Sonhos de miúda e graúda

Quando era miúda, como todas as miúdas, eu imaginava como iria ser quando fosse adulta. Não falo profissional mas pessoalmente. Imaginava que iria casar cedo, ser mãe de dois meninos e uma menina, e sei lá porquê, dizia sempre que lá para os 30 anos (que na altura significava ser muito velha) iria divorciar-me! Tinha a panca que seria uma mulher divorciada quando crescesse e até sentia um certo orgulho quando pensava nisso, total desconhecimento do que isso significava na vida de alguém. Apenas achava chique!!!
Factos da vida: não me casei cedo (e recusei um pedido de casamento), não fui mãe nem de um quanto mais de 3 filhos, tenho quase 30 anos e continuo solteira! Numa coisa acertei, iria estar solteira aos 30, era apenas uma questão de adequação de termos no B.I..
Não me arrependo de nada até agora, tenho é apenas um enorme receio: que um dia quando for realmente velha e me recorde de mim nova, veja um autêntico falhanço. Não queria significar um falhanço para mim mesma, não queria!
Agora com quase 30 anos e imaginando-me velha, no verdadeiro sentido da palavra, penso que, apesar de não fazer questão de ter filhos, que gostava de ter netos a rodear-me...
Como se consegue ter netos sem ter filhos? Tenho de descobrir...

Sem comentários:

Enviar um comentário