O Afecto

"...Os problemas afectivos da humanidade são provocados por um alto grau de voltagem cósmica. É como se uma imensidão de Iões e Protões (energéticos) se acumulassem dentro de vocês e provocassem um fenómeno difícil de controlar. O fenómeno da aero-vizinhança. Isto é, eu não consigo sentir nada sem que obrigue o meu vizinho a sentir também.
É difícil para a maioria das pessoas utilizar o sentimento individualmente. A maior parte das pessoas quer "dividir" o sentimento, quer "compartilhar", "explicar" o que sente.
E se eu te disser que o sentimento é para ser vivido sozinho? Que a solidão amplia e aprofunda o aprendizado do "eu" através do sentimento? Tudo o que tu "compartilhas", "divides" e "explicas" esvai-se, dissolve-se, compromete-se, pois a reacção do parceiro está sempre presente na história.
Todos falam em "felicidade a dois". Porque é que ninguém fala em "felicidade a um"? Porque ninguém pensa que deve ser feliz sozinho, ou triste sozinho, ou incomodado, ou carente sozinho?
Só a vivência pura, profunda e singular de uma emoção pode trazer ao de cima as mais sublimes revelações do "eu". Só ficando sozinho, sentindo sozinho, não tendo que compartilhar a emoção com ninguém, é que ela se exprime em toda a sua envolvência e maturidade, fazendo-nos crescer e sermos individuais.

Fonte: Alexandra Solnado

Sem comentários:

Enviar um comentário