Reflexões

Grande parte das vezes as respostas circundam-nos, nós é que não tomamos atenção de tão distraidos que andamos com as ilusões criadas.
Com isto, muitas vezes sofremos desilusões que partem do pressuposto que a vida deveria responder-nos como gostariamos e não como na realidade é. Estar num estado adormecido tem as suas coisas boas quando permite-nos gozar o dia e viver sem preocupações mas nos momentos mais cruciais, em que decisões estão a ser tomadas, uma palavra mal dita, um silencio, um gesto menos bom, têm a capacidade de desmoronar tudo!
Alimentamos sonhos que carecem da aprovação de outros, colocamos nos outros a responsabilidade da nossa felicidade e culpamos a vida por não ir de encontro ao esperado.
A culpa é unicamente nossa quando julgamos que os outros sente o mesmo que nós, que sonham o mesmo que nós, que querem para eles o que nós queremos para nós com a devida troca e cumplicidade. Seriam facilitismos a mais se tudo assim fosse e estariamos a abafar os individualismos se tal acontecesse.
A vida, por mais que tentemos que seja diferente, é uma caminhada solitária. É a única certeza que pudemos ter. Apenas nós mesmos seremos nossos eternos companheiros e, como tal, devemos tratar-nos com o respeito que merecemos e ir de encontro à felicidade que merecemos e queremos. Lutar no dia-a-dia pelos nossos sonhos, pelos nossos objectivos e, se aparecer alguém que queira juntar os seus aos nossos, que venha por bem, que se aproxime e que, junto a nós, tire o melhor proveito da vida. Mas sempre com a certeza que nada é eterno, e se essa pessoa partir, nossos sonhos continuarão ali, fortes e sempre prontos a serem conquistados e nunca levados embora.
Seria engraçado partilhar alguns sonhos. Seria até bem mais divertido puder faze-lo, mas ao despertar e ver as respostas que me circundam, sei que primeiro passo é conquista-los assim como me encontro e o resto que acontecer será bónus!

Sem comentários:

Enviar um comentário