Não abandonem os animais

Dia 21 de Junho iniciou mais um Verão. Entre alguns que já iniciaram o seu período de ferias e outros que ainda anseiam pela chegada das benditas eis que se torna fundamental falar de uma questão:

O abandono dos animais.

A dor atroz que me provoca ver os animais abandonados, famintos e assustados, cheios de tristeza e incompreensão no olhar.
Para muitos “so called” seres humanos que têm animais de estimação, estes tornam-se um obstáculo a meia dúzia de dias de divertimento. Normalmente não têm onde os deixar durante os dias de ausência, nem um parente ou um vizinho quer tamanha responsabilidade, e eis que o bichinho não tem outro destino que não seja ser largado na beira da estrada. Ainda existem alguns ignorantes que pensam que no regresso encontrarão o cão perto de casa à espera deles, afinal eles sobrevivem uns dias sem comer e haverá sempre alguma alma caridosa que lhes estenda a mão (e falo de cães porque comparados com os gatos são os que menos se safam na busca por alimento).
Não entendo como tal poderá ser possível. Não entendo como existem criaturas capazes de providenciar tudo para umas férias de descanso e levarem uma mente limpa e descansada com eles sabendo que outro ser vivo, que dele muito depende para sobreviver, pois assim foi habituado, ficará à mercê do mundo, a viver cada minuto com o coração aos pulos numa incessante procura pelos rostos queridos que tanto lhe diz e que deveriam significar segurança e respeito pela sua existência.

Posto isto, eis que fica aqui um passa-a-palvra. NÃO ABANDONEM OS ANIMAIS nem agora pelas férias nem nunca.

Nunca é demais lembrar….

7 comentários:

  1. Não sei como existem pessoas que maltratam os animais... E maltratar inclui também o abandono...



    Beijinho, Sílvia*

    ResponderEliminar
  2. Sílvia, sempre é bom lembrar, sim. Graças à Deus, aquí no Brasil, a maior parte da população gosta muito de animais. Aos sábados e domingos, pessoas e organizações que pegam animais abandonados e cuidam dos mesmos, depois de bem tratadinhos e vacinados, levam-nos a pontos apropriados das cidades para fazerem doação a quem tiver vontade e condição de cuidar dos bichinhos. Sabe que tem uma procura grande e a cada vez que levam não sobra nenhum.
    Adorei a postagem, Sílvia. Beijinhos carinhosos.Manoel Eduardo - Brasil.

    ResponderEliminar
  3. *B*: também não entendo. E nós como seres humanos sabemos bem como a solidão por vezes magoa..imagina com os bichinhos indefesos...Crueldade!
    Todos juntos podiamos marcar diferença...
    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Blog do Óbvio: como seria bom se isso acontecesse um pouco por toda a parte. Muito bom esse espírito que cultivam de amor ao próximo seja ele homem ou animal.
    Fico extremamente alegre por saber que o fazem.
    Um grande abraço para todos vocês que se preocupam com os indefesos, pequenos ou grandes, mas cheios de amor e carinho para dar e receber.
    Beijos muito grandes

    ResponderEliminar
  5. Como é possivel abandonarem os animais, como se lixo se tratasse so para pequenos caprichos com por exemplo ir de ferias... quem faz isso a um animal indefeso nao tem coraçao... nao existe algo tao docil,carinhoso e amigo cm um animal k estta sp a nosso lado...
    bj

    R

    ResponderEliminar
  6. Anónimo R: desaparecido mas retornado da guerra!! :D
    Quem faz mal aos animais só demonstra o que é capaz de fazer ao próximo...
    Beijos

    ResponderEliminar
  7. concordo plenamente ainda na semana passada alguem abandonou uma ninhada de gatinhos recem nascidos no patio do predio onde estou a morar durante o tempo de aulas. eu e uma colega de casa telefonamos para um canil eles vieram imdiatamente busca-los mas disseram-nos que provavelmente não iam sobreviver porque precisavam do leite da gata =(

    não sei como podem as pessoas fazer isto, anida por cima quem foi tinha de ser do predio, pois só quem vive no predio tem acesso ao patio. logo quem os deixou ali sempre que ia á janela via-os. é de uma crueldade incrivel, olhar e ver gatinhos indefesos a morrer ali numa caixa de cartão ao sol.

    enfim...

    ResponderEliminar