Sonhos

Não será a primeira nem a última vez que escrevo acerca dos meus sonhos. Tem noites que realmente as imagens mentais que vivencio são por demais e continuo a acordar cansada por isso. Mas a minha veia masoquista insiste nesta prática de (re)produção mental da minha vida, numa crença de que consigo mesmo retirar alguma informação proveitosa do que é-me mostrado enquanto durmo.
Não descrevo todos os sonhos pois eles acabam por ser um pouco confusos até para mim se não lhes der atenção, e é certo que se não os transcrevo logo muita informação vai perdendo-se ao longo do dia e aí ficam mesmo desfragmentados.
Mas no outro dia tive um sonho que até agora recordo ao pormenor e com alguma dificuldade não consigo evitar uma pontada no peito de cada vez que o relembro. Sonhei com a minha falecida avó materna. Demasiado realista é como descrevo este sonho, tão real que ainda agora consigo sentir, como se estivesse estado mesmo lá, o abraço que trocamos. Uma mistura de medo, saudade e alegria foram os sentimentos presentes. Assustei-me com a presença dela e num primeiro instinto comecei a correr mas parei pois não fazia sentido fugir, era a minha avó ali, ela estava ali a olhar para mim com um olhar tímido, receosa por assustar-me e desconhecendo se eu a conseguia ver ou não, mas era ela e estava presente para mim e por isso voltei para trás. Dei-lhe um abraço como nunca lhe dei em vida e senti-me tão segura, tão profundamente bem que criei em mim um saudosismo por esse abraço que tem vezes que desejo voltar a sonha-lo. Ontem acabei por adormecer com algumas lágrimas nos olhos mas não voltei a sonhar com ela.

3 comentários:

  1. não me peças para decifrar sonhos... até os meus, me confudem...

    ResponderEliminar
  2. Muito natural isso acontecer.
    Os nossos sonhos são os nossos maiores desejos ou os nossos maiores medos. E muitas vezes, achamos uma parvoice um sonho mas o nosso inconsciente deseja isso, mesmo que o nosso consciente diga que não.
    E acredita... os nossos sonhos podem ser muitos reais.... :)

    ResponderEliminar
  3. Ju: eu compreendo os meus. Até sou boa a decifrar sonhos caso precises :p

    Paulo: eu sei que são, eu vivo muito intensamente os meus sonhos ao ponto de acordar cansada. :)

    ResponderEliminar