Back to the future...

Não sou muito fã de televisão. Confesso que vejo de vez enquando, apenas nas alturas mais “mortas” do meu tempo livre. Quando tal acontece, sigo algumas séries da Fox Life. São umas séries muito light, dão para distrair mas só gora reparei que o cerne das estórias contadas é muito semelhante. Apercebi-me que pelo menos 2, se não estou em erro serão 3, retratam a estória de uma rapariga que consegue ou prever o que de mal vai passar-se e portanto evitar as desgraças ou que consegue voltar atrás no tempo e corrigir falhas na própria vida. Tru Calling e Erica são as séries a que me refiro, a terceira não me recordo o nome.
Dei por mim a concluir que estaremos a passar por uma fase em que os produtores quiseram aproveitar a vontade que as pessoas têm de voltar atrás no tempo, corrigir erros ou aproveitar situações.
Na realidade quase todos nós já pensamos nisso, em regressar no tempo e alterar uma ou outra coisa. Ou então quando algo acontece e sabemos que não há volta a dar, o erro já está feito e ficamos frustrados, pensamos como seria bom atrasar o relógio uns segundos e evitar a situação.
Viajar no tempo…seria benéfico? Voltar a ver-nos mais novos, em situações passadas, com amigos e outras pessoas que já não fazem parte do nosso presente, seria interessante? Conseguiríamos mudar alguma coisa?
Houve uma altura que, numa disciplina da faculdade, fui confrontada com um debate semelhante. Tratava-se de saber se alguém voltaria atrás para matar o Hitler. Muitos insurgiram-se logo, claro que sim. No entanto houve quem coloca-se a questão de outra forma: e se mais tarde viéssemos a descobrir que um dos judeus salvos pela morte do Hitler acabaria por ser um serial killer também, matando, inclusive, alguém nosso conhecido ou familiar? A questão aí mudou de sentido. Queriamos chegar à conclusão que mudar o passado nem sempre é tarefa fácil e acarreta demasiadas responsabilidades e consequências. Também é certo que, insatisfeitos por natureza, nunca conseguiríamos alcançar a perfeição e se calhar ainda fazíamos mais asneira!
Eu? Estou bem assim...mas se calhar mudava uma coisinha ou outra!!

30 comentários:

  1. A série a que te referes chama-se: "Medium"...Também é uma série que gosto bastante de ver...

    E se eu pudesse...é lógico que mudaria alguma coisa do passado...Ai se eu pudesse voltar atrás!!! ;)

    ResponderEliminar
  2. Lua: hmmm não é a Medium, é uma série nova!

    ResponderEliminar
  3. :) Que tema interessante. :D Já reflecti sobre ele variadas vezes.

    Poderia (queria) voltar atrás no tempo e mudar isto e aquilo, mas e depois? E se isso mudasse o que de bom tenho hoje em dia? E se essa mudança evitasse que eu aprendesse o que sei hoje, as experiências que acabei por viver, os desafios que tive de vencer, a pessoa em que me tornei? E se as minhas mudanças no passado me tornassem um... monstro? E se elas... alterassem o Mundo para pior ou destruissem a vida de alguém?

    E depois de mudar uma coisa, por que não mudar outra e outra. Andaríamos a mudar X e Y, e por causa disso teríamos de mudar ainda mais coisas para colocar tudo como deve ser. Nunca mais pararíamos.

    Como diz a minha trilogia preferida de todos os tempos: qualquer mudança no Passado poderá causar consequências catastróficas no Presente. Pode alterar o rumo da própria vida... e significar o fim do Universo.

    Mas gostava sim... se gostava... de viajar no Tempo, ir ao Futuro, repetir experiências, imortalizar pormenores.

    Se tivesse uma máquina do tempo... talvez arriscasse. Ou então... assumiria os erros como factores tão importantes como os acertos e seguiria em frente, construindo no Presente um Futuro melhor, aproveitando as minhas falhas para fazer delas lições de vida.

    Beijo.
    P.S.: Obrigado por este tema.
    P.S.2: Quanto à questão do Hitler. Hoje sabemos que se tornou um genocida, voltar atrás no tempo para o matar? Por que não pegar nele em bebé e educá-lo doutra forma? E isso levanta a questão do "Minority Report", começaríamos a viajar para o Futuro para saber quem seriam os grandes criminosos e regressaríamos ao Presente para os castigar antes mesmo... de cometerem qualquer crime? Mas ainda não os tinham cometido... E se o Futuro se "enganasse"? É que o Futuro... somos nós que o construímos no Presente, com base no Passado. Ou seja, o Futuro ainda não está construído.

    ResponderEliminar
  4. Gimras: os eternos inconformados, é o que somos. Andamos sempre atrás de algo melhor. Recuar no tempo para o conseguir não iria ser tarefa fácil.
    As tuas palavras são certíssimas, adorei-as.
    Melhor mesmo pensar que o futuro somos nós que o fazemos a cada segundo do presente.

    Limão doce: obrigada pela visita. :)

    ResponderEliminar
  5. "Gimras"? Quem é esse? :PPP

    ;) Isso mesmo: "melhor mesmo é pensar que o futuro somos nós que o fazemos a cada segundo do presente".

    ResponderEliminar
  6. Comeste-me o quê?
    Aiii... que a sopa se vai entornar!

    ResponderEliminar
  7. Comi-te sim..o teu "b"! Hmmm...b-bem b-bom!
    Sopa de letras?!?

    ResponderEliminar
  8. Sim, sopinha de letras.
    Vê lá se eu não te como o "s", pah! Ílvia! Oh Ílvia!!

    ResponderEliminar
  9. "Vê lá sen não te como o "s"...olha diz isso em voz alta para ti mesmo!! Tem a sua piada! :p

    ResponderEliminar
  10. Tu és muito engraçada, comedora de sopa de letras alheia! :P

    ResponderEliminar
  11. É um tema difícil. Voltar ao passado, mudar certas coisas que aconteceram connosco... Bem, eu confesso que, muitas vezes, tenho vontade de voltar atrás no tempo e dar pequenos retoques em certos períodos da minha vida. No entanto, deixando de parte a saudade das alegrias passadas, a tristeza e o incómodo por certas situações mal realizadas, acabo, num momento racional, por pensar que a nossa vida é mais bonita sendo imperfeita. Se tudo no passado fosse bom, não tínhamos o constante desejo de querer mais e melhor no futuro...

    ResponderEliminar
  12. Gimbras: disseste ou não?!? :p

    Saga: todos temos essa vontadinha de dar uns retoques mas o melhor mesmo é aproveitar a vida como ela está!

    ResponderEliminar
  13. Não tem misterio nenhum...não me ouves, como te explico?!?

    ResponderEliminar