Viver em paz de espírito

Não existe nada mais valioso do que ter paz de espírito.
Nada melhor do que termos vontade de nos abraçar, sim, a nós mesmos e fazê-lo bem apertadinho como se estivéssemos a abraçar outra pessoa que amamos e que tão facilmente expressamos carinho. Fazer o mesmo em nós é poderoso, acreditem que sim e experimentem. Faço com muita frequência e sinto um imenso respeito por mim sempre que o faço.
Mesmo que a vida, no presente, não seja como gostaríamos, atingir a paz de espírito será o que nos vai permitir ter mais clareza de pensamento para saber escutar os planos, as vozes da nossa mente e do nosso coração, para ter a certeza do que realmente é o melhor para nós, o que devemos deixar de lado, o quê e quem devemos abandonar, o quê e quem devemos procurar para fazer parte da nossa vida, o que nos faz bem, o que nos faz sorrir.
Atingimos um patamar em que o comportamento dos outros já não nos afecta como antes. A opinião que emitem, os erros que cometem connosco, as tentativas de manipulação, as faltas de respeito, a falta de compreensão e o egoísmo são desvalorizados. Conseguimos ver a acção a acontecer, as atitudes a tomarem forma e mesmo que num primeiro momento nos atinja, quase que de forma imediata sossegamos pois sabemos que tudo o que estamos a criar a partir daí advém da forma como decidimos vivenciar o momento. Se nos permitirmos acalmar, respirar, pensar na outra pessoa, nos porquês de fazer ou dizer alguma coisa, vamos também permitir pensar como responder e se responder, vamos decidir o que é melhor para nós sem orgulho ferido, sem sentimento de revolta ou de punição. É reconfortante quando passamos a terá noção do nosso poder sobre as coisas e sobre a forma como permitimos que nos afectem ou não. Tudo se alinha de forma natural e sentimos tudo à nossa volta menos tenso, menos preocupante, menos penoso.
A paz de espírito permite-nos acordar num dia frio com um sorriso no rosto, agradecidos da noite quentinha que tivemos, da roupa que nos aconchegou o corpo, da forma como nos sentimos confortáveis e estamos preparados para receber mais um dia. Fazer planos, bons, produtivos, a pensar em nós, o que podemos fazer por nós que nos permitirá ajudar também os outros.
A nossa sensibilidade está presente de outra forma, não sofrida, não magoada com o mundo, não sempre na defensiva farta de 'levar porrada', mas uma sensibilidade mais carinhosa, mais receptível a outros estímulos do dia, da vida.

Claro que não ficamos bestas, nem adormecidos, incapazes de sentir tristeza ou mágoa. Sentimos tudo e se calhar até mais mas a forma como lidamos com isso passa a ser menos desesperante. Eu sei que, muitas vezes, tinha algo parecido a mini ataques de pânico, arritmias, passava a ter visão em túnel, tudo se fechava à minha volta e obcecava com determinado assunto, ou mensagem, ou pessoa. Não conseguia pensar, mergulhava em areias movediças que pareciam engolir-me a cada braçada que dava. Não era saudável, não era o que queria para mim, não poderia permitir que afectassem tanto o meu ser. Mudar era inevitável, ter paz de espírito era fundamental para seguir. As rugas estão a aparecer, a vida está a passar e o tempo é demasiado curto para ficar se preso ao que não serve.

13 comentários:

  1. Eu tenho alguma paz de espírito, mas não a tenho em todos os momentos de toda a minha vida. É, sem dúvida, bom estarmos em paz, mas ao longo da vida encontramos muitas coisas que nos inquietam.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A inquietude tem de existir senão adormecemos. A busca por algo mais é intrínseca, deixa-a vir, sente-a, vive-a. Mas com paz de espírito vais vivê-la de uma forma menos tensa, vai ser mais fácil solucionar, não stressar ou entrar em pânico.

      Eliminar
  2. Adorei este texto! Paz de espírito é mesmo o que preciso. Isso e de gostar mais de mim, de me respeitar mais. Thanks :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E é taaaaaoooo simples :-)
      Abraça-te mais vezes

      Eliminar
  3. Gostei imenso do texto!!!
    Das melhores sensações do mundo é quando na inquietude da vida nos sentamos e encontramos a nossa paz de espírito, o nosso equilíbrio. Quando não conseguimos fazê-lo é tudo bem mais complicado!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que gostaste. É mesmo daa melhores sensaçoes e aprendemos tanto nesse processo. Assim que conhecemos este caminho nao queremos outra coisa. Beijinho

      Eliminar
  4. Tens tooooda a razão!!! Gostei tanto do teu textinho!!

    Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico muito feliz que tenhas goatado a até concordares, quer dizer que te identificas, sabes que é um bom sitio para se estar. Beijinho

      Eliminar
  5. R: sim, acabei por desmotivar um pouco também...mas vai-se fazendo! também tenho por habito ler em voz alta :p

    ResponderEliminar
  6. Gostei tanto do que escreveste... foi, sei la, inspirador. Ao longo dos anos aprendi a gostar de mim mesma tal como sou.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom conseguir alcançar-te assim.
      Obrigada pelas palavras.

      Eliminar