde que comecei a ficar mais debilitada e não sentir melhoras desanima-me. Talvez hoje seja o virar da página, pelo menos conto com isso. Hoje vou tratar de mim...

Sem comentários:

Enviar um comentário