Preciso de ti

É um apelo ao amigo.

Hoje preciso de ti...

Nos outros dias também precisei mas mantive a distancia e a esperança de que a tempestade passasse e não necessitasse de pedir, de chatear, de correr para o teu ombro. Não gosto de admitir que necessito, sabes disso. Só mesmo quando a arma está apontada à cabeça é que te digo o quanto me fazes falta.

Cansei-me de me armar em forte, aquela que ouve, opina, dá conselhos e não mostra que está a sofrer. Aquela que ri e sorri e tem a alma em sangue...

Não gosto de admitir que preciso, prefiro esconder-me entre os demais e deixar minhas mágoas para momentos de solidão.

Mas hoje, tal como ontem e talvez amanhã, preciso de ti para aquele empurrão, para aquele alento, para aquela força e alegria que teimam em escapar-me das mãos por mais optimista que tento ser.

Preciso de ti...

24 comentários:

  1. Todos nós precisamos de um amigo de vez em quando... Todos nós precisamos de um ombro para chorar, de um colo onde desabafar...

    Bjx

    ResponderEliminar
  2. Aninhas: mas nem sempre é fácil faze-lo...

    Elisabete: sou das pessoas mais fáceis de encontrar...

    ResponderEliminar
  3. Ui... dias assim são duros!
    A 2ª feira ajuda muito a este estado de espírito.
    Acho que nunca publiquei um post como este, mas escrevi muitas vezes... Compreendo muito bem esse "empurrão" de que falas.

    Força!!


    ;)

    ResponderEliminar
  4. Um gajo qualquer: são duros mesmo! E nem uma ponta de sol para animar a alma!
    Sabes que fica muito mais fácil escrever do que falar...
    E porque nunca publicaste? Vergonha? Receio? O quê?

    Sílvia: sempre bom!

    ResponderEliminar
  5. Nem vergonha nem receio.
    Vergonha não foi porque admiti noutros posts que tinha saudades de algumas coisas, receio também não pois sei que ela nunca leu o meu blog...
    Foi por aquilo que dizes em cima: "fica muito mais fácil escrever do que falar..."
    Escrevia, fosse no blog fosse num qualquer caderno que estivesse à mão e como tal já não precisava de publicar, o desabafo estava feito. Depois porque a ela nunca diria. Cedo, demasiado cedo, soube que tudo tinha acabado e que o seu coração já estava noutras mãos.

    Mas são águas que já passaram, agora as águas são outras ;)
    Novas relações e tentativas de relações. :D

    Espero que o dia melhore!!

    :)

    ResponderEliminar
  6. Um gajo qualquer: é mesmo isso, apenas necessidade de desabafar. Quantos escritos não tenho espalhados, palavras que precisava de deitar cá para fora e que ficaram assim, em silêncio mas cá fora. Este desabafo foi diferente...foi admitir para mim mesma que não sou de ferro!

    Que bom que essas águas para ti já passaram e que aproveitas o que de novo surge. Isso é fantástico!

    Obrigada! :)

    ResponderEliminar
  7. Somos seres gregários e não vivemos sozinhos. Precisamos do outro assim como precisamos do alimento para estarmos vivos.
    Belo texto para reflexão.
    Ah... esse seu gatinho é um arraso.
    Saudações Florestais !
    FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER...
    http://www.silnunesprof.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Se precisas de ajuda de um amigo, por que não a pedes?

    Por que, ao invés, esperas que ele venha em teu encalce?

    Ele não adivinha.

    Se te afastas, se te escondes, se pensas que o chateias por te apresentares em baixo, se tens receio de ofereceres e receberes amizade, se tens medo de partilhar alegrias e tristezas; se tens medo, enfim, de ser amiga, como podes desejar que o amigo venha, se o acabas, dessa maneira, por afastar?

    Amizade é estar presente, em todos os momentos: bons ou maus. Os nossos ou os dos nossos amigos.

    Aí, sem precisares de pedir, os amigos, os verdadeiros Amigos, vão lá estar. Sem se sentirem obrigados. Apenas porque sim.

    ResponderEliminar
  9. Quantos blogues não nasceram da necessidade de deitar cá para fora sentimentos que nos amordaçavam a alma? Sim, escrever é bem mais fácil do que falar - e eu por mim falo, tão desastrado que sou quando tento passar as palavras do papel para a boca. Assim escrevo, sabendo como muito bem diz o "um gajo qualquer..." que ela nunca lerá o meu espaço, mas consciente que sou da importância dos amigos, especialmente daqueles a quem, a coberto da distância sentimos poder dizer tudo, e que com as suas palavras amigas e encorajadoras têm ajudado a suportar tantos espaços vazios de outra maneira difícil de suportar. Um abraço cheio de amizade.

    ResponderEliminar
  10. Espero que tenha feito a diferença no teu dia,que tenha marcado o teu pensamento. Estou aqui para ti, agora, sempre. Quando precisares pensa em mim e vou ter contigo.
    Mais que uma amiga és a minha mana do coração.
    Adoro-te.

