Vamos simplificar

Tudo poderia ser diferente, mais fácil, mais corrido, mais fluído.
Temos uma péssima mania de complicar quando a energia dispendida e o tempo gastos poderiam ser canalizados imediatamente para o bem-estar que todos procuramos...

Sinto saudade dos tempos em que se sentia uma paz constante em tudo o que se fazia. Havia uma segurança diferente, uma confiança incondicional. Não questionavamos se era o mais correcto, não racionalizavamos demais ao ponto de mudar de ideias. O momento, o entusiasmo, o brilho no olhar eram suficientes para seguir em frente e de olhos fechados. E resultava.
Hoje só vejo dúvidas e porquês. Parece que nos esquecemos de humanizar, de viver sem perguntar porque estamos vivos.

Regra básica, eu quero, tu queres, porque não simplificar? Porque aguardar pelo momento 'certo', pela certeza que é certo, pela garantia que resultará... Certezas ninguém tem, em nenhum instante, e para uma sociedade viciada em adrenalina até que arriscamos muito pouco.

Sem comentários:

Enviar um comentário