Os 5 estadio da dor

Ontem vi, pela segunda vez, o início da nova temporada da Anatomia de Grey. Novidade nenhuma, já sabia mais ou menos o que iria acontecer, que o O'Malley (T.R. Knight) teria mesmo querido desistir da série e portanto morreria, e que a Stevens (Katherine Heigl) sobreviveria, de resto não houve grandes desenvolvimentos, mas é uma série que, quando não repete vezes sem conta, gosto de ver.

O que gosto mesmo são os pensamentos que vão narrando desde o início. Quem os escreve consegue atingir-me...isso é bom, atingir o público!!!

Ontem terminou com a explicação dos 5 estádios da dor e adorei. Tomei noção de que já os vivenciei, até várias vezes, e que neste momento me encontro a vivenciar um. Até fiquei feliz porque estou perto do fim do ciclo. Eis:


1º Negação

2º Ira

3º Negociação

4º Depressão

5º Aceitação


Fiquei a pensar nisto e fui capaz de rever os últimos meses da minha vida e enquadrar cada estádio num momento específico. Gosto destas coisas que me deixam a pensar!

27 comentários:

  1. Também gosto de coisas que me deixam a pensar.

    ResponderEliminar
  2. Também adoro a Anatomia. :) E agora também fiquei a pensar nisso.
    *

    ResponderEliminar
  3. Gimbras: e isto deixou-te a pensar?

    teiassonhos: identificas-te?

    ResponderEliminar
  4. Eu também gosto dessas questões, mas não me consigo identificar com estes estádios.

    **

    ResponderEliminar
  5. Não te consegues identificar agora ou nunca conseguiste?

    ResponderEliminar
  6. Gimbras: pena...não contribui para nenhum pensamento gimbrástico! :)

    ResponderEliminar
  7. Nas "questões da vida" já me identifiquei com quase todos. Apenas na "negociação", acho que só mesmo com a minha "consciência" é que negociei alguma coisa e não foi nada facil... gajo complicado :)
    Em relação à depressão, foi uma passagem fugaz e quando dei por isso, a palavra adequada para descrever é o pânico... mas passei sempre o "teste"
    Mas esta é mesmo uma série "pertinente", gosto muito.

    Bjs
    P

    ResponderEliminar
  8. Silvia, completamente.
    Mas para já ainda vou na fase da ira...
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  9. P: sim, a parte da negociação até julgo que seja a mais importante para se passar as seguintes da melhor forma.

    teiasonhos: é a fase onde vamos buscar alguma força na revolta. Força!

    ResponderEliminar
  10. Acho que nunca... Quer dizer, os 5 estádios são para ser seguidos por esta ordem? Sinceramente, não me cabe na cabeça que seja assim... Compreendo que possa ser uma tendência comum, mas porque não chegar à Aceitação sem passar pelas outras quatro etapas?

    **

    ResponderEliminar
  11. Saga: não tens que ver os 5 estádios da dor como largos periodos de tempo. Poderá, eventualmente haver alguma das fases que será maior ou menor que outra e poderá mesmo demorar segundos e não teres percepção que a vivenciaste.
    Claro está que não tenho conhecimentos científicos para defender esta tese, a nível pessoal e reflectindo sobre o assunto, creio que de todas as vezes que passei por momentos de dor passei por essas fases.
    Mas, não somos todos iguais...

    ResponderEliminar
  12. Sim, cada um vivencia essas fases ou, nem todas, à sua maneira.

    ResponderEliminar
  13. Exacto. Mas continuo a achar que passamos por todas, podemos é não ter percepção delas!

    ResponderEliminar
  14. Humm... Custa-me pensar dessa forma. Sentir alguns desses estados ou, pontualmente, todos, aceito. Mas sempre os 5? Por exemplo, a Ira parece-me um sentimento forte demais para não se ter percepção dela.
    E também acho que não se deviam analisar os sentimentos humanos seguindo uma tábua reguladora. Cada um reage como reage e pronto. Senão, lá se vai a particularidade de cada indivíduo, que deixa de se chamar indivíduo.
    Enfim, não consigo concordar. Mas quem sou eu, não é? :p

    **

    ResponderEliminar
  15. Olha que concordo com o Saga. As coisas não têm, ou não serão sempre assim tão lineares.

    ResponderEliminar
  16. Saga: lá está, eu também não tenho conhecimentos na área da psicologia para desenvolver o assunto convenientemente, apenas posso opinar.
    Ira, não podemos pensar nela como levada ao extremo, pensa sim como uma fase de revolta cuja intensidade varia de pessoa para pessoa pois nem todos reagimos do mesmo modo, terá a ver com nosso código de conduta. Poderá ser um estado de maior irritabilidade com o mundo, com as pessoas ou algo especifico ("Hoje estou irritado" por exemplo)
    Todos nós passamos por estádios de desenvolvimento comuns desde que nascemos até morrermos e não será por isso que perdemos nossa individualidade. O que nos difere é o modo como aprendemos e apreendemos, como reagimos, como crescem nossos valores e desenvolvem nossas atitudes porque de resto, infelizmente, não somos assim tão diferentes uns dos outros.

    ResponderEliminar
  17. Gimbras: não sei se serão ou não tão lineares mas que penso fazerem sentido, e repito, por experiência própria, fazem. Cientificamente...não sei!!!

    ResponderEliminar
  18. Ora aqui está a prova como temos as nossas diferenças. Nem que seja de opinião. :)
    Eu compreendo que tenhas experiência vivida que te leva a concordar com essa teoria. Mas eu não consigo levar as coisas assim...
    Não leves a mal, cada um tem a sua base para opinar. Gémeos na mesma. :)

    **

    ResponderEliminar
  19. Saga: exacto! Ainda bem que existem várias opiniões, tornam os debates mais interessantes!
    Na paz!! :)

    ResponderEliminar
  20. Ás vezes qd se pensa nestas coisas "de pensar"... apetece "deitar cá pra fora" um "fonix" verdadeiro :p
    Acho que pensar muito nem sempre é bom. Apesar de infelizmente não conseguir ser assim, invejo aqueles que fazem por sobrepor o "agir" ao "pensar". O "risco" é sempre algo que nos faz ganhar, quanto mais não seja uma lição. Mesmo assim é preciso sempre calcular o nível de "risco", pensa-se... logo... FONIX :D

    Bjs
    P

    ResponderEliminar
  21. P: quando li teu comentario só consegui rir. Oblá, phonix digo eu!! Deste-me um nó na cabeça!! lololol
    Pensas demais, eu também penso. É mau? É...colocamos imensos obstaculos antes de tomar decisões. Não arriscamos, não nos divertimos tanto...somos assim!! :s

    ResponderEliminar
  22. "Quase sempre é preciso um golpe de loucura para se construir um destino." (Li num blog, diz tudo.)

    ResponderEliminar
  23. concordo inteiramente com essa frase e acrescentava-lhe "um golpe de coragem".
    Bonito!

    ResponderEliminar
  24. Há é que seguir esse lema. Não basta só concordar com ele. ;)

    ResponderEliminar