Organizar a mente - parte I

Precisava de um abraço, de um mimo, de um colo. Não por sentir-me triste porque não o estou totalmente, mas porque precisava de ter a certeza que a solidão que sinto é temporária, é ilusória e que melhores momentos virão sem que a minha cabeça me torture.
Gostava de estar em qualquer lado menos onde estou, como qualquer bom ser humano. Sinto-me deslocada, sinto que a felicidade está noutro lado qualquer menos aqui, menos perto de mim, menos na minha pele.
Insisto em pensar que existe um outro eu a viver num sítio perfeito, paradisíaco, lindo, onde reina a paz de espírito e as boas sensações mas o encontro que tenho marcado com esse meu 'eu' numa dimensão paralela está completamente dependente de mim, do meu bem-estar, do acreditar que onde estou é tão paradisíaco como o outro lado, a outra realidade.
Há coisas que só fazem sentido numa mente como a minha, confusa e ao mesmo tempo tão racional e organizada que até mete nojo.
Dou por mim a pensar que não deve existir ser humano tão lúcido da forma como atingir a sua felicidade e que, ao mesmo tempo, boicota o seu próprio caminho por falta de fé numa coisa que tem plena certeza.
Como explicar melhor?!? Sei bem o que fazer e como fazer para sair da situação que estou pois tenho uma intuição apuradíssima e uma clareza de pensamento fabulosa mas duvido de mim o tempo todo.
As desculpas para não seguir em frente são várias, falta de tempo, cansaço, falta de motivação que advém de não fazer o que sei que devo fazer e então funciona como um ciclo vicioso...Deixo sempre para outra altura arrependendo-me logo de seguida porque ontem tinha sido um dia tão bom para ter começado e hoje sentiria-me muito mais feliz. E sei que se fizer hoje me sentirei plenamente grata comigo amanhã mas...vamos a ver o que, no final do dia, vai impedir-me de fazer o que devo. Amanhã eu confesso-o e demonstrarei a minha amargura por ter desperdiçado mais um dia.
Confuso? Não, é apenas mais um dia na minha cabeça. E depois ninguém acredita quando digo que sofro de insónias....

Sem comentários:

Enviar um comentário