    ResponderEliminar
  11. Gimbras: Eu sempre disse às pessoas mais próximas que não gosto de pedir ajuda. Não é uma questão de orgulho mas sim porque não gosto de chatear ninguem com meus problemas.
    Eu nunca espero que meus amigos adivinhem que preciso porque raramente mostro. Quando peço é no limite das forças.
    Apesar de tudo, com meus ultimos post, creio não ter escondido que estaria a sofrer. Mas, como é obvio, este post foi claro no pedido!
    Considero-me boa amiga, sempre que posso estou presente quando meus amigos precisam mas eu também preciso e se não peço, minha forma de me auto-ajudar é recolher-me!

    Miguel: no final temos todos o desejo de sermos "ouvidos" ou lidos. Pelo menos encontramos neste escape que é o blog, vozes, ou palavras amigas que nos confortam. Um concentrado de desabafos com resposta. E olha que eu também pensava que "ele" não visitava o espaço e fiquei surpresa hoje!
    É na amizade que temos que encontrar a nossa força. O que dizes é bem verdade.
    Retribuo o abraço!

    Carla: foste a diferença no meu dia e não sabes o quanto te agradeço teres estado a aturar-me desde manhã. Tua sabedoria transcende-me e ilumina-me.
    És um porto de abrigo e adoro-te mana do coração. Obrigada!

    ResponderEliminar
  12. Sílvia: Quando os teus amigos te pedem ajuda, consideras que eles te estão a chatear?

    ResponderEliminar
  13. Penso também que as amizades não podem ser virtuais, mas reais.

    Desabafar num blog é um bom exercício de reflexão a bordo da escrita, mas acaba aí; há que ir para a rua e viver.

    Há um mundo lá fora e é lá o sítio certo para construir e manter qualquer tipo de relação.

    ResponderEliminar
  14. Gimbras: claro que não considero que meus amigos me chateiam quando me pedem ajuda. Não sei porque sinto que eu o faço...poderá ser algum trauma! :)
    Eu tenho amizades reais, não muitas, aliás, pouquíssimas, mas pessoas com quem tenho contado.
    O blog é apenas o meu diário com o bonus de ter respostas...

    ResponderEliminar
  15. Eu gosto dos meus amigos reais, que também são poucos, mas são excelentes, e não preciso de mais do que isso. Se preciso, eles estão lá. Amizades via internet, não é coisa que me agrade, afinal não conheço as pessoas, não lido diariamente com elas, as palavras enganam, e creio que aqui se criam ligações mais baseadas em carência do que em amizade verdadeira. Mas isso sou eu, que gosto de ver as coisas a frio. :p

    ResponderEliminar
  16. Lia: por isso digo que o blog é apenas meu diário e não meu recurso para resolução de problemas.
    Até porque sou um ser humano que depende da troca de energias pelo que necessito de contacto humano!
    No entanto, nunca se sabe se grandes amizades presenciais não poderão surgir a partir de contacto iniciado via blog...
    Mas, meus amigos de carne e osso, não troco por nada!

    ResponderEliminar
  17. "Até porque sou um ser humano que depende da troca de energias pelo que necessito de contacto humano!"

    Não consigo concordar contigo. Isso dá uma ideia de necessidade, ou de usarmos as pessoas para equilibrarmos a nossa energia. Eu acho que devemos equilibrá-la sozinhos, e só depois partilhar essa energia com as pessoas que nos são especiais.

    ResponderEliminar
  18. Lia: não entendeste o que quis dizer. Estaremos a falar da mesma energia? É uma parte espiritual que não gosto nem pretendo falar aqui no blog (em outra circustância explico-te com todo o gosto).
    Não dependo das outras pessoas dessa forma, seria egoismo da minha parte. É uma parte de mim que ainda está em aprendizagem por isso ainda depende do contacto humano!
    No entanto, devo referir que todos nós alimentamo-nos das energias uns dos outros, da natureza e do universo e da mesma forma que nos alimentamos também alimentam-se da nossa num processo muito natural. E não depende de proximidade física para aqueles que trabalham com as energias.
    Quer queiras ou não, partilhas energias mesmo com quem não gostas e não só com os que te são especiais.
    Por isso pergunto, estaremos a falar das mesmas energias?

    ResponderEliminar
  19. Penso que ser Amigo é confiar em alguém para com ele partilhar não só as nossas alegrias como, principalmente, as nossas tristezas.

    Se achamos que os estamos a chatear, então não os consideramos nem confiamos neles para serem nossos Amigos. Até porque ter alguém só para partilhar alegrias é a coisa mais fácil do mundo, qualquer um serve e está disposto a ouvir-nos.

    Tenho poucos, mas muito bons Amigos, não me interessa a quantidade, mas a qualidade. E são amigos de carne e osso, não letras e números na tela de um monitor. A net é nociva e não se pode viver nela, sobretudo quando estamos em baixo.

    Há que viver a vida.

    ResponderEliminar
  20. Gimbras: uma excelente definição de amizade. Não podia estar mais de acordo.
    É por isso que chega o final do dia e o fds e dedico-me aos meus amigos, à vida real. Nada de net para ninguém!

    ResponderEliminar
  21. Amigos reais ou não....estamos aqui para te apoiar!!! sempre!!

    Ai de ti, que não continues a dar gritos sempre que precisas....(eu cá é uma gritaria de vez em quando)

    Força!

    ResponderEliminar
  22. TouroCeptico: eu sei que sim! Tem sido admirável o apoio que me chega e que agradeço do fundo do coração.
    Eu grito, sempre que posso,nem que seja um grito mudo!
    Obrigada!

    ResponderEliminar