Conversas de cabeceira X

- Porque te assustas tanto quando toda a gente vai embora e ficas sozinha?
- Eu não fico sozinha. Fico eu e ela...!
- Ela...? Ela quem?
- A minha mente...! É ela que me aterroriza, que logo ao primeiro silêncio espeta a faca no peito!
- O que ela te diz de tão grave assim para não desfrutares da tua companhia descansada?
- Várias coisas, coisas que consigo não pensar quando estou acompanhada, quando tenho uma distração...
- Que tipo de coisas? Morte? É isso?
- Não! Rejeição, solidão...
- Isso existe em ti?
- Eu vivo isso!
- Vives mesmo? Ou é a tua mente que te engana e te leva a crer que o vives? Olha à tua volta!
(...)
- Olha, escuta...ouviste?!?
- O quê?
- O que ela me disse, o que ela me mostrou! É imediato, a dor aparece logo no peito como se me espremesse toda.
- Faz as pazes contigo SM...tu não tens culpa de não ter dado certo, tu não tens culpa de não ter corrido como gostarias porque tu estiveste lá, tu fizeste tudo o que podias, tu lutaste...!
- Ela diz-me que dou o meu melhor e na mesma assim fracasso, que sou uma falhada, que não importa o quanto me esforce nunca será suficiente.
- Confia em ti, a tua mente está magoada, está a ser levada pelo ego e por isso sofres com a rejeição.
- Fiz asneira de novo...
- Eu sei! Mas agora esquece, faz as pazes contigo mesma, tu não poderias ter forma de saber.
- Será que não tinha mesmo?

Sem comentários:

Enviar um comentário