Já está feito

Desculpa, não o devia ter feito mas fiz. Tentei controlar o impulso por várias vezes mas foi mais forte que eu e quando dei por mim a asneira já tinha sido cometida. Tem alturas em que desejamos que o tempo recue. Por vezes um segundo seria suficiente para mudar tudo. Queria ter esse poder e apagar o que aconteceu mas não consigo e essa impotência só vem pesar mais no meu coração.

Agora, neste instante, tal como no instante que se seguiu, sinto-me presa, como se tivesse batido contra uma parede e tenho os meus movimentos tolhidos.

Culpar o meu lado bom torna-se fácil demais e eu não vivo tanto em fantasias como por vezes posso dar a entender. Mas que foi ele o culpado de eu ter errado foi! Eu disse que não iria ouvir o mau desta vez pois preciso voltar a confiar na humanidade, que ele mais uma vez não iria ganhar a dele e afinal ele é que tinha razão. Ouvi-o durante este ultimo ano, tornei-me uma pessoa mais fria e distante, é verdade, pois ele alimenta o meu orgulho e as barreiras entre mim e o mundo, mas foi ele que me ensinou a ser menos ingénua e mais precavida. Dizia-me que não devia fazê-lo, que não devia seguir o impulso e controlar-me, que já havia aprendido com o erro antes e teria que pegar nessa lição para proteger-me desta vez. Falhou na sua missão e acabei por ouvir o bom que insistia, insistia e insistia continuamente, que num tom confiante fazia-me crer que era o mais correcto a ser feito, que a vida é curta demais para desperdiçar com medos e receios, com mesquinhices, com pudores. Nestes assuntos o bom consegue sempre fazer-me crer que, se é verdadeiro, é o melhor a fazer. E agora?!? Tem alturas que apetecia-me simplesmente fazer "pufff" e desaparecer por uns momentos, ficar como a levitar numa zona de conforto, agradável, pacífica, onde o peso no peito desaparecesse por uns momentos e eu conseguisse respirar melhor. Imagino-me deitada numa nuvem fofa, branquinha, rodeada de uma frescura que só o céu no seu eterno azul consegue dar. Era o meu refúgio quando era criança e tinha os meus medos...talvez por isso não me importe de ter ainda tão vincada minha faceta de criança, permite-me escapar por uns instantes, breves instante antes de regressar.

Já está feito! É tudo o que me resta interiorizar! Já está feito e não há nada neste mundo que possa mudar essa realidade! Já está feito! O que se segue não sei, apenas sei que tenho que continuar a ouvir a voz da razão, a minha mente pois ela é que sabe o que é melhor para mim mesmo que isso signifique ser orgulhosa e mau-feitio. Ao menos sei que, assim, mesmo que um pouco mais triste, fico na minha nuvem um pouco mais de tempo, sem ninguém perturbar o meu equilíbrio que foi tão difícil de conquistar e que me custou meses e meses de noites mal dormidas, dias de inverno mesmo quando fazia sol, lágrimas impertinentes que teimavam em cair...

Já está feito SM! Já está feito...!

Sem comentários:

Enviar um comentário