Todos os dias são um presente

O esforço que estou constantemente a fazer para manter a calma e a paz de espírito!
Tem coisas que insistem em querer chatear-me, tirar-me do sério e fazer-me serrar os dentes de nervos mas lá respiro com calma, espero uns segundos e a paz regressa. É um exercício que tenho vindo a fazer desde que tomei a decisão de que minha vida tomaria um novo rumo. Não deixo que nada estregue o meu dia.
Todos os dias passaram a ser importantes para mim, mesmo que não aconteça nada de especial. Passaram a ser motivo para sorrir, de fazer planos, de aproveitar o momento mesmo que seja de dolce fare niente. Ainda ontem estava meu Pai a ver a sua colecção de garrafas. O orgulho que ele tem de ter imensas garrafas de Ginginhas, Vinho do Porto e outros de colheitas de muitos anos atrás. "Esta vale dinheiro..." dizia ele segurando uma garrafa de Aguardente. "Era da adega do Sr. Oliveira e davam-se 200€ por ela se eu quisesse". Mas, de que vale o valor da garrafa se não vais disfrutar dela? Foi o que questionei ao meu Pai. Compreendo que seja um coleccionador e lhe dê gozo ver aquilo ali, mas a sua expressão de agrado por uma coisa engarrafada que nunca vai experimentar levou-me a dizer-lhe que não fazia sentido guardar mas sim disfrutar pois as garrafas ficarão ali, nós não e por isso temos que aproveitar as coisas enquanto estamos cá.
Este é o meu lema. Não me quero apegar as coisas ou deixar de usa-las para guarda-las e vê-las de vez em quando. Muitas vezes fiz isso com roupa que guardava para uma ocasião especial e quando ia a vestir já não me servia!!! Mais vale um momento bem passado a disfrutar um cálice de Vinho do Porto do que ter a garrafa ali guardada, no meio das outras à espera do nada e que ali vai ficar deixando apenas o gosto de ser parte de uma colecção. Eu entendo a importância dos objectos para um coleccionar mas, e que tal coleccionar bons momentos e alegrias? Não são palpáveis e isso faz diferença, eu sei, mas são a razão pela qual fazemos este caminho, ou deveriam ser.

10 comentários:

  1. Tens razão.
    Mas entendo o teu pai. É um gosto que ele tem. Há quem aprecie o degustar do vinho, ele gosta de guardar garrafas antigas, preciosidades.

    No entanto, nas duas maneiras de ser, todos vivem esses momentos à grande: bebendo e saboreando, ou olhando e admirando.

    ResponderEliminar
  2. Sim, eu também entendo, e por isso disse que entendia o que significava ser coleccionador. Só não concordo em guardar coisas para uma altura especial que nunca sabemos qual é e se chegará!

    ResponderEliminar
  3. Verdade!

    Esperamos, esperamos e depois pensamos "será este momento, o momento especial?". E esperamos, de novo, a ver se vem algo melhor ainda.

    Acabamos por perder a oportunidade.

    Devemos sim pensar como tu dizes! Momentos especiais são todos os dias, a todas as horas.

    Já dizia a minha Mãe: "não deixes para amanhã, o que podes fazer hoje"!

    ResponderEliminar
  4. P.S.: Quando for a tua casa, vou beber a vinhaça toda ao teu pai. :P

    ResponderEliminar
  5. Looooool, aposto que assim não gostar de mim, looooooooool.

    ResponderEliminar
  6. Desde que partilhasses o alcool estaria tudo bem!

    ResponderEliminar
  7. Enganei-me, quis dizer que ele assim não vai gostar de mim. Faltou um "vai" no comentário. Bebo-lhe o vinho, o homem zanga-se!

    ResponderEliminar
  8. Profundo e ao mesmo tempo tão claro e simples. Eu era incapaz de coleccionar algo que pusesse usar.

    ResponderEliminar