Mulher pendura criança numa varanda com uma corda



Uma mulher turca pendurou uma criança de uma varanda de um prédio de apartamentos com uma corda para que esta recuperasse uma peça de roupa que tinha caído. A situação foi filmada pelos telemóveis de pessoas que testemunharam o caso.

Decidida a recuperar uma peça de roupa que havia caído, a mulher atou uma corda à roupa da criança e desceu-a quase dois andares num prédio de uma cidade do centro da Turquia. A criança recuperou a peça de roupa e esteve ainda alguns momentos pendurada até que a mulher começou a puxá-la para cima.

Fonte: Jornal de Notícias

Assunto sério mesmo! Será que todo o ser humano está preparado, ou melhor, dotado de instinto maternal/paternal, instinto protector ou é mesmo só parir e que Deus olhe pelo bem-estar da criança?!?
O processo de adopção, no caso português pelo menos, é um processo moroso que implica, entre outros elementos, exames pricológicos aos candidatos a pais de modo a averiguarem se estes estão capacitados para adoptar, para dar um lar, para realmente avaliar se serão bons pais. É um processo penoso para aqueles que têm imenso amor para dar e querem, voluntariamente, cuidar de uma criança que, ao princípio, não é deles, basicamente!
Contudo, para se ser pai/mãe biológico não é preciso nada, nenhum tipo de aconselhamento, exame psicológico, averiguação da sua capacidade parental. Acontecem casos de abandono, maus-tratos, abusos e outros mais extremos.
Quando observados os animais deviamos tirar daí algum exemplo. Os animais são do mais protector que existe para com as suas crias e na mesma assim, eles é que são apelidados (por nós, os 'normais') de selvagens!
Será que colocariam a sua cria em risco como a estúpida mulher turca?!?

8 comentários:

  1. Olá Sílvia, em primeiro lugar muitos parabéns pelo teu blog.
    O que aqui retratas é muito grave e muito infeliz. Como mãe revolta-me assistir a estes e outros maus-tratos a crianças. Falta de formação, distúrbios psicológicos/psiquiátrico e certamente a constatação que nem todas as pessoas nasceram para ser mãe ou pai. Por tudo o que ser mãe e/ou pai significa. Não é só conceber e dar à luz. Isso é do mais básico que existe mas, infelizmente, ainda vemos muitas realidades assim. Afinal, existe uma diferença abismal entre "Eu quero ter um filho" e "Eu quero ser mãe/pai". Ter e ser. Sabes que uma das coisas que mais me comovia durante a gravidez e ainda me comove foi quando assistia a documentários sobre a vida animal na televisão. Fico sempre com o coração aos pulos quando vejo quão apurado é o instinto maternal e também parental dos animais...o que muitas crianças não dariam por um amor assim tão incondicional...
    Beijinhos e votos de uma excelente semana, Sofia

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Sofia, muito simpático de tua parte.
    É verdade, alguns humanos é que são os verdadeiros bichos no que toca ao cuidado que têm com os seus filhos!
    Uma excelente semana também para ti.
    Beijo

    ResponderEliminar
  3. Na minha opinião, esta questão tem mais a ver com a sanidade mental de uma mulher que propriamente com a sua capacidade de ser mãe que, é evidente, não tem.

    Beijo, SM.

    ResponderEliminar
  4. Vi nas notícias da RTP e nem tenho palavras para comentar...

    ResponderEliminar
  5. JL: então teremos de questionar a sanidade mental de muita gente! ;)

    Um gajo qualquer: é que não há mesmo palavras, o acto em si já descreve tudo!

    ResponderEliminar
  6. Vi na RTP durante o almoço, num restaurante particularmente barulhento, por isso não consegui perceber que se passava na Turquia, estava até com uma certeza inabalável que seria em Portugal, o que é grave...

    Não há palavras :S

    ResponderEliminar
  7. Se fosse em Portugal seria explorado até ao tutano pela comunicação social, ao menos isso. É que nós para fazer escândalo estamos sempre apostos.
    Mas não há palavras mesmo. Tenho uma pena destas crianças que depositam incondicionalmente confiança nos seus progenitores e correm riscos de vida tremendos. Enfim...

    ResponderEliminar