Não é o fim do mundo, é o início de outra etapa

A humanidade tende a fazer julgamentos rápido demais e a colocar qualquer um na forca ao mínimo erro. Para qualquer assunto nada melhor que deixar a poeira assentar, as ideias organizarem-se, respirar fundo e só aí fazer os juízos que devem ser feitos.
Não serei a pessoa que vai apontar o dedo e dizer o que fazem de errado, que não o deveriam fazer e que vão ser punidos por isso. Sim, eu sei que quando saimos magoados queremos imediatamente ver sofrer quem nos magoa e viramos costas a tudo e a todos numa forma de protesto e condenação. Mas a raiva inicial é sempre um poderoso veneno que preferi não tomar.
É demasiado fácil falar quando não somos nós a sentir a dor e a mágoa. É demasiado fácil dizer "eu se fosse a ti faria isto e aquilo" quando não são eles mesmos a sentir não só o presente mas as consequências da decisão futura. Entendo que as pessoas querem o melhor para nós e opinam consoante acham ser melhor para nós, mas é uma opinião baseada em fundamentos muito parcos, onde falham as outras perspectivas, as outras vivências, a outra face da moeda.
Eu já cometi imensos erros na vida, já julguei cedo demais, já apontei o dedo cedo demais, já arrependi-me de não ter respirado e contado até 10 ou 30 antes de falar. Hoje não o faço, hoje evito que a raiva tome conta de mim e me faça dizer coisas q sinto e que não sinto só para magoar, não só a outra pessoa mas também a mim.
A vida prega-nos partidas de todas as formas, umas boas, outras menos boas e outras mesmo terroríficas. Viver é isso, passar por todas elas e continuar a acordar todos os dias a sonhar com um bom dia, a ter fé que tudo vai correr bem, que conseguimos ser fortes e capazes de olhar o mundo de frente seja qual for a decisão que a vida nos faça tomar.
Já chorei demasiado, já sofri demasiado, já pensei demasiado...resta-me ver a vida desenrolar à minha frente e continuar a minha caminhada, sozinha ou acompanhada, mas bem, feliz e em paz. Por enquanto só estou em paz, falta-me sentir bem e feliz, mas como a experiência já me ensinou, é tudo uma questão de tempo.

5 comentários:

  1. Concordo com o que dizes, quando se passa connosco é bem diferente!
    Já senti algo do género, mais que uma vez e não é bom, não se recomenda, mas passa e aprendemos com elas e como dizes, o mundo não acaba!
    O facto de no momento de maior dor apenas nos apetecer explodir é bem verdade, mas não se ganha nada com isso, pode até fazer com que percamos a razão.
    São erros que se comentem na vida que podem acontecer a todos nós, não adianta cuspir para o ar.

    ResponderEliminar
  2. E eu nem sei cuspir ;)

    A vida continua não é Becas? Não é novidade nenhuma que andamos aqui a magoar-nos uns aos outros e só cai nelas quem quer, quem embarca nas aventuras. Agora nada posso fazer, não posso voltar atrás no tempo, não posso apagar, não posso mudar nada...é ir vivendo!

    ResponderEliminar
  3. Sílvia, há uma lenda sobre um principe que tem um anel pra usar em tempos de grande perigo e nesse anel, no dia em que ele o usou, pode ler: também isto passará.
    Beijinhos

    ResponderEliminar