Uma manhã 5.5 na escala de Richter


Bem, hoje foi daquelas manhãs que mal o despertador tocou a minha mente processou uma centena de desculpas a dar no escritório para chegar mais tarde e poder dormir mais um bocadinho! Ainda naquela fase meia a dormir, meia acordada o bom senso não é algo que exista em mim e com muito esforço minha consciência consegue inrromper e fazer-me lembrar que existe vida para além da minha cama, que, diga-se de passagem, é ma-ra-vi-lho-sa!! Mas enfim, lá me levantei, a muito custo, dando alento a mim mesma com pensamentos positivos que seria um dia bom, apesar da chuva imensa a cair lá fora como que a aguçar a minha vontade de correr novamente para debaixo dos lençois! Fui mais forte...que remédio, e arrastei-me, literalmente, para a casa-de-banho. Minha luta com a indumentária foi então iniciada e depois de perder tempos infinitos a escolher o que vestir, eis que na hora do pequeno-almoço o desatre acontece e sou bombardeada pelos meus próprios cereais. Consequência: mudar de roupa novamente e sem tempo para escolhas. Saí de casa já atrasada, o que tem vindo a acontecer com frequencia graças à minha cama-dependência! Entre correrias pelo trânsito e revistas ao espelho para verificação da maquilhagem levo tamanho susto quando deparo a menos de um metro de mim com uma carrinha mesmo na minha direcção....sim, mais parecia um animal assustado de frente para os farois de um carro!! De que me vale são meus instintos hiper aguçados e tipo filme de acção consegui desviar-me não só da carrinha mas do carro estacionado, que seria vitima n.º 2 da minha distracção! Que mania de gaja olhar para o espelho nas piores alturas!!! Bem, pelo menos deu para despertar e lá fui eu para o escritório com o coração a mil!
O pensamento positivo lá continuou..."vês, és uma mulher de sorte!" Ufa...e o dia ainda ia a meio!

Sem comentários:

Enviar um comentário