Enough is enough

Tem dias que chego a um ponto de ruptura, de saturação que chego a entrar em conflito comigo.
Nada tem haver com stress, com cansaço, com muito trabalho ou pouco que fazer (que também irrita-me profundamente) mas com um sentimento de impotência, de desprazer face ao presente e ao futuro a curto prazo. 
Estou, no verdadeiro termo, fodida, com tudo o que se passa à minha volta. Não tenho paciência para os vai e vem, para os iô-iô, para o hoje sim amanha não. Não tenho paciência, pachorra, telha...não tenho.
Farta de esperar pelo que não chega, farta, farta, farta, farta....
Farta do sentido de humor irónico do Todo Poderoso que deve gozar à fartazana com a minha vida ou então decidiu fazer-me nascer só para ter algo com que se divertir.
Hoje não há paciência, já ontem não havia, antes de ontem estava a chegar ao limite. Daqui não estico mais o elástico, não tenho tanta flexibilidade física nem mental. Já estou no ponto de 'não dá, foda-se! Não dá!' e não vamos estar com pieguices ou lamentações. 
Hoje estou assim, cara de poucos amigos (por acaso tenho poucos mas dos bons), fechada, irritada e pronta a disparar em qualquer direcção se alguém chatear-me o juízo com a mínima coisa. É tolerância zero pois tenho sido demasiado tolerante. 
Fica o aviso: tenho péssima pontaria!

3 comentários:

  1. não sabendo ao certo do que falas, pouco mais posso dizer para além de "calma".... às vezes é complicado, bem sei, mas tudo acaba por se resolver :)
    (e se for preciso, o email tá sempre disponível ;))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei que tudo se resolve mas há coisas que se resolvem de forma que não a esperada, não imaginada.
      São a porcaria das expectativas... :/
      Obrigada pelo carinho. Se calhar ainda te chateio mesmo por mail :)

      Eliminar