Colisão de dois mundos: eu e tu

Não deixo de pensar que é verdade que tudo na vida tem um momento certo para acontecer. Por mais cepticismo que possa rodear-me, sou constantemente bombardeada por situações que fazem mesmo crer que o universo vai juntando, pedaço a pedaço, todas as circustâncias que são necessárias para o big bang de cada um de nós e que nós, na nossa consciencia e inconsciencia, somos os únicos responsáveis por esta movimentação cósmica.

Quantas vezes estiveste mesmo à minha frente, olhaste na minha direcção e eu posei para ti e mesmo assim não te vi, tu não me viste! Apesar da presença, aos nossos olhos eu e tu não existiamos, eramos apenas mais uns no meio da multidão, invisíveis pelo desconhecimento. Mas começaste a não ser, de todo, indiferente. Tua beleza cativa e já havia comentado sobre ti...frases que ficavam por ali, soltas, no ar, que depressa desapareciam ao som da música mas que fizeram diferença.

Recordo-me dos vários momentos em que fui apercebendo-me do meu despertar. Suavemente eu acordava para a minha vida depois de um prolongado sono fundamental para o meu crescimento, para o meu regresso de uma forma limpa, calma, sem interferência ou influência de alguém, do passado, sem memórias e recordações que pudessem criar obstáculos à minha felicidade. Apenas lembranças de mim e a construção de uma certeza: eu estava de volta.

Agora, é com alguma frequência que lembro-me de uma noite de diversão entre amigas em que, finalmente eu começava a dar uma nova oportunidade a mim mesma de olhar o mundo, as pessoas e quem sabe apaixonar-me. Uma altura em que comecei a pensar que nem tudo era assim tão mau e a vida voltava a ter piada, voltava a sorrir e a rir com vontade! Nessa noite, enquanto tentavamos recuperar algum sobriedade que nos permitisse dirigir até casa, vi-te passar duas vezes. Deve ter sido a primeira vez que fixei o meu olhar em ti e observei-te como nunca tinha feito antes. Nessa noite eu finalmente vi-te! Lembro-me de, ao ir embora, olhar-te ali sentado e simplesmente pensar como serias, como seria a tua vida, quem serias tu... Engraçado recordar-me dessa noite pois nos tempos que se seguiram ela simplesmente desapareceu como se não tivesse tido significado algum, mas hoje sei que teve pois foi a noite em que, sem querer, sorrateiramente entraste na minha mente!!! E começava a contagem decrescente para o meu mundo estar em sintonia com o teu. Pouco tempo se passou desde essa noite até seres tu a ver-me! Gosto de pensar que foi o tempo necessário para tudo alinhar-se convenientemente no universo para ser o momento certo. E naquela noite a que ainda chamo de 5ª dimensão, uma noite de pura brincadeira e sem qualquer intenção de banalização, tu sentiste no teu mundo, a presença do meu, e olhaste para mim...!!! Só faltou mesmo o teu típico "olá!!!" que mais parece que dizes "oh...estavas aqui?!?"

Amanhã tudo poderá passar de simples recorações para ambos, mas são estes momentos que dão graça à vida, que fazem sorrir para o inesperado e pensar que realmente o acaso não é por acaso.

Obrigada por existires e fazeres parte da minha vida. Gosto de ti...

Sem comentários:

Enviar um comentário