Enjoy the silence

Eu gostava de ter imensas coisas para escrever mas não tenho...
Da mesma forma gostava de ter imensas coisas para falar mas até aí o assunto está escasso. Bem, não que esteja escasso mas, por alguma razão, simplesmente não desenvolve, não falo, não tenho nada a dizer, sinto-me no silêncio sem saber porquê.
Fica complicado quando queremos demonstrar que somos pessoas interessantes, de boa conversa, boa companhia. Mas nestas alturas não há mesmo nada a fazer. Nem a saca-rolhas o assunto aparece.
Viajo pela blogosfera e vejo, como sempre vi, que os temas são variadíssimos e qualquer coisa é motivo de escrita: o que se fez ontem, o que se comeu, o que se está a sentir, os mais diferentes pensamentos que podemos imaginar. Querendo pegar em algo para fazer um post e simplesmente dizer algo do género, não consigo, tornou-se quase que impossível.
Até pode nem ser mau sinal, nem sempre somos obrigados a desbobinar tudo o que vai cá dentro, mas faz-me sentir diferente. O lado mau é que tal significa que estou introspectiva mais uma vez, no meu estado de observação, pensamento e conclusão. Devo estar mesmo a fazer o balanço do final do ano e a ponderar o que vale a pena ou não e confesso que tenho muitas coisas a pesar na balança neste momento. Essa poderá ser a razão principal para estar tão caladita.
Quando as respostas a algumas questões tornam-se dificeis de obter do exterior procuramos onde elas estão sempre, cá dentro, e com alguma paciência e calma tentamos encontrar a melhor saida para o que nos atormenta. Algumas decisões estão mesmo a ser tomadas baseadas no que o exterior tem vindo a oferecer e se vai ou não de encontro ao interior.
Enquanto isso, reina o silencio.

Sem comentários:

Enviar um comentário