Principe

O primeiro dia do ano marcou a completa viragem da minha vida.
Tudo indicava ser apenas mais um dia no qual, cansada da festa da noite anterior, gozava do sossego e da calma a que já havia-me habituado.
Quando decidi responder-te como tinha corrido a passagem de ano estaria longe de imaginar que o que se seguiria iria tomar, por completo, o controlo de todo o eu.
A conversa fluiu como se fossemos amigos de longa data, e mesmo separados, senti-te perto o resto do dia e da noite. A partir dai foste uma companhia constante de conversa, de troca de pseudo-mimos embrulhados em galanteios e receios de passar o limite da conveniência de quem não se conhece. 
Eu sabia que o encontro marcado, passado uns dias, não iria ser totalmente inocente. Sabia-o e não importava-me rigorosamente nada. Sentia que iria ser bom ver-te, desejava secretamente puder tocar-te e beijar-te. Alegro-me dessa noite ter acontecido. Vivi contigo dos momentos mais especiais da minha vida, o momento em que disseste-me por entre palavras e gestos que quem eu havia procurado todo este tempo tinha-me encontrado e ali estava, mesmo à minha frente, finalmente.
Desde esse dia nunca mais te largo e absorvo por completo tudo o que possas dar-me de mimo, de carinho, de sonhos, de diversão, de companheirismo. De mim dou-te tudo, sem pensar duas vezes, sem reflectir no certo ou errado, apenas com a certeza de que, a cada segundo que o relógio marca, apaixono-me mais e mais por ti.
Adoro tudo em ti e basta-me ouvir a tua voz para sentir-me segura, para perceber que guardas-me no coração.
És o meu menino, o meu príncipe.

Sem comentários:

Enviar um comentário