Redes sociais e o blogue

Durante muito tempo tive uma conta no Hi5. Cansei-me daquela coisa, da exposição, de ter uma página e não puder fazer nada com ela a não ser tê-la. Estava ali parada, sem dinamismo algum, sem puder demostrar um pouco mais de mim a não ser um molho de fotos que, diga-se de passagem, de nada me favorecem pois fotogenica é o que menos sou. Tinha necessidade de escrever, de falar um pouco de mim a um público invisível. Criei um blogue pela necessidade de ter um sítio onde pudesse mostrar uma parte de mim que transcende fotos, gostos pessoais, informações sobre minha vida exterior. Criei um blogue com o intuito de ter um sítio onde pudesse dar a conhecer a minha alma, a minha mente, o meu ser.

Tem alturas que fico meio envergonhada se alguém visita o meu blogue e lê o que escrevo mas também sou a primeira a dizer que se alguém quiser conhecer-me melhor é só ler...Este é o sítio onde exprimo pensamentos de segundos, de dias, de anos. Este é o meu diário online onde digo o que sinto, onde conto meus dias bons e maus, onde mando alguém à merda ou digo que amo!

Quando um sentimento ou pensamento surge na minha mente e tenho necessidade de o exprimir, é aqui que o faço, seja pelo meio de um texto, uma imagem ou uma música. Nada é feito ao acaso. Nenhum texto é publicado por simplesmente existir, é publicado porque aquele é o momento dele ser escrito e lido. Todas as músicas são reflexos de sentimentos e nenhuma é publicada sem sentido. Há sempre sentido para aquela ter sido a música escolhida, pela mensagem que transmite, pelo que diz, pela emoção que contém. Todo o blogue é um todo. Marca imensas passagens, imensos momentos da minha vida, emoções sentidas, tristezas e alegrias, sonhos e pesadelos.

Criar uma página no Facebook foi regressar aos tempos do Hi5. Não me preenche, não me traz nada de novo. É engraçado pelo contacto que estabelecemos, pelas pessoas que encontramos mas só e apenas isso. Para mim, nada substitui o meu canto, o meu blogue. Foi nele que encontrei uma saída, um escape para as minhas angústias, para a minha recuperação emocional. Foi nele que me agarrei como forma de gritar ao mundo o que minha alma queria dizer a todo o momento.No Facebook somos uma foto, somos sorrisos e boa-disposição. Mas todos sabemos que somos mais do que isso e que a vida não são só aparências e fachadas.

Acho boa ideia termos um sitio onde impera a boa-disposição, onde encontramos os amigos e trocamos impressões. Estou a gostar de o fazer, certamente. Mas, tem melhor sítio que o blogue para nos sentarmos um pouco e relaxar?

6 comentários:

  1. Concordo em absoluto contigo. E embora eu brinque um pouquinho com diversas situações no meu blogue, nada o substitui. É nele, como dizes, que damos um pouco de nós para além das fotos do 'facebook' e do tom mais ligeiro da troca de impressões que o sítio permite. E quanto às fotos, sou como uma tribo índia da qual não recordo o nome: roubam a alma. :)

    Obrigado. Beijo.

    ResponderEliminar
  2. É sempre uma boa desculpa para não tirar fotos! :)

    Obrigado de quê?

    ResponderEliminar
  3. É um obrigado abusivo. :)

    Obrigado por teres escrito por mim aquilo que eu penso desde sempre sobre as redes sociais.

    [Sorry]

    ResponderEliminar
  4. Caramba! Que bonito texto!
    Concordo contigo! Por isso mesmo é que ainda não me consegui desfazer dele, já faz parte do meu dia!

    ResponderEliminar
  5. Joaquim: de nada! Muito gosto em sabe-lo!

    Elisabete: Obrigada! Eia!
    Já está entranhado! :)

    ResponderEliminar
  6. Joaquim: de nada! Muito gosto em sabe-lo!

    Elisabete: Obrigada! Eia!
    Já está entranhado! :)

    ResponderEliminar