Ouvi dizer que foi S. João

Ontem foi feriado de S. João, consta-me porque não trabalhei.
Pelo silêncio que se ouvia em todo o lado era fácil compreender que a malta estava toda a ressacar da noitada.
Eu não precisei ressacar, meu S. João foi passado a dormir. Não, não pareceu festa para mim. Como habitualmente as festividades em casa dos papis terminam quando a dos outros está a começar e eram 21h30m da noite estávamos prontos para encerrar por ali. E encerramos. 
Passou-me pela cabeça pegar no martelinho e ir sozinha até à baixa do Porto mas a paciência não tem sido abundante por estes lados, acabei por render-me aos encantos do meu sofá. Vi quinze minutos do fogo pela tv e aterrei até de manhã. Nem os foguetes que a vizinhança lançava chatearam-me. Só queria mesmo desligar e assim o fiz.
Amanheceu e acordei meio melancólica. Parte de mim pensava no que teria sido divertida a noite para os demais e eu ali, prostrada, sem energia, sozinha naquele silêncio. Como é habitual não posso ficar muito tempo assim, a cabeça não deixa. Os pensamentos começam a correr em todas as direcções até para os recantos que tenho evitado ir. O melhor mesmo é agilizar e saltar da cama. O dia começa e já tivemos imenso tempo para pensar, está na hora é de começar a por em prática o pensamento.
Estou toda partida hoje. Depois do almoço a actividade escolhida foi limpar paredes. É isso mesmo, limpar paredes. De balde com lixívia, luvinhas nas mãos e esponja trabalhei os músculos dos braços, das costas, dos ombros, e vá, das pernas também pela quantidade de vezes que tive de subir e descer o banco para, com muito esforço, chegar até ao tecto.
Foi árduo, trabalhoso, deu para rir, para chorar, para gritar, para desabafar o que ia na alma através das dores no corpo mas objectivo atingido. 
Claro que mil e uma vezes passou-me pela cabeça que se fosse rica não teria necessidade alguma de estar com estas merdinhas mas não sou, assim como também não sou de ficar parada a chorar as minhas mágoas. Deu para colocar na esponja a minha revolta e esfregar com a vontade necessária para um trabalho bem feito. Custou-me sim mas estou a cuidar das minhas coisas, da minha vida e isso vai ajudando a sentir-me bem comigo.
A noite terminou com uma jantarada na mana e uns copos de vinho tinto. Fui para casa de helicóptero e novamente aterrei cedinho. É para o que estamos porque a vida é demasiado curta para perdermos tempo com o que não quer acontecer.

2 comentários:

  1. Caramba como o teu S. João foi parecido ao meu, também quase nem dei conta que era S. João! A única diferença é que jantei cá fora (no pátio) e lancei dois balões...iupi!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh!! Bons tempos em que corríamos que nem umas loucas do bolhão à ribeira para ver o fogo!!! Velhas!!! :)
      Eu lancei uns puns, serve? .-p

      Eliminar