Sinto-te a falta Rita

Tenho saudades de um simples carinho da minha sobrinha. 
Está a passar por uma fase, desde que ingressou no infantário, em que não aceita a aproximação de ninguém a não ser da mãe e da avó.
Já não me lembro o que é sequer um olhar de carinho dela. Tornou-se uma criança embirrenta, agressiva, chorona, mimada. Tem alturas que nem posso entrar na mesma divisão onde ela está que basta ela olhar para mim para desatar a chorar e mandar-me embora. E faz isto comigo, com o avô e até com o próprio pai. Não entendo. Aquela menina que deixava colar as bochechas uma na outra e ficar num abraço apertadinho simplesmente desapareceu. Estar perto dela às vezes parece mais perigoso que estar perto de um gato que esse ao menos sabemos quando vai atacar pela sua linguagem corporal. Minha sobrinha ataca sem aviso, agarra com as unhas seja o que for, cara, braços, cabelo...e bate sem parar.  Se nos encontramos na mesma divisão fica a olhar para mim como se a tirar-me as medidas, num olhar frio, sem mimo, sem carinho, apenas olhar para depois virar costas e ir embora.
Já sabíamos desde bebé que seria uma criança com uma personalidade digamos mais vincada mas não imaginava que seria virada para a violência, um tipo de comportamento que até a ela frustra pois ela chora quando bate sabendo que o que está a fazer é incorreto mas não consegue parar. Gostava mesmo que fosse apenas uma fase e que logo logo pudesse voltar a pedir-lhe um beijinho e ela dar, conseguir chegar perto dela sem ela chorar, conseguir tocar-lhe na mão...Tenho saudades da minha menina.

3 comentários:

  1. Podes crer que é só uma fase. Tenho a certeza.

    ResponderEliminar
  2. Pode ser uma fase ou não.
    E desculpa dizer isto, mas as crianças desde pequenas têm de ser tratadas com firmeza. A minha filha desde pequena que tambem tem manias e embirra e tenta impor a sua vontade. Acontece que ela tem de perceber que os lideres somos nós e nao ela. ela comigo tem um comportamento.. com a mãe tem outro porque é mais permissiva. Estou sempre a meter regras e a dizer não para aquilo que não pode fazer e não se vacila. Quando uma criança impoe a sua vontade, está a querer afirmar-se e isso não pode ser tolerado. Se é agressiva, temos que dominar... mostrar autoridade e não se pode deixar chegar a esse ponto. eu ataquei logo desde cedo e tenho as coisas controladas.
    Isto não é uma receita, resulta para uns e para outros não. Existem muitos métodos e tem de ser analiasado caso a caso.
    Muitas vezes pensamos que eles não percebem.. mas percebem e muito. Se vêm fraqueza num lado, exploram até onde podem.
    Mas como é obvio que o carinho, amor e atenção têm de ser dados... mas em doses moderadas.. senão.. ficam mimados.

    ResponderEliminar
  3. Waterfall: esperemos que sim.

    Paulo: concordo em tudo o que dizes mas infelizmente não está nas minhas mãos. Já repeti várias vezes esse discurso.

    ResponderEliminar