Procuro...ou não!

Procuro! Ou não. Procuro-te! Talvez não seja o termo mais correcto mas fazes-me falta.
Tem dias que sinto que não chegas. Tem dias em que penso que nada vale a pena se não estiveres por perto, aqui, a gozar o dia comigo, a gozar a vida comigo.
O tempo passa. Não é escasso, tenho todo o tempo do mundo, mas até o tempo parece sem graça porque não estás por perto. Faz sentido? Faço algum sentido?
Conheço-te? Não, talvez não, penso que não. Se conhecesse saberia onde te encontrar e como não sei estou na ignorância. Aguardo-te.
Penso em ti, não em ti porque não sei como és, mas como serás e como será quando estiveres aqui e se poderei partilhar meus segredos e planos contigo.
De resto, busco por algo, pela vida, pelo sentido e rumo, e tem alturas que tudo me parece cinzento, a sensação de desequilíbrio faz-se sentir pois não estás aqui e falta-me algo. Olho em volta e não estás, não estas lá, nem perto, nem longe, apenas não estás e tua ausência é sentida, teu sorriso, tua voz, teu olhar que desconheço!
Deveria ser suficiente, auto-suficiente e não precisar de ti. Talvez não precise, tem dias que penso até que nem te quero e isto sejam apenas devaneios meus, mas sem ti não tem tanta graça, não tem tanta piada, não existe cor se não estiveres aqui. Ainda sem fazer sentido?
Tenho coisas a dizer-te…

11 comentários:

  1. Fazes todo o sentido, como sempre. Faz todo o sentido esperar por alguém cujo rosto não conhecemos, de imaginarmos pedaços de conversas, abraços. Acontece-me imenso quando me deparo com paisagens, filmes, espectáculos que sendo interessantes, por vezes mágicos, de pouco ou nada valem se não tivermos com quem os partilharmos. Nunca te canses de procurar pela vida e de lutar por tudo o que ela tiver para dar, tudo o que tiveres direito.

    ResponderEliminar
  2. O cansaço é conforme os dias, conforme a força, conforme a fé.
    Acontece-me muito isso também, em filmes, com paisagens, pequenos momentos...creio que, digam o que disserem, a vida tem muito mais magia se partilhada!
    Obrigada :)

    ResponderEliminar
  3. Querida Silvia,

    Não fomos feitos para a solidão...nem para a comunhão...

    Quando se está...não se quer estar...

    A certeza que tens...é que és tu que comandas a tua vida!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. TouroCeptico: se não fomos feitos nem para a solidão nem para a comunhão, então como ficamos? Complicadinhos que somos!!!
    Eu sei que eu é que comando minha vida (quer dizer, às vezes eu sei...). Mas se ao menos não me deixasse influenciar tanto pelo que passa à minha volta... :s

    ResponderEliminar
  5. ehehe....sim complicados somos...

    O que quero dizer...é que se tudo fosse simples...não existiriam tantas dúvidas!!...mas no fim quem põe o carimbo és tu!!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. TouroCeptico: e às vezes é cada asneirada que eu carimbo que nem te conto :D
    Mas entendo onde queres chegar e concordo.

    ResponderEliminar
  7. Há dias em que nos faz falta "aquela companhia" que nem o melhor amigo é capaz de preencher. Seja apenas para um abraço, seja para um suspiro, um desabafo, um beijo... faz-nos falta. Por outro lado, a nossa privacidade também! E, nem sempre conseguimos conciliar e balançar as duas situações.. :(

    ResponderEliminar
  8. Síndrome dos Trinta: é mesmo isso! Boas palavras! :)

    ResponderEliminar
  9. Bonito texto, causou-me uma enorme nostálgia.

    ResponderEliminar
  10. Tens imensos textos, não é só às vezes.

    ResponderEliminar