Foste tu ou fui eu? Who cares?!?

Em conversa com a E. sobre o que escrevo e os desafabos que vou tendo, ela diz-me que da maneira como sofro e vivo um sentimento de perda tão grande, nem parece que fui eu que terminei a relação.

Mas será que realmente importa se deixamos ou fomos deixados?

O término de uma relação, para aqueles que a vivem intensamente, é doloroso para ambas as partes e nem sempre quando terminamos é porque o amor acabou mas por forças de circunstâncias que nos obrigam a tomar caminhos diferentes. Sofri e sofro por ter tomado a decisão pois, apesar de ponderada, também foi tomada por cansaço, desgaste e tristeza. Explicar as razões porque aconteceu seria entrar num campo demasiado pessoal mas não posso deixar de questionar se por ter sido eu a terminar não deveria sofrer dores de amor? Estarei assim tão errada?

Não é porque alguém terminou uma relação que sofre menos. Sofremos de igual modo, até porque estamos a abdicar de consciência de alguém que gostamos. E essa é a minha realidade, o ter aberto mão de alguém que amava, do meu melhor amigo, do meu companheiro. E não é por ter terminado que deixei de amar...longe estou disso acontecer!

Não consigo compreender aquelas pessoas que terminam uma relação e vivem como se nada se tivesse passado, como se o tempo que partilharam com aquela pessoa não tivesse significado nada. Não quer dizer que sou mais ou menos sensível, apenas sofro pela vida me pregar algumas partidas que não estava à espera e sinto-me a passar a fase de luto, que é necessária para continuar a minha caminhada, para amadurecer e reflectir no que aconteceu de errado e não voltar a repetir e, concerteza, para passar a dar mais valor ao amor e às pessoas sem tomar nada como garantido.

Não importa quem tomou a decisão, não importa a quem doi mais ou menos, não importa o que os outros pensam ou vão pensar. O mais importante é que dizemos adeus a uma etapa da vida e isso nunca será fácil.

Importante mesmo é curar as feridas todas para que quando a tempestade passe sejamos capazes de abrir nosso coração de novo e amar sem mágoas, culpas ou ressentimentos do passado e construir uma vida simplesmento FELIZ!

3 comentários:

  1. Sílvia, como eu te compreendo. No meu passdo também eu terminei uma relação por já não ser feliz, porque a pessoa com quem estava e de quem gostava, ser do mais ciumento que existe, armando discussões e confusões a toda a hora, em todos os lugares, com qualquer pessoa. E eu acabei tudo e sofri durante uns largos meses, até conhecer outra pessoa que sim, me devolveu o sorriso e me fez ver que não basta amarmos alguém, temos que nos sentir felizes, dia após dia e com vontade de sermos melhores pessoas a cada momento. Por isso sim, que acaba também sofre - por vezes até mais...

    ResponderEliminar
  2. Disseste tudo...

    Não comentei o outro texto, mas comentarei agora (por causa deste). Para mim, o post retirado é tanto ou menos intenso (ou "ofensivo") quanto este. Na prática, vai dar ao mesmo.

    Não considero que magoe seja quem for de modo algum. Foi um simples desabafo de quem alguém que ainda tem um enorme sentimento por outra pessoa. Em nenhuma parte li a menor crítica que fosse.

    É importante exteriorizar o que sentes (e mantê-lo, neste caso, visível - se bem que seja muito pessoal), pois trata-se, como tu própria afirmas da tua "fase de luto, que é necessária para continuar a (...) caminhada, para amadurecer e reflectir".

    Quanto à dor que se sente, isso é relativo. Se uma relação acabou e a falta de amor não foi a razão desse fim, ambos sofrem. Quando é ao contrário, quando o amor termina mesmo, ou nunca existiu é menos complicado de gerir.

    Confirmo: vocês andam todas iguais. :S Devo ter um dedo para escolher os blogs das meninas desamparadas.
    Lol.

    ResponderEliminar
  3. Gimbras: às vezes os simples desafabos não são bem interpretados principalmente quando escritos em que não é perceptível a entoação e a emoção.
    Todos os finais são complicados para quem se entrega. Claro que uns piores do que outros, ou como dizes, menos complicados de gerir.
    Se andamos todas iguais deve ser fases da lua!! ;)
    Mas...não me sinto desamparada :)

    ResponderEliminar