Tal e qual

"É difícil lidar comigo, é complicado entender-me. Às vezes grito outras vezes não suporto nem ouvir a minha voz. Às vezes acho-me sem graça e chata outras vezes discordo disso. Às vezes rio à toa outras vezes dói-me à alma ter que sorrir para alguém. Às vezes não tenho o mínimo de vergonha outras vezes não consigo dizer “olá” a um estranho. Às vezes odeio todo mundo outras vezes acho que foi precipitado generalizar. Às vezes acho-me cheia de amigos outras vezes acho que sou a pessoa mais solitária. Às vezes acho que odeio outras vezes acho que gosto e em ambas às vezes quase sempre mudo de opinião. Às vezes acho-me burra por ter errado outras vezes acho-me inteligente por ter aprendido com o erro. Às vezes sinto-me carente outras vezes não quero que ninguém nem me abrace. Às vezes não consigo dormir outras vezes não consigo acordar. Às vezes acho que chegou ao fim outras vezes acho que só começou. Às vezes sou insegura outras vezes sou um poço de segurança e certeza. Às vezes sinto demais outras vezes sou uma pedra de gelo. Às vezes acho coisas demais outras vezes acho que não acho nada e sinto-me muito confusa para entender isso. Às vezes sinto-me perdida outras vezes continuo  sentindo-me assim. Odeio decepcionar mas às vezes nem percebo o quanto consigo magoar alguém só com as minhas palavras."

Autor desconhecido

Sem comentários:

Enviar um comentário